20 out 2014

Como trocar a fralda do seu bebe, passo a passo


aa

Trocar a fralda do bebê requer um pouco de prática, mas até que se consiga, é bom saber primeiro bem a teoria. Vou listar o passo a passo que vai desde limpar o bumbum do bebê, aplicar o creme, colocar a fralda limpa e fechá-la corretamente para que não aconteçam surpresas desagradáveis.

O que você precisa para trocar a fralda do bebê

Antes de tirar a roupinha do bebê prepare o necessário:

–  Trocador. Dispor de um trocador alto para não dobrar as costas durante o processo da troca de fraldas é prático e cômodo. É bom lembrar que nunca deve deixar o bebê sozinho. Um segundinho pode ocasionar uma queda. Caso não esteja em casa, coloque o bebê sempre num trocador impermeável e dobrável em uma superfície rígida e segura para evitar sujar mais do que o necessário.

–  Fralda limpa, toalhinhas úmidecidas e creme contra assaduras. Tenha à mão a fralda limpa, as toalhinhas e o creme protetor para evitar se locomover sem necessidade.

Vamos ao passo a passo

*Coloque cuidadosamente o bebê de barriga pra cima no trocador ou numa superfície segura, sólida e limpa, de preferencia onde o bebê se sinta confortável.

* Tire a roupinha do bebê apenas da cintura para baixo. Retire as fitas autoadesivas da fralda suja, abra e levante as pernas do bebê e feche a fralda com segurança a parte da frente contra a de trás. Caso haja cocô, utilize a parte da frente da fralda para limpar a pele, sempre no sentido da frente para trás. Coloque o bumbum do bebê sobre a parte externa da frente da fralda.

*Levante as pernas do bebê e limpe a pele do seu bumbum com uma toalhinha úmida. Se for uma menina, sempre no sentido da frente para trás, ou seja, da vagina até o bumbum, para evitar possíveis infecções. Se o seu bebê é um menino, limpe o pi pi igualmente as dobrinhas e o resto da área da fralda sem tentar forçar a separação entre a glande e o prepúcio.

* Seque cuidadosamente a área com uma toalhinha seca, principalmente nas dobrinhas da pele.

Aplique creme contra assaduras para isolar a pele da umidade ao redor do bumbum e entre as pernas. Assegure-se de espalhá-la bem e lembre-se de que não é necessário aplicar grande quantidade.

* Levante as pernas do bebê, feche a fralda suja, feche com as fitas autoadesivas e retire-a.

* Abra a fralda limpa e coloque-a debaixo do bumbum do seu bebê. Erga a parte da frente cobrindo suas genitais. Se seu bebê é um menino, assegure-se que seu pintinho fique apontado para baixo para que a fralda possa reter sua urina.

* Uma vez que a parte dianteira está da mesma altura que a traseira ao redor da cintura do bebê, pode fechá-la utilizando as fitas autoadesivas que se encontram em ambos os lados da parte traseira da fralda. Deverá ajustá-la o suficiente sem apertar muito, nem solto demais para não deixar escapulir nada.

Momentos de higiene como esse, vão acontecer muito durante o dia. No princípio, quando são recém-nascidos, leva mais tempo, pois deve executá-lo com muito cuidado. Depois as trocas de fraldas tornam-se mais rotineiras, mas o importante é saber aproveitar essa rotina de asseio como um momento especial para compartilhar carinho, palavras doces, massagens e brincadeiras com seu bebê.


22 set 2014

Herpangina, vc sabe o que é? Você pode confiar no seu médico?


Mamães, esta semana tive o maior susto, meu pequeno Be apareceu com 38,5 de febre do nada, ele estava muito bem num dia brincando e correndo para todo lado e no outro dia, acordou com um febrão sem querer comer e só queria ficar no colo. Como uma mãe de primeira viagem que logo se apavora, liguei para o médico e marquei uma consulta de urgência. => Este post tem dupla função a primeira, é descrever um pouco o que é a herpangina e a segunda é alertar para o mal serviço dos médicos.

Fui no consultório do pediatra do Be que não estava em SP e por isso fui atendida pela médica substituta, tentei marcar com o irmão dele mas a secretária me disse que não tinha como ver o Bernardo e o máximo que conseguiria era me agendar com a médica que estava substituindo o meu pediatra oficial.

