02 maio 2014

Use e abuse dos óculos!


Mamães não é a primeira vez que falo sobre este assunto aqui no Blog, mas como alguns cuidados extras são sempre bons serem alertados vai mais uma dica. Nesse feriadão, a maioria de nós vai levar nossos filhotes para um passeio, ainda mais se o Sol marcar presença! Essas saídas são recheadas de cuidados, o carrinho tem cobertura, colocamos boné, passamos protetor solar e separamos uma comida mais leve e tomamos uma série de precauções, o que muitas vezes não pensamos é em proteger os olhos dos nossos pequenos.

Os óculos de sol são acessório mais que necessário quando as crianças ficarem expostas a um nível de radiação muito forte ou lugares muito claros (perto de águas ou montanhas por exemplo).  As crianças, por estarem em desenvolvimento, podem ser as mais afetadas com o contato direto com a luz solar, por isso os aspectos preventivos são tão importantes.

No entanto escolher um bom óculos é fundamental. Óculos sem a proteção adequada deixam a vista anda mais exposta porque eles dão a sensação de “falsa proteção” que deixam a retina mais relaxada e em contato direto com a luz solar (isso vale tanto para os pequenos como para os grandes” :))

A seguir algumas dicas de como escolher o óculos certo para o seu filho:

1. Filtração de 99-100% da radiação abaixo dos 400 nm (toda a radiação UV). Se possível as lente devem ainda filtrar a radiação entre os 400 e os 500 nm (luz azul)

2. As lentes devem ter boa qualidade óptica para evitar a distorção das imagens.

3. Devem ter uma coloração capaz de proporcionar conforto na presença de luz, mas não devem ser demasiado escuras para não adulterarem as cores naturais dos objectos e/ou a acuidade visual. Não se deve confundir a intensidade da cor com a capacidade de filtrar a radiação nociva para o aparelho visual.
Deve dar-se preferência à cor cinzenta ou ao castanho (âmbar)

4. A armação e as lentes devem ser robustas. As crianças estão mais sujeitas a traumatismos, e por isso é necessário evitar os riscos relacionados com a fractura das lente e/ou armação. A estrutura dos óculos deve estar livre de bordos ou projeções capazes de provocar traumatismo das estruturas oculares

5. A estrutura dos óculos deve ser de forma a proteger os olhos e as pálpebras. As armações devem ficar bem ajustadas e devem ter tamanho suficiente para protegerem as pálpebras e impedirem a entrada nos olhos da luz refletida.

Infelizmente óculos assim tendem a ser um pouco mais caros, mas é melhor não economizar na saúde dos nossos pequenos, certo?

Eu já escolhi um óculos para o Bê da última vez que fomos a praia! 😉

Bjo, bjo.

be oculos


11 fev 2014

Brotoejas


assadura-1

O calor é implacável com os pequenos de até 1 ano, os últimos dias aqui em SP, estão terríveis, parece que estamos vivendo dentro de uma estufa. Por mais cuidados que nós tomemos, algumas vezes fica difícil de evitar as terríveis brotoejas. Ontem o Bernardo acordou cheio de bolinhas nas costas e bumbum. Eu acredito que isto tenha ocorrido por causa do Calor, temos dado quase 4 banhos por dia e liberei geral as brincadeiras com água,  banho de balde então quase todos os dias.

Para tentar sanar este probleminha o lema é arejar, nada de muitas roupas e cobertas. Assim que o Be fez coco tiro a fralda e deixo ele só de bermudinha, dou preferencia pelos shortinhos de algodão. Como ele ainda é bebê e não controla o xixi quando retiro a fralda só fico com ele na varanda, para não correr muitos riscos, rs.

Vejam abaixo algumas dicas que podem ajudar que achei no site bebe.com.br

Bjo, bjo

Por que aparecem com freqüência em bebês e crianças pequenas?

