04 ago 2014

Os riscos do cigarro durante a gravidez


11

Não preciso nem falar que fumar durante a gravidez faz muito mal a saúde do bebê, no entanto infelizmente algumas mães ainda recorrem sobre este erro. Sei que não deve ser nada fácil para uma fumante ter que de uma hora para outra parar com o vício, mas pensando que esta atitude pode prejudicar seu pequeno filho que está por vir já é uma ótima causa.

O pulmão é o órgão que mais sofre com os efeitos do fumo, porque absorve todas as substâncias químicas existentes no cigarro. Algumas dessas substâncias  fazem com que os vasos sanguíneos, que abastecem de sangue o útero, fiquem mais estreitos, o que fará com que o bebê receba menos oxigênio e alimento do sangue, como deveria receber. Como consequência dessa debilidade, o bebê pode sofrer alguns riscos como:

- Pesar pouco ao nascer

- Nascer prematuramente

- Morrer por síndrome de morte súbita

- Desenvolver doenças respiratórias e alérgicas como é o caso da asma. Uma em cada 3 crianças nesse caso sofre de asma.

- Nascer com alguma má formação devido a diminuição dos níveis de vitamina C e B12.

Alguns estudos mostram que uma química potente que causa câncer, chamada NNK, se transmite aos bebês pelas mães que fumam. Outros também relacionam o hábito de fumar durante a gravidez, a que a mãe tenha um bebê com possíveis problemas de conduta e aprendizagem. Foi comprovado também que o consumo de cigarros, também pode provocar um aborto natural, ou uma gravidez extrauterina. Se você fuma e deseja engravidar, deve deixar de fumar antes. Se já estiver grávida, abandone o cigarro o quanto antes. Se em um caso extremo não puder deixar de fumar totalmente, reduza o número de cigarros a menos de três ao dia. Isso pode diminuir os riscos. Se estiver grávida e desejar deixar o cigarro pelo seu bebê, mas não estiver conseguindo, peça ajuda e apoio ao seu médico. O uso de produtos para deixar de fumar, só são permitidos sob orientação médica.

Fumar depois do parto

O fumo não é sadio para um bebê durante sua gestação nem depois do seu nascimento. Os bebês, assim como as crianças expostas ao fumo, têm maior probabilidade de sofrer com resfriados, problemas pulmonares e infecções nos ouvidos. Os pequenos se convertem em fumadores passivos. As gestantes que não fumam devem evitar a fumaça de outros fumantes. A exposição regular à fumaça, mesmo que seja de forma indireta, pode ser prejudicial ao bebê. Por essa razão, a gestante, ainda que não fume, deverá evitar os ambientes onde é permitido fumar.

Quer deixar de fumar?

Não exista motivação maior para uma gestante do que ter um bebê sadio e sem problemas. Se pensar nele, com certeza vai superar a tentação de fumar. Além disso, a gestante precisará tomar algumas decisões como se desfazer dos cigarros, isqueiros e cinzeiros. Procure também se distanciar dos lugares e pessoas que fumam. Peça ajuda e apoio ao seu marido, companheiro e amigos. Peça permissão ao seu médico para utilizar chicletes, medicamentos e outros produtos que possam ajudá-la a abandonar o cigarro. Não desanime se não conseguir evitar fumar. Se for necessário, recorra a alguns programas, alguns oferecidos pelo sistema público. Pense que se o seu bebê nascer com algum problema é provável que se sinta culpada. As consequências psicológicas serão piores para a mãe que fuma.

Não preciso nem falar que fumar durante a gravidez faz muito mal a saúde do bebê, no entanto infelizmente algumas mães ainda recorrem sobre este erro. Sei que não deve ser nada fácil para uma fumante ter que de uma hora para outra parar com o vício, mas pensando que esta atitude pode prejudicar seu pequeno filho que está por vir já é uma ótima causa.

O pulmão é o órgão que mais sofre com os efeitos do fumo, porque absorve todas as substâncias químicas existentes no cigarro. Algumas dessas substâncias  fazem com que os vasos sanguíneos, que abastecem de sangue o útero, fiquem mais estreitos, o que fará com que o bebê receba menos oxigênio e alimento do sangue, como deveria receber. Como consequência dessa debilidade, o bebê pode sofrer alguns riscos como:

- Pesar pouco ao nascer

- Nascer prematuramente

- Morrer por síndrome de morte súbita

- Desenvolver doenças respiratórias e alérgicas como é o caso da asma. Uma em cada 3 crianças nesse caso sofre de asma.

- Nascer com alguma má formação devido a diminuição dos níveis de vitamina C e B12.

