19 ago 2014

Pós parto – Quando estamos liberadas?


 

AASe dependesse das nossas mães e avós, o pós-parto, as primeiras seis ou oitos semanas seguintes ao nascimento do bebê – seria uma verdadeira tortura para nós: nada de lavar a cabeça, sair de casa e repouso absoluto por um mês. Tudo bem que o nosso corpo precisa realmente de um refresco depois de tantas mudanças. Mas, com orientação médica e atenção redobrada, podemos voltar à vida (quase) normal de forma gradativa e sem tanto drama.

Veja abaixo este artigo que peguei no site da GNT, com dicas de como e quando voltar as atividades.

A médica obstetra Patrícia Maganha, é também mãe de três filhos e diz que não é preciso ser tão radical: É importante retomar aos poucos o que traz prazer ou uma sensação maior de normalidade. O bom senso é o que direciona a decisão de como deve agir nesse período, ensina.

Na dúvida de quando partir para a ação e relembrar os bons tempos de antes do barrigão? A gente ajuda:

 

Dirigir

Quem diria que um dia você ia sentir falta de pegar um engarrafamento atrás do volante, hein? A turma do parto normal está liberada para dirigir 30 dias após o parto. Por causa da necessidade de recuperação dos músculos cortados durante a cesárea, esse prazo é de 40 dias para que a cicatrização seja mais saudável.

Fazer mercado

Lembre-se: há uma grande diferença entre ir ao supermercado comprar frutas e verduras frescas e uma compra de mês. Com isso em mente, planeje para que o retorno a essa atividade seja gradual e de acordo com suas limitações. Em 60 dias você está liberada para encher o carrinho!

Pegar filho mais velho no colo

Difícil saber que vamos precisar esperar dois meses para pegar nosso bebê mais velho no colo, mas é por um bom motivo: você tem que se recuperar bem para continuar cuidando dos dois (ou três) por muito tempo! Isso não quer dizer que um colinho sentado no sofá ou deitado na cama está proibido, viu?

Voltar para a academia

Nada impede de você fazer caminhadas leves quando começar a se sentir mais bem disposta e sem dor. Mas, pegar mais pesado para mandar os quilinhos extras pro espaço vai precisar esperar um pouquinho. Renove sua matrícula na academia três meses após o parto. Porém, os exercícios que trabalham a musculatura abdominal em pós-cesariana devem esperar entre quatro a seis meses para entrar na sua série.

Sair com os amigos

Nada de ficar em casa descabelada, de camisola e uma fraldinha pendurada no ombro o tempo todo. Se você está se sentindo bem, com a cabeça no lugar, vai estar pronta para cuidar melhor dos filhotes. Combine uma saída com o maridão ou as amigas após o primeiro mês de resguardo. Se divertir é também um ótimo remédio!

Fazer sexo

A pergunta que dez entre dez maridos pedem para as mulheres fazerem ao seu médico tem resposta: 40 dias para quem fez uma cesárea, 30 para o parto normal. Não adianta colocar no calendário sem levar algo muito importante em consideração: por causa das alterações hormonais e emocionais, seu desejo sexual pode estar diminuído. Sem contar que há uma menor lubrificação durante essa fase, o que pode provocar ardência e incomodo vaginal. Que tal começar com uns carinhos e ver o que rola depois?


29 mar 2011

Cuidados com o Cordão umbilical




Uma das grandes preocupações das mamães no que se refere aos cuidados com o bebê é em relação à adequada higiene e posterior curativo do cordão umbilical. A Profª. e Enfª. Fátima Reis da UFRJ dá algumas dicas de como proceder. 

“Com experiência de vinte anos trabalhando com gestantes e bebês pude perceber que cada mãe carrega a mesma preocupação, principalmente se for o primeiro filho”. Muitas amigas experientes e parentas dão inúmeras dicas e conselhos para a futura mamãe, mas o ideal é buscar a opinião de um profissional de saúde atualizado. Neste caso, a técnica correta da higiene e posterior curativo do coto umbilical que  a professora realiza é a mesma que ensina aos futuros pais nos cursos para gestantes, desta forma eles terão a segurança do rigor da técnica correta. O coto umbilical deve ser bem cuidado para evitar inflamações e infecções graves que podem repercutir na saúde do recém-nascido, medidas simples e bem orientadas significam a garantia do bem estar da criança, além das mães os pais também devem aprender, pois as ajudam nos cuidados. 