“Os bebês são mais rechonchudos”, diz o pediatra Francisco Frederico Neto, do Ambulatório de Pediatria Social do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. E as dobras facilitam o acúmulo de suor, o que favorece a ocorrência das brotoejas. Elas atacam principalmente até o sexto mês de vida, mas não são raras em todo o primeiro ano, fase em que a pele ainda é muito sensível.

Como preveni-las?

Alguns cuidados básicos têm resultados bem satisfatórios. Manter o quarto do bebê sempre arejado, fugir de roupas sintéticas, evitar exposição excessiva ao sol, refrescar a criança no calor e não agasalhá-la em excesso no frio são as principais medidas. “É importante que a mãe se mantenha atenta para que a temperatura do bebê esteja afinada com a do ambiente”, aconselha Ana Maria Escobar, pediatra do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo. Fora isso, doces e alimentos gordurosos aumentam a temperatura do corpo e podem estimular a produção de suor. Mas alto lá: eles não devem mesmo fazer parte do cardápio de uma criança pequena.

Como é o tratamento?

As medidas que previnem o problema também são válidas para tratá-lo. As brotoejas vão regredindo naturalmente, conforme a pele volte a respirar. Um procedimento comum para aliviar a coceira é colocar um pouco de maisena na água do banho. “A maisena produz mais efeitos quando se prepara um mingau com ela antes de jogar na banheira”, ensina Francisco Frederico Neto. Para isso, misture um pouco dessa farinha num copo de água. Quando for secar o bebê, evite raspar sua pele. Procure usar toalhas macias e abuse da delicadeza.

Se o quadro piorar, não apele para remédios, sprays e talcos — em excesso, esses produtos podem obstruir ainda mais as glândulas de suor. Assim, o mais aconselhável é buscar a orientação de um especialista.


20 jan 2014

A primeira semana do bebê


2

Quando me lembro dos primeiros dias do Bernardo em casa, relembro o quanto este dias são ricos de aprendizado, dúvidas, inseguranças e transformações. No hospital a gente conta com uma equipe extremamente capacitada e disponível para nos auxiliar a qualquer hora do dia, quando vamos para casa, tudo fica bem diferente.  Percebemos que o tempo nunca parece suficiente o bastante para fazermos tudo o que precisamos e caso você não tenha uma pessoa para te ajudar, deixar tudo organizado e arrumado te ajudará bastante.

Veja abaixo algumas dicas básicas que poderão ajudá-la nesta fase de adaptação.

• Se possível, providencie com antecedência alguns materiais que serão muito úteis quando vocês voltarem para casa. São eles: algodão, cotonetes, sabonete neutro, tesoura de unhas, escova de cabelo, álcool (70%) e creme para assaduras.

A Higiene do Bebê

Fraldas

A área coberta pelas fraldas deve ser limpa com água morna. No
caso das meninas, tenha um cuidado especial e limpe a área genital sempre da xexeca em direção ao bumbum.

Há uma grande variedade de marcas de fraldas descartáveis no mercado. Algumas contêm um pó perfumado que pode irritar a pele do bebê, prefiram as sem cheiro.

O banho

O banho deve ser dado diariamente. Para o maior conforto do bebê e uma higiene completa, oferecemos algumas recomendações:

Em dias frios escolha o hrário mais quente, de preferência na hora do almoço ou na parte da tarde.

Em dias quentes o horário é livre e você pode dar mais de um banho se achar necessário.

O banho deve ser um momento calmo e relaxante. Por isso, prepare com antecedência todo o material que vai precisar.

Os primeiros banhos devem ser rápidos

Não é necessário que a água seja fervida

Procure deixar a temperatura da água semelhante à do corpo do bebê, caso vc não tenha um termômetro (temp. ideal 37º) coloque seu cotovelo dentro d´água e se estiver agradável pode colocar o bebê

Encha apenas o fundo da banheira, nós mamães de primeira viagem, normalmente ficamos inseguras de dar o banho sozinha, se colocarmos muita água na banheira corremos o risco de deixá-los escorregar, então deixe apenas a quantidade de água necessária para cobrir o corpinho deles.