Então com o quadro do Bernardo, não escolhi muito peguei o pequeno e fui para o consultório, lá assim que a médica o viu disse que ele estava com síndrome do pé, mão, boca também chamado de vírus cosxackie. (A síndrome leva esse nome, pois a sua característica é a presença de feridas avermelhadas na planta dos pés, mãos e interior da garganta.) Até então ok, fiquei morrendo de peninha mas ela me disse que em até 5 dias o Bernardo estaria bem. Foi então que ao final da consulta fiquei muito assustada, ela me receitou Alivium 100mg + Novalgina kids por conta das dores e da febre e uma mistura de 5mg de Polaramine + 5 mg de Mylanta Plus… GENTEEEEE, como assim, ela acaba de me dizer que meu pequeno está com um vírus que deixa a boca cheia de feridinhas e quer receitar POLARAMINE (anti alérgico)?!?!?

É claro que sai de lá e rapidamente marquei um segundo pediatra, se  muitas das minhas amigas me vissem fazendo isso diriam que sou neurótica!! No final da tarde fui novamente em outro pediatra, o que acompanha o Bernardo desde bebê e ele me disse Fernanda, Bernardo está com Herpangina ( doença que pode ocorrer com mais frequência na estação do verão, e se caracteriza por lesões vesiculosas e ulcerativas na boca das crianças, afetando o paladar (língua), a faringe, as amídalas, etc. A criança menor de 5 anos, poderá apresentar febre alta, vômitos, diarréia, dor de garganta e muita babação. A duração desses sintomas é de 2 a 7 dias, aproximadamente) e precisa esperar até 5 dias para melhorar… De para ele novalgina de 6 em 6h pois ele deve estar além da febre dor no local e é por isso que está babando tanto, pois não consegue engolir a saliva. Ai eu lógico que questionei sobre a indicação de Polaramine, como fiquei sem graça de dizer que eu havia ido em outro pediatra, disse que havia passado no PA do Einstein e que me receitaram isso. Ele disse que não tem nada haver este diagnóstico e o Polaramine quando muito só serviria para deixar o Bernardo dopado com sono. 

Mamães, este post serve como alerta, sempre que ouvirem algo de seus médicos que não concordarem, busquem informação na WEB e de preferencia uma segunda opinião, no meu caso foi o melhor que fiz.. Be está no segundo dia, ainda muito irritado, sem querer comer, mas graças a Deus sem febre. Cuidem, pois está tendo um surto deste vírus aqui em SP, DF, BH, CE e BA. Se puderem optar por não deixar seus pequenos em lugares com muita gente e fechado, tipo brinquedotecas de shopping e tal, evitem, para o bem deles, pois esta doença é bem chatinha.

Para maiores esclarecimentos sobre a HERPANGINA clique aqui!

herpangina-1

Bjo, bjo

 


08 set 2014

10 dicas de como prevenir doenças respiratórias no inverno


2.1

No inverno, as doenças respiratórias afetam principalmente as crianças. Entretanto, com algumas dicas simples é possível evitar as doenças que se manifestam nesta época do ano, por causa das baixas temperaturas, o tempo seco e ao aumento da poluição na cidade.

O profissional alerta que o uso de antibióticos está contraindicado, a menos que haja alguma complicação bacteriana. “Se no terceiro dia da doença, o quadro se mantiver ou agravar com persistência de febre, recusa de alimentação, aparecimento de vômitos, cansaço para respirar ou diminuição da urina, é importante levar a criança imediatamente para uma avaliação com o pediatra”, esclarece Horng Jyh.

Já bebês precisam de cuidados especiais. “Os menores de dois anos de idade são mais propensos a problemas respiratórios severos, pois suas defesas imunológicas ainda são fracas e a capacidade respiratória é baixa. Portanto, se tiverem febre ou aparentemente um simples resfriado, é preciso o encaminhamento ao especialista com urgência”, ressalta o médico.

Nesta época do ano também é necessário ter cuidado com os sintomas da bronquite, doença causada por vírus que atacam os brônquios e bronquíolos (pequenos canais dentro dos pulmões que levam o ar para as trocas de gases) levando ao inchaço na parede destes canais e gerando muitas secreções, o que causa grande dificuldade para respirar, com tosse, cansaço e chiadeira no peito.

Confira as dicas de prevenção:

Não levar os filhos com resfriado para a escola ou creche, pois além do repouso necessário para a recuperação, será evitado que a criança transmita o vírus para as outras crianças;

Evitar que pessoas com gripes ou resfriados fiquem em contato direto com os seus filhos pequenos, dentro da sua própria casa. Caso os pais ou irmãos maiores estejam com resfriado, é recomendado o uso de máscaras comuns (vendidas em farmácias) quando estão perto destas crianças, especialmente, se for um bebê;

Evitar sair de casa com bebês com menos de quatro meses de idade para lugares com aglomerações de pessoas. Nessa idade, as defesas do organismo ainda não estão desenvolvidas, sendo muito mais propenso a contrair doenças com mais complicações;

