11 fev 2011

Sexo na gravidez: 10 posições prazerosas e confortáveis


Algumas posturas são melhores para a grávida porque deixam a barriga à vontade. “É o caso da ‘colher’, em que o homem e a mulher ficam de lado”. Veja a seguir algumas sugestões para que o casal possa curtir os nove meses de uma forma divertida, diferente, gostosa e, claro, com muita sedução.




Em Pé: Com o apoio da parede, o homem sustenta o peso da parceira, segurando-a pela parte posterior das coxas. É ideal para os primeiros meses da gravidez ou enquanto a barriga ainda estiver pequena. À medida que o útero cresce, a postura pode prejudicar a coluna.




De joelhos: Ele se ajoelha e ela fica apoiada em um dos joelhos. A mulher pode abraçar a cintura do parceiro com a outra perna. Essa posição é sugerida para os primeiros meses de gravidez (até o terceiro mês), quando o útero ainda não se dilatou muito.



Cachorrinho: Nesta posição, a mulher mantém a barriga totalmente solta, enquanto o homem, ajoelhado, controla a penetração. A postura é bastante confortável durante os primeiros trimestres. Nos últimos três meses, a barriga pesada desequilibra a coluna, que fica mais vulnerável nessa posição.




Pelve levantada: Enquanto ela se deita sobre travesseiros (que devem estar acomodados sob a coluna), ele, de joelhos, controla a penetração. Assim, a barriga fica livre. A pelve levantada pelas almofadas facilita o orgasmo. Pode ser experimentada até o sétimo mês. Depois disso, com a barriga muito grande, a posição tende a ficar desconfortável.




Colher: É uma das posturas mais confortáveis para a grávida e poderá ser praticada durante a gestação toda. O casal se encaixa de lado e a mulher pode usar um travesseiro pequeno sob a barriga para mantê-la apoiada. A postura deixa a barriga em posição de descanso, como se fosse em um ninho. Outra vantagem é que a coluna, às vezes prejudicada pelo peso da barriga, se mantém em linha reta.






Sentada: Sentada em frente e sobre o parceiro, a mulher está à vontade para controlar os movimentos e a intensidade da penetração. Isso permite que ela mantenha a barriga livre, sem nenhuma pressão. Uma postura agradável e suave principalmente a partir do oitavo mês, quando a barriga está mais dolorida devido ao aumento do útero.



Papai e mamãe adaptado: Para não pressionar a barriga da parceira, o parceiro não deita totalmente sobre ela. Mantém o tronco um pouco elevado. Assim não há pressão no útero – essencial a partir do segundo trimestre, quando o órgão aumenta bastante de tamanho.




Cruz: Essa é uma alternativa pela qual o casal pode optar até o final da gestação. A mulher fica deitada com as pernas flexionadas sobre o corpo do parceiro, que se encaixa nela de lado. Nessa postura, o conforto para a mulher é extremo já que além da coluna bem posicionada, ela mantém a barriga apoiada na cama e em situação de descanso.




Sentada de costas: A grávida se senta sobre o homem – de costas para ele – de forma confortável. Como a barriga fica livre e a mulher consegue maior controle sobre os movimentos, a posição permite a relação sexual até o final da gestação.



Armadilha da serpente: Vem do Kama Sutra esta sugestão de nome tão curioso. A mulher fica sentada sobre o parceiro, de frente, e ambos seguram os pés um do outro. O arranjo permite ao casal balançar, em um estimulante movimento de vai-e-vem, e deixa a barriga livre. Além disso, evita a pressão sobre o diafragma – com o aumento do útero, a tendência é que o órgão comprima o músculo respiratório e dificulte um pouco a respiração. Com essa posição, a liberdade e o conforto são maiores. Até o final da gravidez.





TABU = O medo da penetração
Segundo o ginecologista Luís Fernando, o medo mais comum, especialmente entre os maridos, é o da penetração. “Muitos acreditam que vão machucar o bebê e acabam travando. Mas isso é impossível. Não há como o pênis atingir o feto porque ele está muito bem protegido dentro do útero por várias camadas de músculos e pelo saco gestacional”, esclarece o especialista.

Não bastasse essa proteção bem acolchoada, há ainda um tampão mucoso que fecha a entrada uterina, poupando o pequeno de outros tipos de contatos e contaminações.

Outro tabu que merece ser derrubado é o de que as contrações provocadas pelo orgasmo podem acelerar o trabalho de parto. Na verdade, isso é pra lá de normal e contribui para fortalecer os músculos do períneo, o que, mais para a frente, poderá ajudar na hora do parto normal. 


Fontes: Laura Muller, autora de 500 Perguntas sobre Sexo (ed. Objetiva), e Kama Sutra, de Anne Hooper (ed. Vitória Régia).

Fonte: http://bebe.abril.com.br/gravidez/saude/sexo-gravidez-posicoes-confortaveis.php?pagina=9

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 12 de 12« Primeira...89101112