Antes de colocar o bebê na água, passe um pouco dela no rosto e na cabeça dele

Ao lavar as costas, com o bebê de bruços, cuidado para que o rosto não toque a água, acredite quem quiser eu quase afoguei o Bernardo no terceiro banho!

Dê preferência ao sabonete neutro, bebê tem a pele muito sensível quanto menos química melhor. A Huggies tem um sabonete, estilo espuma para recém nascido que é uma delícia além de super leve para a pele do bebê.

Certifique-se de lavar a área intima por último, enxágüe com água limpa e, a seguir, seque bem

Detalhes adicionais do banho:
Ouvidos – limpe apenas a parte externa com uma bola de algodão embe-bida em água, sem penetrar no canal auditivo. Seque bem atrás da orelha.

Olhos – limpe cada pálpebra com uma bola de algodão embebida em água. Limpe do canto externo para o interno.

Face – use apenas água.

Cabelos – você pode utilizar uma escova macia para estimular o couro cabeludo.

Mãos e pés – lave e seque bem entre os dedos.

Região íntima – algumas meninas podem ter uma pequena quantidade de sangramento ou secreção vaginal. Eles são causados por hormônios transmitidos pela mãe e não são motivo de preocupação.

Atenção: não use colônias, talcos ou cremes sem a indicação do pediatra.

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo deve ser feito 3 vezes ao dia, utilizando álcool 70%. Certifique-se de elevar o coto suavemente, de modo que o álcool atinja a área em que o cordão se insere na base. Se houver secreção ou sangramento, faça o curativo sempre que trocar a fralda. Aos poucos, o coto ficará mais endurecido, seco e escuro. A maior parte cai até a segunda semana de vida e um pequeno sangramento é normal. É importante que esta área esteja sempre seca e deve-se evitar o atrito com as roupas. Durante o curativo, o bebê pode reclamar da temperatura fria do álcool.

As Roupas e o Ambiente

As roupas do bebê

Não coloque roupas em excesso, nem apertadas demais. As mãos e os pés do bebê são sempre mais frios que o resto do corpo, por isso, não servem como guias para a escolha da quantidade de roupas. Dê preferência a roupas de fibras naturais, como algodão, cambraia, li-nho, e que tenham aberturas laterais, nas costas ou na frente, evitando as que têm de ser colocadas pela cabeça do bebê. Lave separadamente as roupinhas, fraldas, babadores, roupas de berço e toalhas com sabão neutro (de coco). Não é aconselhável o uso de qualquer tipo de amaciante. As roupas devem ser passadas com ferro quente e guardadas em lugar limpo e fechado.

O quarto do bebê

A limpeza do quarto onde o bebê dorme e seus objetos é muito importante e requer cuidados especiais. Cortinas, carpetes e grande quantidade de bichinhos de pelúcia devem ser evitados. Acumulam pó e podem causar alergia. Abra diariamente as janelas para que o ambiente possa ser ventilado e receba iluminação natural. Quanto ao berço do bebê, é recomendável que o colchão seja revestido com material plástico e limpo freqüentemente. Nos primeiros meses é melhor não usar travesseiros. Eles podem ser substituídos por uma fralda presa nas laterais do berço, na altura da cabeça do bebê. Evite colocar o berço embaixo de janelas. Se possível, deixe todo o material necessário para a higiene do bebê em um só lugar (a cômoda, por exemplo). É bem mais prático.

O Choro do Bebê

O choro é uma forma de comunicação e nem sempre significa um sofrimento. Se o bebê chorar ao acordar, tendo já passado algum tempo da última mamada, a primeira possibilidade é que seja por fome. Em dias mais frios, se o bebê recusar o peito, tente agasalhá-lo um pouco mais ou, ao contrário, em dias mais quentes, vista nele uma roupa mais leve. Ele pode também estar incomodado pela necessidade de arrotar ou por uma fralda suja.

