21 jan 2013

37º semana – Bernardo está chegando


Iphone Fê 20.01.13 031

Ontem entrei na 37º semana, nunca pensei que fosse ser tão difícil me manter bem nesta fase final. Não que eu esteja doente, mas não sei mais, o que é ver meus pés e mãos sem estar inchados, minha lombar grita diariamente pedindo SOCORRO , me sinto constantemente cansada e a barriga então, já já explode.

Brincadeiras a parte o motivo pelo qual estou escrevendo este post, é porque além dos cuidados que continuo tomando como: andar pelo menos 50 minutos, (esta semana consegui ir 4x), RPG 2x por semana, drenagem 3x agora nesta fase final… a única atividade que me satisfaz é a caminhada na piscina…

Infelizmente, não consigo andar diariamente, ou por falta de tempo ou o clima que também não ajuda muito, mas hoje depois de uma boa caminhada no Ibirapuera, fiquei uma meia hora andando na piscina. Lá esqueço completamente do peso da barriga, me sinto quase um golfinho, saltitando e até mesmo dando cambalhotas. E o melhor quando saio meus pés e mãos quase voltam ao normal e eu esqueço completamente o que é levar este peso na barriga que acaba com as minhas costas…

Independente de todas estas chatices, desde a 36º semana preciso fazer monitoragem e aquele ultrassom com doppler semanalmente para acompanhar a vitalidade do meu pequeno Be. E eu digo é uma das maiores alegrias e emoção quando ao final do exame ele me mostra o Bernardo pelo 3D. Juro que neste momento quase me esqueço de todo o mal estar deste final de gestação.

Então leitoras, este é o meu lindo…

E não se esqueçam para as que tem oportunidade andem na água ou pelo menos fiquem imersa uns 30 minutos na banheira com água morna.

Bjo, bjo

Iphone Fê 20.01.13 015

 

 


09 jan 2013

Estresse durante a gravidez


AA

Muitas pesquisas já comprovam que o estresse durante a gravidez pode causar alguns problemas de saúde e no comportamento de seu bebê. Mas qual mulher não passa por situações difíceis nesse período? Não adianta ficar preocupada e muito menos aflita pois estes efeitos negativos são facilmente eliminados com muito amor e carinho.

Um novo estudo com três universidades britânicas, realizados com 271 mamães de primeira viagem, mostrou que o toque materno reduz a atividade dos genes da criança que respondem ao estresse. ” Se o ambiente estiver favorável e seguro, o bebê também ficará mais calmo. E isso é algo instintivo: Pegar no colo, interagir e amamentar são situações naturais de cuidado que ajudam a tranquilizar seu filho.

Por melhor que seja o conselho, ainda é comum encontrar mamães que só recorrem a médicos ou especialistas quando algum problema relacionado à gravidez já foi notado. Poucos se previnem antes que algo de ruim aconteça. O “check up” antes da concepção é tão importante quanto o pré-natal.

Um grande estudo realizado na Dinamarca indicou que as mulheres que tiveram grande período de estresse até seis meses antes de engravidar podem ter um parto prematuro. Isso poderia ser evitado caso houvesse ações preventivas na fase pré-natal.

Os pesquisadores dizem que os hormônios que regulam a ovulação (implantação do óvulo e formação da placenta) aumentam quando há eventos estressantes. Foi detectado alto nível desses hormônios nas placentas das mamães que tiveram seus filhos prematuramente.

O parto prematuro não está somente relacionado ao estresse antes da gravidez. Os estudiosos relatam que outros fatores desencadeantes de estresse podem ser fatores que levam a um parto prematuro. Citando alguns: tensão no trabalho, problemas financeiros ou desentendimentos com o parceiro antes da gravidez.

Portanto, uma consulta com o médico antes de engravidar é fundamental para preparar o organismo da mulher para receber o futuro bebê, evitando de maneira simples complicações sérias no futuro.

Risco – Eis algumas recomendações às futuras mamães para uma gravidez mais tranqüila. Pare de fumar, beber ou usar drogas. Consuma ácido fólico três meses antes da concepção, importante para a prevenção de má-formação no feto. Melhore a qualidade da alimentação (troque salgadinhos por frutas).

Cuide de pequenas infecções, como urinária e genital, que se tornam um risco à gravidez.

As mulheres devem lembrar sempre que a gravidez é a formação de novo serzinho dentro da suas barrigas e todo cuidado é pouco para o seu bem estar. Agora a saúde não é mais só dela e, sim, dos dois.

