15 mar 2016

Como não descontar as emoções na comida


Mamães, quanto tempo eu não aprecia por aqui, me desculpem, mas não está fácil minha vida de mamãe, trabalho e blogueira… Infelizmente este meu hobby tem perdido cada vez mais espaço para o tempo livre que tenho ser dedicado apenas ao Bernardo e não dividir este tempinho com mais nada!!

Recebi um artigo do site Babycenter, super interessante, até porque se aplica não só a fase da gravidez, basta termos algum stress que garanto que mais de 80% das mulheres assim como eu desconta na comida, e aqui vocês poderão encontrar dicas que ajudam a minimizar estes prejuízos.

Vamos ver se eu fico mais presente, saudades de vc´s…

Bjo, bjo

AA

“…Quando está feliz, você comemora com um docinho, mesmo que ele não seja nem tão maravilhoso assim? Devora um pacote de batatinhas ou um pote de sorvete quando está estressada ou deprimida? Se você faz isso, há chances de que você tenha uma relação emocional com a comida.

Quase todo mundo usa a comida para domar os sentimentos. Aprendemos antes mesmo de aprender a falar, já que a reação mais comum ao choro do bebê é dar comida. Assim, desde muito cedo, a comida se transforma em um mecanismo de conforto psicológico.

Existem alimentos que realmente provocam a sensação de bem estar, ao ativar neurotransmissores que atuam no cérebro.

O problema é que o cérebro leva cerca de 20 minutos para perceber que seu estômago já está cheio. E, nesse intervalo, o que começou como sensação de bem estar pode muito bem terminar com uma sensação de estufamento, indigestão e fadiga mental.

É o que acontece quando, no entusiasmo da emoção, você devora três fatias daquele bolo de chocolate delicioso que lembra a sua infância, e depois só de pensar nele tem vontade de vomitar.

Faça um diário do que come e do que sente

Comer pode até distrair você das preocupações, mas só funciona naquela hora. Os problemas voltam, e vão continuar incomodando você enquanto não encontrar um modo mais permanente de lidar com eles.

Para quebrar esse círculo vicioso, você precisa identificar quais emoções mais ativam sua gula. Experimente, por alguns dias, anotar tudo que comeu e o que estava sentindo antes, durante e depois de comer. Você estava mesmo com fome ou apenas com tédio? Estava contente ou triste?

Depois de alguns dias fazendo isso, você terá uma boa ideia de quais sentimentos e emoções mandam você direto para a geladeira ou para a lanchonete. Escrever também ajuda você a ter um tempinho para pensar se está mesmo com fome ou se está só buscando conforto.

 

Como prevenir a compulsão alimentar

Uma estratégia para tentar impedir os ataques de gula é dividir as refeições de forma a comer seis vezes por dia. Assim fica mais fácil se segurar até a próxima refeição.

Outra dica é procurar se distrair se mexendo em vez de comendo. Um estudo com pessoas acostumadas a beliscar durante o dia demonstrou que aquelas se levantaram e caminharam por cinco minutos nos momentos de “fissura” por comer foram menos propensas a comer chocolate se comparados com aquelas que permaneceram sentadas em suas mesas.

Segundo especialistas, caminhar ajuda a elevar o nível de serotonina no corpo e deixa a pessoa menos ansiosa.

Preste atenção às atividades que dão um alívio rápido ao seu estresse e que não estejam relacionadas a comer. Pode ser brincar 5 minutos com o cachorro, assistir a um vídeo antigo e fofo do seu filho, ouvir uma das suas músicas favoritas, fazer um exercício de meditação ou alongamento e até ler um artigo interessante ou escrever para uma amiga.

A ideia é tentar retreinar o cérebro a satisfazer suas necessidades sem comida.