Cólicas

Excluindo fome, frio ou calor, as cólicas podem ser a causa do incômodo do bebê. Elas aparecem em determinadas horas do dia, especialmente a partir do final da tarde. A sua ocorrência pode estar relacionada à ansiedade e insegurança dos pais, a uma rotina confusa ou a um ambiente agitado. Medidas simples, como colocar a criança de bruços e aquecer sua barriga através de uma massagem suave, podem ser suficientes para resolver o problema. As cólicas podem piorar se você oferecer o peito, embora o bebê também possa procurá-lo em momentos de dor.
Use medicamentos somente por recomendação do pediatra.

As fezes do bebê

As primeiras fezes do recém-nascido são chamadas de mecônio. São pastosas, consistentes, de coloração verde-musgo e inodoras. Com o tempo, as evacuações serão mais frequentes, mais líquidas, mais claras e eliminadas juntamente com gases. E sempre sem cheiro, o que as diferencia de uma diarreia infecciosa.


11 dez 2013

Vem chegando o verão…


bebe3

Mamães o verão está chegando e com isso os cuidados com nossos pequenos precisam redobrar… Com esta prévia de calor que estamos tendo aqui em São Paulo, já podemos imaginar que o calor não será brincadeira não. Grande parte das mamães, normalmente se preparam para esta estação comprando roupas mais leves, redobrando a quantidade de liquido que se dá para o pequeno por dia, bem como diminuindo a exposição ao sol em horários entre 10: 00 e 16:00 da tarde.

Abaixo vc´s poderão visualizar muitas dicas para fazerem com que seus pequenos se sintam muito bem durante a estação mais quente do ano.

Aproveite, Bjo, bjo

 

Vista o bebê com tecidos leves e fibras naturais, de preferência algodão
Tecidos fresquinhos são além de tudo confortáveis. Evite roupas feitas de fibras sintéticas, porque elas retêm o calor e incomodam o bebê. Podem causar até brotoejas e assaduras. Não deixe o sol bater direto na pele delicada da criança por longos períodos, especialmente se ela ainda for muito novinha.Os pediatras costumam recomendar o uso de filtros solares a partir dos 6 meses. Use o tipo recomendado pelo médico, pois há grandes variações na composição química desses produtos. Chapéus não podem ser apertados, e precisam ter as abas largas. Chapéus ou bonés com elástico podem atrapalhar a circulação do sangue.

Fique à sombra ou dentro de casa nos horários mais quentes
Quando o bebê é pequeno, o melhor é ficar em ambientes cobertos nas horas de mais calor. Se você precisa sair no sol, proteja bem a criança. Para passeios ao ar livre, prefira o começo da manhã ou o final da tarde. Tire colchõezinhos ou colchas do carrinho para a temperatura dentro dele não suba demais.

Deixe a criança algum tempo sem fralda
Se estiver muito quente, deixe o bebê pelado. Pode ser na hora de uma soneca da tarde, por exemplo, num lugar de fácil lavagem para o caso de ele fazer xixi ou cocô. O suor se acumula nas áreas plásticas da fralda descartável e causa irritações como a brotoeja e a assadura. Você pode até tentar usar fraldas de pano, se a pele do seu filho estiver irritada demais.

Dê muito líquido.
Nos dias de calor intenso, amamente o bebê com mais frequência. No caso de crianças maiores, dê bastante água, suco de fruta e água de coco.Bebês de menos de 6 meses que mamam no peito não precisam tomar água, mesmo no calor. Estudos já mostraram que, desde que os bebês sejam amamentados quando pedem, eles não ficam desidratados.No calor, os bebês tendem a solicitar mais o seio, e o leite materno, composto basicamente de água, é suficiente para hidratá-los. Com idas ao seio frequentes, os bebês recebem mais o leite anterior, que é mais leve e refrescante que o leite posterior, mais rico em calorias e gordura.

Para bebês que tomam fórmulas lácteas, pode-se dar água na mamadeira – sempre previamente fervida e resfriada.