Alguns estudos mostram que uma química potente que causa câncer, chamada NNK, se transmite aos bebês pelas mães que fumam. Outros também relacionam o hábito de fumar durante a gravidez, a que a mãe tenha um bebê com possíveis problemas de conduta e aprendizagem. Foi comprovado também que o consumo de cigarros, também pode provocar um aborto natural, ou uma gravidez extrauterina. Se você fuma e deseja engravidar, deve deixar de fumar antes. Se já estiver grávida, abandone o cigarro o quanto antes. Se em um caso extremo não puder deixar de fumar totalmente, reduza o número de cigarros a menos de três ao dia. Isso pode diminuir os riscos. Se estiver grávida e desejar deixar o cigarro pelo seu bebê, mas não estiver conseguindo, peça ajuda e apoio ao seu médico. O uso de produtos para deixar de fumar, só são permitidos sob orientação médica.

Fumar depois do parto

O fumo não é sadio para um bebê durante sua gestação nem depois do seu nascimento. Os bebês, assim como as crianças expostas ao fumo, têm maior probabilidade de sofrer com resfriados, problemas pulmonares e infecções nos ouvidos. Os pequenos se convertem em fumadores passivos. As gestantes que não fumam devem evitar a fumaça de outros fumantes. A exposição regular à fumaça, mesmo que seja de forma indireta, pode ser prejudicial ao bebê. Por essa razão, a gestante, ainda que não fume, deverá evitar os ambientes onde é permitido fumar.

Quer deixar de fumar?

Não exista motivação maior para uma gestante do que ter um bebê sadio e sem problemas. Se pensar nele, com certeza vai superar a tentação de fumar. Além disso, a gestante precisará tomar algumas decisões como se desfazer dos cigarros, isqueiros e cinzeiros. Procure também se distanciar dos lugares e pessoas que fumam. Peça ajuda e apoio ao seu marido, companheiro e amigos. Peça permissão ao seu médico para utilizar chicletes, medicamentos e outros produtos que possam ajudá-la a abandonar o cigarro. Não desanime se não conseguir evitar fumar. Se for necessário, recorra a alguns programas, alguns oferecidos pelo sistema público. Pense que se o seu bebê nascer com algum problema é provável que se sinta culpada. As consequências psicológicas serão piores para a mãe que fuma.

Boa sorte!!

 

Fonte: http://br.guiainfantil.com/


19 mai 2014

A importância do ácido fólico


folicoG

Mamães hoje vou falar de um tema recorrente aqui no Blog, e muito importante que é a ingestão de ácido fólico no pré e durante a gestação. Eu fiz uso dele e super indico, para mamães assim como eu que querem o melhor para seus bebês. – O ácido fólico é uma das vitaminas do complexo B, que ajuda no crescimento das células e na produção do DNA. Essa vitamina é especialmente necessária na etapa de crescimento, na adolescência e durante a gravidez. A vitamina B9 ou ácido fólico tem um papel fundamental no processo de multiplicação celular, portanto, é muito necessária durante a gestação porque é essencial para a produção dos tecidos e para a formação dos órgãos do embrião e do feto.

A importância do ácido fólico na gravidez

Alguns estudos mostram que as mulheres que consomem a quantidade de ácido fólico recomendada pelo médico, antes e durante os primeiros meses da gravidez, podem reduzir o risco de dar a luz a um bebê prematuro com baixo peso ao nascer ou com doenças no cérebro (anencefalia, quando o bebê nasce sem o cérebro ou somente com parte do mesmo, e não pode viver), na coluna vertebral (espinha bífida, quando a coluna do bebê não se forma corretamente) e no lábio leporino e palato (lábio leporino).

Tomar ácido fólico antes da gravidez é fundamental para a prevenção dessas doenças, que se desenvolvem subitamente após as três ou quatro semanas depois da concepção.

Reduz o risco de espinha bífida

Tomar ácido fólico é uma medida de prevenção simples e tem uma eficácia comprovada. Diversas pesquisas demonstram que previne em 78% a espinha bífida no feto. A espinha bífida é uma malformação congênita relativamente comum caracterizada por um fechamento incompleto do tubo neural (tecido embrionário que dá origem a coluna vertebral). Essa circunstância pode se produzir nas primeiras semanas de gestação, antes que o teste de gravidez dê positivo. Por isso, se a mulher busca engravidar, deve consultar o médico e tomar ácido fólico. Antes da gravidez, recomenda-se tomar suplementos de 0,4 mg de ácido fólico por dia, e se já estiver grávida, uns 6 mg de ácido fólico por dia, sempre com orientação médica.

Alimentos ricos em ácido fólico

A ingestão de ácido fólico não só beneficia o bebê, mas também pessoas de todas as idades. O ácido fólico cumpre um papel importante na produção dos glóbulos vermelhos, e por essa razão, beneficia quem sofre de anemia. Está comprovado que o ácido fólico pode reduzir o risco de doenças cardíacas, derrames cerebrais e de alguns tipos de câncer.

