15 mar 2016

Como não descontar as emoções na comida


Mamães, quanto tempo eu não aprecia por aqui, me desculpem, mas não está fácil minha vida de mamãe, trabalho e blogueira… Infelizmente este meu hobby tem perdido cada vez mais espaço para o tempo livre que tenho ser dedicado apenas ao Bernardo e não dividir este tempinho com mais nada!!

Recebi um artigo do site Babycenter, super interessante, até porque se aplica não só a fase da gravidez, basta termos algum stress que garanto que mais de 80% das mulheres assim como eu desconta na comida, e aqui vocês poderão encontrar dicas que ajudam a minimizar estes prejuízos.

Vamos ver se eu fico mais presente, saudades de vc´s…

Bjo, bjo

AA

“…Quando está feliz, você comemora com um docinho, mesmo que ele não seja nem tão maravilhoso assim? Devora um pacote de batatinhas ou um pote de sorvete quando está estressada ou deprimida? Se você faz isso, há chances de que você tenha uma relação emocional com a comida.

Quase todo mundo usa a comida para domar os sentimentos. Aprendemos antes mesmo de aprender a falar, já que a reação mais comum ao choro do bebê é dar comida. Assim, desde muito cedo, a comida se transforma em um mecanismo de conforto psicológico.

Existem alimentos que realmente provocam a sensação de bem estar, ao ativar neurotransmissores que atuam no cérebro.

O problema é que o cérebro leva cerca de 20 minutos para perceber que seu estômago já está cheio. E, nesse intervalo, o que começou como sensação de bem estar pode muito bem terminar com uma sensação de estufamento, indigestão e fadiga mental.

É o que acontece quando, no entusiasmo da emoção, você devora três fatias daquele bolo de chocolate delicioso que lembra a sua infância, e depois só de pensar nele tem vontade de vomitar.

Faça um diário do que come e do que sente

Comer pode até distrair você das preocupações, mas só funciona naquela hora. Os problemas voltam, e vão continuar incomodando você enquanto não encontrar um modo mais permanente de lidar com eles.

Para quebrar esse círculo vicioso, você precisa identificar quais emoções mais ativam sua gula. Experimente, por alguns dias, anotar tudo que comeu e o que estava sentindo antes, durante e depois de comer. Você estava mesmo com fome ou apenas com tédio? Estava contente ou triste?

Depois de alguns dias fazendo isso, você terá uma boa ideia de quais sentimentos e emoções mandam você direto para a geladeira ou para a lanchonete. Escrever também ajuda você a ter um tempinho para pensar se está mesmo com fome ou se está só buscando conforto.

 

Como prevenir a compulsão alimentar

Uma estratégia para tentar impedir os ataques de gula é dividir as refeições de forma a comer seis vezes por dia. Assim fica mais fácil se segurar até a próxima refeição.

Outra dica é procurar se distrair se mexendo em vez de comendo. Um estudo com pessoas acostumadas a beliscar durante o dia demonstrou que aquelas se levantaram e caminharam por cinco minutos nos momentos de “fissura” por comer foram menos propensas a comer chocolate se comparados com aquelas que permaneceram sentadas em suas mesas.

Segundo especialistas, caminhar ajuda a elevar o nível de serotonina no corpo e deixa a pessoa menos ansiosa.

Preste atenção às atividades que dão um alívio rápido ao seu estresse e que não estejam relacionadas a comer. Pode ser brincar 5 minutos com o cachorro, assistir a um vídeo antigo e fofo do seu filho, ouvir uma das suas músicas favoritas, fazer um exercício de meditação ou alongamento e até ler um artigo interessante ou escrever para uma amiga.

A ideia é tentar retreinar o cérebro a satisfazer suas necessidades sem comida.

Estratégias para combater a compulsão alimentar

  • Antes de colocar qualquer coisa na boca, anote. Só isso já fará que você vá mais devagar e pense se realmente está com fome.
  • Use tigelas e pratos pequenos.
  • Compre alimentos em porções menores. Por exemplo, em vez de um pote de sorvete, compre a porção individual.
  • Nunca coma direto da embalagem original. Dê-se o trabalho de pegar uma pequena quantidade e servir num pratinho. Aproveite e guarde o pacote bem guardado, antes de começar a comer.
  • Sempre guarde os alimentos tentadores fora da vista ou em lugares mais chatos de pegar (como na prateleira mais alta).
  • Não coma doces de estômago vazio.
  • Não traga guloseimas para casa. Prefira sair para comprá-la e consuma-a no mesmo lugar onde comprar.
  • Congele sobras imediatamente. Se sobrou uma pizza quase inteira, embale bem e guarde no freezer. Assim vai dar mais trabalho para descongelar e você não sente que “precisa” comer a sobra para não desperdiçar.
  • Escolha uma guloseima que realmente satisfaça você em pequenas quantidades (dois quadradinhos daquele chocolate delicioso, por exemplo). Quando a vontade aparecer, coma a quantidade permitida logo, em vez de ficar se segurando. Dessa maneira você pode evitar a sensação de “chutar o balde” e devorar tudo.
  • Deixe a geladeira e o armário estocados com lanchinhos saudáveis e gostosos, como frutas frescas e castanhas.”

fonte: Babycenter Brasil

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe seu comentário