Recomendações: 

• Higienização – Durante o banho de banheira o cordão umbilical pode e deve ser molhado com água e sabão para facilitar o desprendimento dos resíduos de secreções que ali se acumulam, e enxaguado com água de um jarro assim como todo o corpo do bebê para remover os resíduos de sabão. (Vale ressaltar que até que ocorra a queda do cordão e sua total cicatrização a água do banho deve ser filtrada e fervida, a banheira bem higienizada e o sabonete neutro de glicerina). O perigo não está em molhar o cordão umbilical conforme diziam os antigos, mas sim em não secá-lo adequadamente, pois devemos mantê-lo seco e arejado para que possa ocorrer a boa cicatrização. 
• Curativo: Deve ser realizado após o banho e sempre que perceber que houve contato de urina ou fezes por ocasião da troca de fraldas. 
• Após o banho: segure o clampe por uma das extremidades (espécie de pregador que prende o cordão umbilical), seque o cordão umbilical com gaze esterilizada desde a base, de baixo para cima primeiro à frente, jogue fora à gaze, repita na parte posterior do cordão, seque o local do corte com outra gaze e seque o clampe. Com um cotonete seque a parte da frente da inserção do cordão umbilical (onde ele nasce junto à barriga do bebê), os movimentos devem ser delicados e toda a umidade deve ser retirada, repita na parte posterior (não esfregue o cotonete, apenas toque levemente). Troque o cotonete assim que estiver sujo ou úmido. Uma vez que o cordão esteja seco, forre na barriga do bebê ao redor dele com uma gaze (para o álcool a 70% não escorrer para a genitália do bebê), comece a pingar álcool a 70% com um conta gotas no cordão umbilical começando da inserção e vá subindo até que todo o cordão tenha recebido o álcool a 70%. Senão tiver um conta gotas novo derrame álcool a 70% em uma gaze e aplique do mesmo jeito.Após aplicação direta de álcool a 70% no cordão, envolva-o com uma gaze e a umedeça com álcool. Esta gaze tem a finalidade de proteger o cordão do atrito com a fralda e de resíduos e manter mais tempo o álcool a 70% em contato com ele. Por ser apenas uma gaze não o abafa e ainda o protege. 
• A cada troca de fraldas: estando a gaze limpa deve-se pingar mais álcool a 70%, caso a gaze esteja suja de urina ou fezes deve ser trocada e o cordão umbilical novamente higienizado com água filtrada e fervida para remover a sujidade. No caso de meninos, ao se colocar a fralda deve-se prestar atenção para o pênis ser direcionado para baixo para evitar molhar de urina. Não se deve colocar moedas ou cinteiros, pois abafam o coto impedindo a aeração necessária favorecendo a umidade e a colonização de micróbios. A boa cicatrização depende de boa higiene, álcool a 70% que mumifica rapidamente o cordão e a ventilação. A fralda na região umbilical deve ser frouxa para não tracionar o cordão evitando acidentes locais. A queda do cordão deve ocorrer em torno de sete dias, alguns caem com cinco dias outros com dez, depende da espessura do mesmo e dos cuidados destinados a ele. 
Recomendações importantes: 
O cordão não dói, pois não é inervado. Lave muito bem as mãos e debaixo das unhas, mantenha as unhas aparadas e retire os anéis e pulseiras antes de lavar as mãos. Mantenha a gaze esterilizada dentro de sua embalagem original, só retire o necessário e feche sempre o pacote com cuidado. Com o cotonete o cuidado deve ser o mesmo, compre um pacote destinado apenas para o bebê. Mantenha todos os utensílios para o curativo em local limpo e longe da poeira. Aplique somente álcool a 70%, que é encontrado nas farmácias comuns ou de manipulação. Após o coto cair continue com os cuidados até a cicatrização total do local. Em alguns casos, persiste no local uma área de tecido branco-amarelado denominado granuloma umbilical, caso permaneça úmido este local, o pediatra deve ser procurado para a mamãe receber orientações específicas. Da mesma forma caso o cordão umbilical ou o local da queda do mesmo apresente sangramento, saída de secreção espontânea e/ou acompanhada de mau cheiro e febre a busca pelo médico é fundamental. 
Espero que as dicas ajudem
Bjo, Bjo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...