Pense no melhor momento para engravidar, não é no meio de uma crise com seu marido ou quando estão exigindo muito de você no seu trabalho que é hora de um bebê. Quando estiver tudo tranqüilo é hora de pensar no seu futuro bebê.


18 dez 2012

Sua libido diminuiu na gravidez?


Mamães como devemos fazer quando estamos grávidas e a nossa vontade de fazer sexo diminui? Acredito que assim como eu, muitas devam estar passando por esta situação, mas como podemos entender melhor estas alterações? Encontrei um texto no site do GNT que acredito poderá nos ajudar. Boa leitura.

Devido às oscilações hormonais que as mulheres sofrem durante a gravidez, há um período em que a grávida está mais propensa ao sexo e outro, menos. Não há regras e cada mulher tem uma sensibilidade diferente. O fato é que a lubrificação vaginal é reduzida somente no período da amamentação, ou seja, após o parto. Isso ocorre pela falta do hormônio estrogênio, típica dessa fase. “Nesses casos, podem ser usados lubrificantes comuns, sem restrição.”, afirma a ginecologista e obstetra Denise Gomes.

Ou seja, a lubrificação vaginal tende a ser maior durante a gestação, enquanto a libido é inconstante ao longo dos nove meses de gravidez. “Aproximadamente, um terço das pacientes tem diminuição da libido por várias razões, como mudanças corporais, dificuldades na relação de casal ou alterações hormonais”.

Mas é a partir do quarto mês que muitas mulheres sentem um desejo maior pelo parceiro, e é neste momento que ela se sente mais bonita e mais desejada: “Normalmente, a libido tende a aumentar perto do primeiro trimestre, a diminuir um pouco no meio da gestação, ou seja, no segundo trimestre, e a voltar a subir no final da gestação, a partir do terceiro trimestre”.

Comigo que estou chegando aos finalmente, 31 semanas completas hoje diminui bastante, primeiro porque não consigo me sentir nada atraente, e o cansaço, dores nas costas e as pernas e pés inchados me deixam completamente indisposta. E olha que engordei até agora 9Kg e continuo mantendo as atividades físicas.

E como você como está sendo???

Bjo, bjo


17 dez 2012

Cuidados que as gestantes devem ter nas festas de final de ano


Fim de ano todo mundo já sabe: festas com os amigos, compras de natal, shoppings lotados, encontros de familiares, viagens e muita agitação.

Para curtir as comemorações sem grandes transtornos, algumas dicas são importantes de serem seguidas pela mulher que está grávida. Sem exageros, a gestante pode fazer tudo. Ou quase tudo.

Confira abaixo algumas dicas de como celebrar o fim de ano da melhor maneira possível à espera do seu bebê:

Alimentação da grávida durante as festas

Durante o fim de ano ou ao longo de toda a gravidez, a recomendação é sempre a mesma: todos os excessos devem ser evitados. Se a mulher não tem contraindicação, como diabtes, por exemplo, ela pode comer de tudo. Só não pode esquecer que é importante comer de três em três horas. Como a ceia é um pouco mais tarde, o ideal é se alimentar nesse intervalo.

Prefira saladas, evite comidas condimentadas e, claro, o excesso de gordura. A grávida pode experimentar um pouquinho de tudo e evitar o clichê de que está comendo por dois. O grande pecado da alimentação em geral é o exagero

Carnes e sobremesas fazem parte da lista dos liberados, mas com cautela. Evite carnes cruas e alimentos que podem ter risco de salmonella, como maionese, fio de ovos, alimentos com ovos, ou muito gordurosos. A digestão na gravidez já é mais lenta e dificultada por conta do metabolismo alterado e as mudanças hormonais. Doces estão liberados, mas, se possível, opte pelas frutas. Cuidado com as frutas cristalizadas, que têm muito açúcar e podem contribuir para o aumento de peso e acúmulo de gordura.

Hidratação: tenha sempre uma garrafinha por perto

A hidratação na gestação é duplamente importante, principalmente durante a estação mais quente do ano. A melhor amiga da grávida é uma garrafinha de água. Ela precisa beber, no mínimo, de dois a três litros de água por dia. Se a mulher for à praia ou fizer exercícios no calor, deve ingerir ainda mais líquido, pois o calor pode provocar queda da pressão, enjoos e até tonturas.

Não vá sozinha para as compras

Um café da manhã reforçado, garrafinha de água na bolsa e muita disposição. Se chegou a hora de fazer as compras de Natal e você não quer fazer os pedidos pela internet, opte pelos períodos com menos movimento, pela manhã e durante a semana. Os shoppings são boas opções pela refrigeração, mas evite andar sozinha. Pode cair a pressão arterial por causa do calor. Quando chegar em casa, descanse. Coloque as pernas elevadas a 45º, de 30 a 40 minutos, para repousar e melhorar a circulação das pernas.