Estratégias para combater a compulsão alimentar

  • Antes de colocar qualquer coisa na boca, anote. Só isso já fará que você vá mais devagar e pense se realmente está com fome.
  • Use tigelas e pratos pequenos.
  • Compre alimentos em porções menores. Por exemplo, em vez de um pote de sorvete, compre a porção individual.
  • Nunca coma direto da embalagem original. Dê-se o trabalho de pegar uma pequena quantidade e servir num pratinho. Aproveite e guarde o pacote bem guardado, antes de começar a comer.
  • Sempre guarde os alimentos tentadores fora da vista ou em lugares mais chatos de pegar (como na prateleira mais alta).
  • Não coma doces de estômago vazio.
  • Não traga guloseimas para casa. Prefira sair para comprá-la e consuma-a no mesmo lugar onde comprar.
  • Congele sobras imediatamente. Se sobrou uma pizza quase inteira, embale bem e guarde no freezer. Assim vai dar mais trabalho para descongelar e você não sente que “precisa” comer a sobra para não desperdiçar.
  • Escolha uma guloseima que realmente satisfaça você em pequenas quantidades (dois quadradinhos daquele chocolate delicioso, por exemplo). Quando a vontade aparecer, coma a quantidade permitida logo, em vez de ficar se segurando. Dessa maneira você pode evitar a sensação de “chutar o balde” e devorar tudo.
  • Deixe a geladeira e o armário estocados com lanchinhos saudáveis e gostosos, como frutas frescas e castanhas.”

fonte: Babycenter Brasil


29 abr 2014

Bebes online


Olá Mamães e Papais,

O post de hoje é sobre a conscientização do que postamos dos nossos pequenos nas redes sociais. As vezes na ânsia de compartilharmos o nosso amor pelos nossos filhos acabamos falando demais e comprometendo a segurança dos nossos maiores bens.

Li recentemente um artigo muito bacana do site mdemulher, da editora abril. Ele cita nove erros que os pais cometem sem nem perceber que pode dar informações demais às pessoas mal intencionadas. São eles:

1. Foto com registro de localização.

Muitas vezes registramos onde as crianças estão e o que elas estão fazendo e até mostramos parte de suas rotinas, isso pode ser perigoso porque passamos informações demais.

 

2. Foto da criança nua.

As vezes o que para nós pode ser um simples registro do banho ou de uma troca de fraudas, por incrível que pareça pode ser transformado em material pedofilia. Por isso, pense muito antes de publicar qualquer imagem nesse estilo, principalmente aquelas em que aparecem as partes intimas do seus pequenos.

 

3. Foto com uniforme da escola.

Mais uma que pode passar mais informação do que o necessário. Informações como escola, cursos extras, e qualquer atividade da rotina do seu filho pode servir de informação para um possível sequestro.

 

4. Foto da criança em alta qualidade.

Quando postamos as fotos na rede, não temos mais controle sobre elas. Fotos em alta qualidade podem ser mais facilmente manipuladas e utilizadas em outros ambientes sem a nossa autorização.

 

5. Foto da criança com outros amiguinhos.

As vezes publicamos uma foto com a “turminha” toda mas nem sempre sabemos o que todos os pais pensam da publicação de fotos, então a não ser que vc “libere” com os outros pais é melhor evitar postar fotos com outras crianças.

 

6. Foto da criança no ambiente do trabalho dos pais.

Mais um exemplo de informações rotineiras que não precisam ser expostas.

 

7. Fotos que vão envergonhar a criança no futuro.

Nunca se sabe por quanto tempo uma foto pode durar na rede. As vezes o que é “bonitinho” para os pais pode ser motivo de vergonha para a criança no futuro e causar um constrangimento desnecessário.

 

8. Fotos da criança com objetos de valor.

Crianças são alvos mais fáceis para roubos, mostrar uma foto do seu filho com um objeto eletrônico portátil por exemplo pode torná-la alvo dos bandidos. É melhor manter os presentes sem muita divulgação.

 

9. Fotos em álbuns abertos para todos.

Adoramos mostrar os nossos pequenos para os nossos amigos e devemos restringir a esse grupo. Nada de postar várias fotos em álbuns abertos. Até mesmo a opção “amigos de amigos” já abrange os usuários que podem ver de forma que vc não tem mais controle.