Não dê água, sucos, sorvetes e picolés de procedência duvidosa. 
Não dê ao bebê alimentos não industrializados, especialmente os comprados de vendedores ambulantes. Carregue sempre consigo a água para o bebê. Cuidado também se for transportar alimentos como a sopinha. No calor, a comida pode se deteriorar rápido.Caso seu filho tome fórmula de leite em pó, só prepare a mamadeira na hora do uso e utilize-a dentro de, no máximo, uma hora. Se você for sair, leve a água para a mamadeira ou use água mineral de procedência conhecida, e carregue o pó separado

Reduza o uso de óleos ou cremes no bebê.
Se estiver muito quente, óleos infantis usados para massagem podem colaborar para o surgimento de dermatite ou brotoejas se não forem bem retirados no banho. Não use cremes hidratantes em excesso e, se o bebê for sair no sol, evite cremes antiassaduras dentro da fralda, para permitir que a pele respire melhor. (Boa Dica 🙂 )

Evite o talco.
Muitas mães passam bastante talco nos bebês depois do banho para mantê-los frescos. Na verdade, o contato do talco na pele molhada pode causar irritação e desconforto. Além disso, as partículas do pó do talco são tão finas que podem entrar no pulmão da criança, causando problemas graves.Se mesmo assim você quiser passar talco, use pequenas quantidades, sem provocar “fumaça”, e mantenha o recipiente sempre longe das mãozinhas do bebê. Uma alternativa mais segura é a maisena, que tem partículas maiores, não tão prejudiciais. A tradição de colocar maisena na água do banho também é uma boa opção.

Deixe o bebê se refrescar brincando com água
O calor é a estação ideal para deixar o bebê brincar com água. Desde o momento em que o bebê já sentar com firmeza, você pode colocá-lo na banheirinha ou em uma piscininha inflável com um fundo de água e brinquedos. Isso pode ser feito tanto ao ar livre quanto dentro de casa. Mas não deixe a criança nem um segundo sozinha.Para frequentar a piscina, converse com o pediatra. Há aulas de natação junto com os pais para crianças a partir de 3 meses, mas alguns pediatras preferem esperar até pelo menos 6 meses para reduzir o risco de otites (infecções no ouvido). Fique atenta às condições de higiene da piscina.

Cuidado com o ar condicionado. 
Se você tem ar condicionado em casa, desligue-o na hora do banho e só volte a ligá-lo quando a criança estiver totalmente vestida e com o cabelo seco. Se o bebê for ficar em ambiente com ar condicionado o dia inteiro, é melhor vesti-la com roupas mais fechadas. Também não deixe o aparelho ligado muito em cima do bebê.

Não deixe seu filho usar óculos de plástico sob o sol.
A passagem da luz solar por óculos de plástico transparente colorido pode prejudicar os olhos do bebê. Óculos escuros infantis têm de ter proteção contra os raios ultravioletas do sol. Na dúvida, é melhor não usar.

 

Fonte: babycenter


12 nov 2013

A importância do óculos de sol


b

Óculos de sol nas crianças

Mamães, hoje vamos falar da necessidade ou a obrigatoriedade do uso de óculos de sol pelas crianças este é um tema muitas vezes amplificado na sua importância real, sobretudo quando o Verão se aproxima.

Pelo fato de se encontrarem em desenvolvimento, as crianças são necessariamente aquelas em que qualquer agressão do meio ambiente poderá ter maior repercussão. Por isso a prevenção se torna tão importante.

Grande parte dos oftalmologistas pediátricos são muitas vezes questionados quanto ao uso de óculos de sol. As crianças devem usar óculos de sol? Elas podem?

Veja abaixo alguns pontos super importantes e que valem a pena serem levantados.

Radiação solar

A luz solar ou radiação solar é composta por varios componentes entre os quais as radiações ultra-violeta (UV) que se situam no espectro luminoso num dos extremos da luz visível. Estes raios UV são aqueles que causam grandes danos no aparelho visual. Conforme o comprimento davonda (por ordem decrescente) podem dividir-se os UV em UV-A, UV-B e UV-C.