Manter a vacinação adequada e em dia;

Fazer o aleitamento materno que, além de ser o alimento ideal para os bebês até o sexto mês de vida, transmite anticorpos da mãe que os protegerão de um grande número de doenças;

Manter a casa e principalmente o quarto das crianças arejado e limpo. É importante não ter nada que possa acumular pó, pois os ácaros (grande causador de alergias respiratórias) costumam se fixar em objetos como bichinhos de pelúcia, tapetes, cortinas, protetor de berço, mosquiteiro, almofadas, caixas de brinquedos, entre outros;

Manter os animais de estimação no quintal;

Não fumar e não permitir que fumem dentro da sua casa, em nenhum cômodo, pois a fumaça de cigarros irrita as vias respiratórias;

Consultar sempre um pediatra e procurar evitar de ir ao Pronto Socorro com o seu filho sem necessidade, pois neste local ele poderá ficar ao lado de outras crianças que podem estar com doenças contagiosas graves;

Nesta época de clima mais seco, deve-se umidificar os ambientes nos quais o seu filho passa  maior tempo, para amenizar possíveis irritações de pele e mucosas.

 

Fonte: http://guiadobebe.uol.com.br/


03 set 2014

Alimentos que crianças até dois anos não devem ingerir


2

Cuidar da alimentação dos pequenos não é nada simples. Especialmente em tempos onde a indústria alimentícia maquia seus produtos como nutritivos e incentivam os pais à compra para “facilitar” o dia a dia.

Há, também, a dúvida dos pais na hora de alimentar as crianças logo depois que passam pela fase de amamentação.  Quando os bebês chegam aos 12 meses, além de criarem mais autonomia pela curiosidade de experimentarem novos sabores, existem os vovôs e vovós, tios, tias, padrinhos, madrinhas e mais um monte de gente que vai querer alimentá-los com “comidinhas gostosas”, acreditando ser um agrado saudável.

Por isso, é importante a orientação de profissionais ou, pelo modo mais rápido, buscar informações em sites com fontes confiáveis e estar sempre alerta e saber o que dar de comer para as crianças.

Dentro do universo da comida, há uma série de alimentos que não devem ser ingeridos até que a criança complete dois anos de idade. Portanto, é importante ler a embalagem dos rótulos para saber a composição e observar a idade indicada para consumo.

A seguir, uma lista com 16 alimentos que devem ser definitivamente eliminados da alimentação das crianças até completarem o segundo ano de vida:

1. Chocolate

Deixe de lado a tentação. Chocolate é rico em açúcar, gordura e cafeína. O consumo destes ingredientes deve ser evitado, ao máximo, até os dois anos de idade.

2. Balas, pirulitos

Não! São coloridos, cheirosinhos e docinhos, mas, definitivamente, não devem ser ingeridos pelas crianças. Além do risco de engasgar, é açúcar puro.

3. Achocolatado

É, você vai ter que escolher outro ingrediente para fazer o “tetê” do neném. Achocolatados são puro açúcar. Nas embalagens, alguns fabricantes alertam o consumidor para que até 3 anos de idade, este produto não deve ser consumido.

4. Café

Este item pode parecer óbvio, mas já vi papais e mamães darem café para os pequenos naturalmente. Mas não! A cafeína deve ser evitada até os 7 anos de idade.

5. Salgadinhos, biscoitos e bolachas doces e recheadas

Reunião de porcarias: são ricos em sódio, ingredientes transgênicos, glutamatos, corantes e gorduras.  Evite ao máximo! Açúcar é um veneno.

6. Embutidos (peito de peru, salsicha, mortadela, presunto, salame)

É tudo ruim: riquíssimos em sódio, gorduras, conservantes, corantes, nitrato (responsável por dar a cor avermelhada), que é altamente cancerígeno. Independente da idade, estes alimentos fazem  mal pra caramba. Não dê às crianças e aproveite para evitar o consumo e cuidar da sua saúde também. Prefira queijos e patês caseiros com ingredientes saudáveis.

7. Refrigerante

Puro veneno e deve ser completamente excluído na alimentação dos bebês. E na sua também!

8. Bebidas achocolatadas prontas

Ricos em gorduras e açúcares. Não dê aos pequenos. Deixe a preguiça de lado e prepare um leite batido com frutas bem gostoso!

9. Bebidas lácteas

A grande maioria destas bebidas é rica em açúcar, conservante e corante. Salvo algumas marcas que vendem realmente iogurte natural batido sem conservantes. Busque por estes produtos de verdade e abuse na imaginação para preparar coisinhas gostosas para as crianças.