Sei que algumas dicas podem parecer exagero, mas quando o assunto são os nossos pequenos, prevenir é sempre bom, afinal de contas, não tem bem mais precioso para nós!

Bjo, bjo.

bbinternet

Fonte: http://m.mdemulher.abril.com.br/familia/9-fotos-pais-compartilham-redes-comprometem-seguranca-filhos-778600


03 abr 2013

6 Dicas para economizar dinheiro durante a gravidez


Balancing the Accounts

Mamães a dica de hoje certamente irá ajudar a conter os gastos que logo que descobrimos que estamos esperando bebê, começam a surgir.

Existem algumas despesas adicionais que são difíceis, mas não impossíveis, de evitar durante a gravidez. Hoje em dia quase todo mundo está visando economizar algum dinheiro sempre que possível. Vejam algumas sugestões para reduzir custos extras de maternidade:

1. Se você tiver algum conhecido (amigo ou parente) que teve bebê a pouco tempo, veja se não possuem algumas roupinhas ou acessórios que não usem mais e possam doar.

2. Comprar blusas de Elastex que possam ser usada durante e pós gestação para não ter que comprar roupas específicas de grávida.

3. Visite grandes magazines e até supermercados que possuem roupas de malha com alta qualidade. E para o dia-a-dia do bebê nada melhor do que roupas 100% algodão.

4. Compre o prolongador de calça jeans que vende nas lojas especializadas de gestante, desta forma você poderá usar sua calça jeans por muito mais tempo, e não precisará investir neste item. Além de ser um motivador para você não abusar muito dos kilinhos a mais.

5. Algumas compras on line, valem mais a pena do que nas lojas. No caso das mamães que forem fazer enxoval nos Estados Unidos, o site do Amazon, bem como Buy Buy Baby, Baby R´Us, Cartes entre outras, possuem descontos excelentes  para as compras on line.

6. Se você tiver tido o primeiro filho e estiver pensando em engravidar em até 2 anos, guarde as roupinhas e acessórios que poderão certamente serem utilizados pelo novo bebê

Aproveite as dicas e boa economia

Bjo, bjo


22 dez 2011

Guia para as mamães


Chris Flores lança o livro ” Um bebê em casa” , nele você poderá encontrar as principais questões que surgem a partir do momento em que a mulher descobre que está grávida até o primeiro ano de vida do bebê.

Para responder a todas estas dúvidas Chris usou sua experiencia materna e tb contou com um grande time de especialistas. Um dos temas mais falados é o da amamentação, isso porque Chris teve assim como muitas outras mães muita dificuldade quando amamentava seu filho Gabriel hoje com 5 anos.

A venda nas melhores livrarias de todo o Brasil, por apenas R$27,90, vale a pena a leitura!!

Bjo, bjo


24 nov 2011

Bazar de natal


Mamães não percam o Bazar de natal que a Uauá está promovendo, com algumas parcerias,  de 29/11 a 02/12 na Rua Vahia de Abreu número, 716 – Vila Olímpia.

Para vc’s poderem ter ideia do que encontrarão por lá entrem no site da Uauá  – Eu sou apaixonada por todos aqueles bichinhos, inclusive já presenteei a maioria dos meus “sobrinhos postiços” com os fofinhos de lá!

Também estarão no bazar as meninas da A Farofa que vendem fantasias incríveis feitas em algodão, além dos acessórios que tb são super diferentes.

A decoração do evento ficará por conta da Tati Leme e vc’s também não poderão deixar de experimentar os deliciosos pães de mel, feito com chocolate belga pela O pão de mel.

Para as mamães que estão em SP, não percam a oportunidade, pois certamente vc’s vão encontrar muitas coisas bacanas e os presentinhos para dar para toda a meninada no natal ;-)

Bjo, bjo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 1 de 3012345...102030...Última »