A importância da camada de ozônio e as alterações a que está sujeita é atualmente um tema é de grande importância. O ozônio não é mais que uma forma especial de oxigênio, que se forma a partir do oxigênio normal quando presente acima de determinada concentração na atmosfera; nestas condições por reação fotoquímica com a radiação UV-C, forma-se na estratosfera (a cerca de 50 km de altitude), uma camada muito fina de cerca de 2-3 mm deste gás que é distribuída de forma mais ou menos homogênea por ação dos ventos estratosféricos. Curiosamente esta camada de ozônio tem como principal função (para além de estabilizar a concentração de oxigênio na atmosfera) a filtração dos raios UV da radiação solar.

O que se pretende do óculos de sol

A maioria das pessoas usa óculos escuros para melhorar o conforto visual na presença de luz solar. Embora este aspecto seja muito importante, o principal objetivo para o uso de óculos escuros, deve ser a sua capacidade de proteger a criança das radiações nocivas ao aparelho visual que devem filtrar 100% das radiações ultra-violetas (UV-A, UV-B e UV-C) e se possível devem filtrar a porção azul da luz visível.

As crianças passam mais tempo expostas à luz ambiente do que os adultos. Estima-se que a média de radiação recebida pela criança seja três vezes a do adulto e que cerca de 80% da radiação seja recebida antes dos 20 anos de idade.

A partir de que idade podem as crianças usar óculos escuros?

As crianças podem usar óculos de sol em qualquer idade. É boa regra e começar a usá-lo somente quando consigam utilizá-lo de forma autônoma.

A proteção relativamente à radiação solar tem importância apenas a partir da idade em que a criança adota um estilo de vida que lhe traz maior exposição, ou seja quando começa a ter atividades ao ar livre.

Proteção solar

O uso de lentes solares ajuda a proteger o aparelho visual da radiação solar, sobretudo nos dias e nas situações de maior exposição. Em todo o caso é importante realçar:

1. A melhor proteção é evitar a radiação solar. Deve-se evitar a exposição nos dias de maior intensidade de luz e nas horas em essa intensidade é mais elevada (10 às 15 h).

2. Um chapéu de abas ou um boné diminuem para cerca de 50% a quantidade de luz direta que atinge o globo ocular, e pode, portanto ser também um excelente meio de proteção.

Motivações estéticas e mercado paralelo

É do conhecimento geral que muitas vezes a motivação para aquisição de óculos escuros tem a ver com razões de ordem estética.

É também do conhecimento geral que muitas vezes essa aquisição se faz em função de uma oferta fácil e econômica em locais não apropriados. Este tipo de mercado tem proliferado um pouco por todo o lado porque a fiscalização é pouco eficaz. Estima-se que cerca de 30% dos óculos de sol vendidos anualmente sejam ilegais e, portanto saiam fora do controle de qualidade imposto pela legislação europeia.

Contudo é também de realçar a crescente preocupação que os Portugueses têm atualmente com a saúde dos filhos, nomeadamente no que diz respeito aos aspectos preventivos. Por isso embora existam pais capazes de comprar óculos de má qualidade para os seus filhos, eles são seguramente cada vez em menor número.

Os óculos de qualidade são sempre caros?

Não necessariamente. Um par de óculos de sol não tem de ser caro para oferecer uma boa proteção para as radiações UV. Na maioria dos casos o elevado preço de uns óculos de sol tem que ver com critérios de popularidade da marca. Não é necessário comprar armações nem lentes com o logótipo de marcas conhecidas. O importante é verificar a eficácia das lentes na sua principal função que é a de filtrar todos os raios UV e cerca de 75 a 90% da luz visível de forma a proporcionar conforto ocular.

Mais do que um preço barato, o importante é evitar lentes que não tenham essas especificações e que não sejam confiáveis!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 5 de 16« Primeira...34567...10...Última »