Essa vitamina se encontra principalmente em vegetais de folha verde, frutas cítricas, feijão e verduras. Os alimentos que mais contêm ácido fólico são: laranja, banana, brócolis, espinafre, ervilha, aspargos, amendoim, lentilhas e fígado de galinha. Outros alimentos com a farinha, o arroz, massas e os cereais podem conter ácido fólico acrescentado na sua fabricação. Se olhar o rótulo das embalagens, poderá saber a quantidade de ácido fólico que contém.

Suplemento vitamínico para a grávida

O ácido fólico, como todas as demais vitaminas, pode ser ingerido mediante alimentos ricos nessa vitamina ou através de suplementos. Para ingerir a quantidade de ácido fólico recomendada pelos especialistas, é preciso que:

1. Tome um suplemento vitamínico com ácido fólico que contenha 400 mg dessa vitamina.

2. Inclua em sua dieta diária, cereais enriquecidos com ácido fólico.

3. Aumente o consumo de alimentos com ácido fólico (massa, cereais, pão ou arroz).

4. Organize sua dieta para que inclua uma variedade de alimentos ricos em ácido fólico.


14 abr 2014

Aplicativos para Grávidas


A dica de hoje vai especialmente para as futuras mamães que são antenadas à tecnologia e não largam seus smartphones. Existe uma série de aplicativos hoje que podem ajudar você a acompanhar a gravidez ou se divertir com ela, veja estes cinco exemplos que podem ser bem interessantes e úteis durante a gestação.

Contraction Master:  Para as mamães  que querem um parto normal, este app vai ajudar a controlar a duração e intensidade de cada contração. O Aplicativo fornece também um gráfico com os dados inseridos que pode ser enviado para o médico por email para que ele também possa te ajudar a monitorar. Infelizmente o app só está em inglês. Disponível para iOS (US$1,99) e Android (R$4,39).

- Baby Gender: Esse é um aplicativo para as mamães que ficam curiosas sobre o sexo do bebê e ainda não podem fazer o teste. Baseado no calendário chinês ele diz a partir do dia que o bebê foi concebido qual o provável sexo dele. Se vc ainda não estiver grávida o aplicativo também “indica” o melhor mês para tentar fazer o bebezinho para que ele venha no sexo que vc quiser. Mas é tudo uma brincadeira né gente? Disponível para iOS e Android (os dois grátis)

- Minha Gravidez: Prático e útil, esse app ajuda as futuras mamães a irem acompanhando a sua gravidez dia a dia. Ele traz várias dicas e informações uteis para as grávidas. Uma funcionalidade bastante interessante são as “tarefas para gravidez” que te dão lembretes para te ajudar a se sentir mais preparada para a chegado do seu bebê. Disponível gratuitamente para iOS e Android.

-  Mommacise: Para as mamães que querem continuar em forma e atividades físicas durante a gravidez esse aplicativo vai te ajudar bastante!  Após cadastrar uma data prevista para o parto o app ajusta os exercícios para cada fase da gravidez. Apesar de estar só em inglês, quem tiver dificuldade no idioma não precisa se preocupar porque as ilustrações são bem explicativas. Disponível somente para iOS (US$2,99).

- LoveCycles: A nossa última dica é para quem quer engravidar. Este aplicativo é um calendário do ciclo de menstruação e a partir de informações, como peso ou temperatura do corpo,  vc fica sabendo os seus dias mais férteis. Existem vários aplicativos com a mesma função mas achei  esse um dos mais bonitinhos. Disponível gratuitamente para iOS e Android.

 

Na sequência, os ícones dos aplicativos apresentados: Contraction Master, Baby Gender, Minha gravidez Mommacisse e LoveCycles

Na sequência, os ícones dos aplicativos apresentados: Contraction Master, Baby Gender, Minha gravidez Mommacisse e LoveCycles

Bjo, bjo


14 jan 2014

enjoo matinal na gravidez


e

O enjoo matinal é muito comum. A maioria das gestantes sofre de náusea, e cerca de um terço delas sofre de vômito.

O enjoo matinal geralmente se manifesta no primeiro mês da gravidez e perdura até a 14a. à 16a. semanas (3º ou 4º mês). Algumas mulheres sofrem de náusea e vômito durante toda a gestação.

O enjoo matinal não prejudica o bebê de maneira nenhuma, a menos que a gestante perca peso, como ocorre no caso de vômito intenso. A perda moderada de peso durante o primeiro trimestre é comum quando as gestantes apresentam sintomas moderados e não prejudica o bebê.

A intensidade do enjoo matinal durante uma gravidez não é prognóstico de que a gestante sentirá o mesmo em gestações futuras.

Causas

A causa exata do enjoo matinal é desconhecida. Pode ser causado por alterações hormonais ou baixo nível de açúcar no sangue durante o início da gravidez. Estresse emocional, fadiga, viagens ou alguns alimentos podem piorar o problema. A náusea é comum na gestação e pode piorar em casos de gêmeos ou trigêmeos.