Viagens

Se você vai viajar, pergunte ao seu médico se você está liberada para isso. Em alguns casos, a grávida não pode pegar avião e até as empresas aéreas exigem comprovação médica de que você pode embarcar. Também é importante saber se o seu obstetra vai viajar e ter todos os contatos dele para qualquer emergência.

Aproveite as festas sem culpa

Não existe restrição para os horários em que a gestante deve dormir ou até que horas pode ficar acordada, mas é recomendado que ela tenha horas pontuais de repouso. Se ficar muito tempo sem dormir a mulher pode ficar irritada, afetando o bebê, porque eles estão ligados e os hormônios dela passam para ele. Se a grávida quiser curtir uma festa, pode ir sem culpa desde que compense no dia seguinte, colocando as pernas elevadas e descansando. Desde que o som não esteja incomodando a gestante, o volume e a gritaria dos ambientes de festas não atrapalham o bebê. – Só cuidado com as aglomerações, pois a gente nunca sabe o que pode acontecer.

Boas Festas,

Bjo, bjo


05 dez 2012

Mudanças Emocionais


A gravidez faz com que a mulher vivencie diferentes emoções, como alegria, satisfação, angústia, medo, insegurança, tristeza. As primeiras modificações do corpo podem ser vividas como uma experiência desestabilizante, no meu caso, foi um ponto super negativo, pois afetou e muito a minha auto-imagem. A maneira que reagimos a estes sentimentos varia de pessoa para pessoa, e também pode afetar nosso convívio familiar, com amigos e principalmente com nossos maridos. Nesse sentido é importante que todos conheçam algumas situações para evitar desentendimentos e conflitos desnecessários no dia-a-dia.

Instabilidade emocional

É muito comum que nós gestantes apresentemos, principalmente nos primeiros meses de gravidez, grandes e repentinas mudanças de humor. É comum também que os sentimentos em relação à gravidez e a sua futura condição de mãe oscilem, estando hora preocupada e com medo e hora alegre e empolgada. (Será que só eu sou assim?!)

Em parte, estas mudanças podem estar relacionadas às alterações hormonais da gestação que desencadeiam crises muito parecidas à TPM (malditos hormônios!!) como; maior irritabilidade, mudanças repentinas de humor, vontade de chorar. Por outro lado, fatores como em que momento se deu esta gravidez, o quão segura você se sente para ser mãe, e se tem com quem compartilhar seus sentimentos, também podem influenciar e muito o seu estado emocional.

O que fazer neste caso?  – Nem sempre as pessoas ao redor da gestante estão preparadas para lidar com suas emoções. Nesse sentido, escutá-la abertamente, interrompendo o mínimo possível a sua fala e evitando julgamentos e preconceitos pode ajudá-la muito. Ter alguém com quem possa conversar e dividir seus sentimentos nos alivia, pois ao falar e nos sentirmos atentamente ouvidas, existe a possibilidade de entendermos melhor o que está acontecendo.

Já quando se trata de adolescentes, a ambiguidade e os sentimentos contraditórios são características comuns e, no caso de uma gravidez, essas podem se tornar ainda mais intensos.

Ansiedades e preocupações

A gravidez inicia uma fase de grandes mudanças. E, como toda a mudança, é comum que a gravidez também cause as mais variadas inseguranças, ansiedades e preocupações. Nem sempre é fácil lidar com estas mudanças e, na maioria das vezes, ter pessoas de confiança com quem se possa contar nestas horas, pode ser de grande ajuda.

A maneira como cada gestante manifesta, lida e reage às mudanças, varia muito de pessoa para pessoa e de contexto para contexto. Por isso, a recomendação de escutar abertamente, evitando julgamentos também é válida neste caso. A partir das preocupações trazidas pela gestante pode-se pensar junto com ela alternativas para as dificuldades encontradas.

Esquecimento e distração

Durante a gravidez, é comum sentir maior dificuldade para se concentrar, falar ou se lembrar das coisas. Isto faz com que a gestante possa se sentir confusa e atrapalhada. Estas alterações deixam de existir após o parto.

O que fazer: Levar essas informações para a gestante ajuda a tranquilizá-la e facilita a convivência com as pessoas próximas a ela, pois se tornam mais compreensivas, tolerantes e pacientes.

Aproveitem as dicas.

Bjo, bjo

 

Fonte: http://www.portalbebe.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 4 de 12« Primeira...23456...10...Última »