10. Leite fermentado

Tem a vantagem dos probióticos mas são ricos em açúcar. Portanto, é melhor que as crianças tomem apenas depois dos dois anos de idade.

11. Bebida à base de soja

Excesso de açúcar.

12. Petit Suisse

Tem nada de bom nestas sobremesas rosinhas, cremosas e geladinhas. Grande atrativo da criançada, o petit suisse tem conservante, açúcar e corante. Evite!

13. Sucos industrializados com açúcar

Além de ter uma composição sem benefícios para os menores de 2 anos, estes sucos não são nem um pouco saudáveis e de frutas não há nada.

14. Comidas prontas industrializadas (nuggets, hambúrgueres, almôndegas, lasanhas, etc)

Dar comida pronta industrializada para as crianças já é um erro da preguiça dos pais.  Para completar, estes alimentos contém sódio, espessantes, nitrato, gordura. O caseiro nunca vai deixar de ser a melhor opção.

15. Gelatina

Corante e açúcar. Dois ingredientes que tem que ser eliminados na alimentação das crianças. Gelatina, só depois dos 2 anos de idade.

16. Macarrão instantâneo

Excesso de sódio. Não! Nem só o macarrão você pode dar às crianças porque macarrão instantâneo é pura porcaria.

 

Fonte: http://comendocomosolhos.com/


19 ago 2014

Pós parto – Quando estamos liberadas?


 

AASe dependesse das nossas mães e avós, o pós-parto, as primeiras seis ou oitos semanas seguintes ao nascimento do bebê – seria uma verdadeira tortura para nós: nada de lavar a cabeça, sair de casa e repouso absoluto por um mês. Tudo bem que o nosso corpo precisa realmente de um refresco depois de tantas mudanças. Mas, com orientação médica e atenção redobrada, podemos voltar à vida (quase) normal de forma gradativa e sem tanto drama.

Veja abaixo este artigo que peguei no site da GNT, com dicas de como e quando voltar as atividades.

A médica obstetra Patrícia Maganha, é também mãe de três filhos e diz que não é preciso ser tão radical: É importante retomar aos poucos o que traz prazer ou uma sensação maior de normalidade. O bom senso é o que direciona a decisão de como deve agir nesse período, ensina.

Na dúvida de quando partir para a ação e relembrar os bons tempos de antes do barrigão? A gente ajuda:

 

Dirigir

Quem diria que um dia você ia sentir falta de pegar um engarrafamento atrás do volante, hein? A turma do parto normal está liberada para dirigir 30 dias após o parto. Por causa da necessidade de recuperação dos músculos cortados durante a cesárea, esse prazo é de 40 dias para que a cicatrização seja mais saudável.

Fazer mercado

Lembre-se: há uma grande diferença entre ir ao supermercado comprar frutas e verduras frescas e uma compra de mês. Com isso em mente, planeje para que o retorno a essa atividade seja gradual e de acordo com suas limitações. Em 60 dias você está liberada para encher o carrinho!

Pegar filho mais velho no colo

Difícil saber que vamos precisar esperar dois meses para pegar nosso bebê mais velho no colo, mas é por um bom motivo: você tem que se recuperar bem para continuar cuidando dos dois (ou três) por muito tempo! Isso não quer dizer que um colinho sentado no sofá ou deitado na cama está proibido, viu?

Voltar para a academia

Nada impede de você fazer caminhadas leves quando começar a se sentir mais bem disposta e sem dor. Mas, pegar mais pesado para mandar os quilinhos extras pro espaço vai precisar esperar um pouquinho. Renove sua matrícula na academia três meses após o parto. Porém, os exercícios que trabalham a musculatura abdominal em pós-cesariana devem esperar entre quatro a seis meses para entrar na sua série.

Sair com os amigos

Nada de ficar em casa descabelada, de camisola e uma fraldinha pendurada no ombro o tempo todo. Se você está se sentindo bem, com a cabeça no lugar, vai estar pronta para cuidar melhor dos filhotes. Combine uma saída com o maridão ou as amigas após o primeiro mês de resguardo. Se divertir é também um ótimo remédio!

Fazer sexo

A pergunta que dez entre dez maridos pedem para as mulheres fazerem ao seu médico tem resposta: 40 dias para quem fez uma cesárea, 30 para o parto normal. Não adianta colocar no calendário sem levar algo muito importante em consideração: por causa das alterações hormonais e emocionais, seu desejo sexual pode estar diminuído. Sem contar que há uma menor lubrificação durante essa fase, o que pode provocar ardência e incomodo vaginal. Que tal começar com uns carinhos e ver o que rola depois?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 4 de 59« Primeira...23456...102030...Última »