=> 15 receitas para diminuir o enjoo durante a gestação.

  1. Experimente ingerir alimentos de grande teor proteico ou de grande teor de carboidratos como amendoins, nozes, barritas de granola. Estes alimentos ajudam a absorver o excesso de ácido estomacal e o açúcar no sangue, que pode levar ao enjoo.
  2. Evite comidas picantes, gordurosas e queijos moles.
  3. Evite ficar com fome, coma e beba frequentemente em pequenas quantidades; evite o estômago cheio, ou vazio.
  4. Se não tiver de acordar a uma hora específica, então não o faça; descanse o mais que puder e tenha um dia descansada.
  5. Ande sempre com um rebuçado de menta consigo, por vezes chupar um rebuçado ou algo doce ajuda a diminuir a náusea.
  6. Tome um suplemento vitamínico juntamente com a sua maior refeição do dia.
  7. Mantenha uma toalha húmida ao lado da sua cama para colocar na sua testa ou sobre os seus olhos quando se sentir mal disposta.
  8. Tome chá ou suplementos de gengibre, em algumas grávidas funciona muito bem.
  9. Faça exercício, especialmente no exterior, o ar fresco ajuda sempre.
  10. Quando andar de carro opte por conduzir, isso diminuirá os enjoos drasticamente.
  11. Algumas mulheres conseguem ver melhorias se comerem algo antes de se porem a pé logo pela manhã. Comer um biscoito antes de sair da cama de manha poderá diminuir os enjoos.
  12. Tomar suplementos de vitamina B6 pode ajudar a evitar os enjoos.
  13. Com a permissão do seu médico, ingira um anti-ácido mastigável.
  14. Evite estar em locais com cheiros muito intensos, especialmente locais como a cozinha, os odores da comida são grandes causadores de náuseas.
  15. Experimente tratamentos alternativos como a acupunctura ou acupressura.

Aproveitem as dicas,

Bjo, bjo


04 set 2013

Gravidez após os 40


1

O motivo que são contra a gravidez tardia é simples, ela pode colocar em risco a vida da mulher. Segundo o ginecologista Rodrigo Mirisola, quanto maior a idade da mulher, maior o risco. Nós consideramos gravidez de risco quando ela ocorre após os 40 anos. A paciente pode apresentar complicações sérias, como hipertensão e diabetes gestacional. Sem contar que, em geral, as mulheres mais velhas têm outras doenças que podem se agravar.

Outra questão agravante é o preparo físico da paciente. Normalmente, as mulheres mais velhas não têm a mesma disposição. Algumas sofrem de osteoporose, problemas de circulação e obesidade.

Não há nenhuma lei que limite a idade de reprodução e, muito menos, que proíba uma gestação assistida após os 50 anos – idade máxima recomendada pela SBRA (Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida) para engravidar. Mas Mirisola acredita que os médicos devem agir com bom senso e ética. “Uma lei serviria somente para formalizar uma regra já imposta pela ética. Eu contraindicaria a gravidez assistida nesses casos”, reforça.

Tipos de reprodução assistida

O processo de reprodução assistida auxilia a procriação humana em casos de infertilidade. Existem duas técnicas principais, sendo a mais antiga e simples a inseminação artificial. Por esse método, a fecundação ocorre dentro do corpo da mulher. Como o espermatozoide não consegue alcançar o óvulo, o sêmen é inserido no colo do útero – parte inferior e estreita do útero — ou diretamente no útero. Essa técnica é ideal para casais que não apresentam problemas graves de infertilidade, mas que têm dificuldade de ovulação ou baixa quantidade de espermatozoide.

A outra técnica é a FIV (Fertilização In Vitro), em que o óvulo feminino é retirado do corpo da mulher e fecundado por um espermatozoide em laboratório. O processo começa com o estímulo da ovulação, seguido da retirada do óvulo com uma agulha introduzida no canal vaginal, da coleta dos espermatozoides e, finalmente, da fertilização. Se esta for bem-sucedida, o embrião é transferido para o útero. Essa técnica é indicada para mulheres com problemas nas trompas, sequelas de infecções e endometriose.

Existe um método mais moderno chamado ICSI (Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides), que funciona mais ou menos como a FIV, com a diferença de que a agulha é oito vezes mais fina que um fio de cabelo, o que causa menos desconforto à mulher na hora de retirar o óvulo.

Não existe regra, e quem falará que uma mulher não tem o direito de ser mãe, só porque é mais velha?!?!

Eu indico e recomendo, não deixem esta emoção passar por vocês, aproveitem, pois é uma forma de conhecer o amor incondicional.

Bjo, bjo

 

Fonte: http://drauziovarella.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 2 de 1212345...10...Última »