16 out 2014

Como planejar sua festa, por City Festas


Mamães esta semana recebi um artigo de um parceiro (clique aqui) que achei que vale a pena publicar, nele vc poderá observar algumas dicas de como organizar uma festa pensando nas quantidades e itens necessários.

aa

“Quando o assunto é organização de festas, o planejamento é essencial para que tudo saia conforme o esperado. E tal planejamento começa na lista de convidados, que deverá incluir o número de pessoas, respectivos acompanhantes e crianças.

É válido ressaltar que a lista de convidados também será a chave para calcular a quantidade de alimentos e de bebidas que serão consumidas, e é por meio dessa conta que você irá orçar o número de descartáveis.

A partir daí que você irá formular o orçamento da quantidade de descartáveis que serão usados, seja para não haver desperdícios – e consequentes prejuízos – seja para que não falte nada, garantindo o sucesso do seu evento.

Bebidas – orçamento consignado

Alguns artigos para festas podem ser adquiridos de forma consignada, em que se paga apenas pelo que for consumido, como é o caso de cervejas, refrigerantes e outras bebidas. Mesmo assim, é importante um cálculo prévio para que não falte nada.

É fundamental que se mantenha sempre uma margem alta. Um bom anfitrião jamais arrisca orçar um número baixo de “comes e bebes” para os seus convidados. Lembre-se de que uma mesa repleta de sabores é o principal atrativo de uma comemoração.

Copos descartáveis

Começando pelo número de copos: deve-se calcular uma média de 3 copos por pessoa, ou 12 copos de 200 ml por cada 2 litros de bebida. É recomendável, ainda, manter uma margem de 20% a mais de peças do que a quantidade de convidados, apenas por precaução.

Talheres e pratos descartáveis

Em elação aos talheres, a quantidade deve ser calculada de acordo com o número de refeições que serão servidas (salgados e sobremesa). Aqui, também, é aconselhável aplicar a margem de 20% conforme cada tipo de refeição.

Os pratos descartáveis são calculados como os talheres, incluindo o mesmo percentual de 20% para salgados e sobremesas que serão servidos. Potes, copos e outros utensílios de acrílico também são uma boa pedida, pois, apesar de descartáveis, podem ser lavados e reutilizados, com praticidade e economia.

Guardanapos

A quantidade de guardanapos descartáveis irá depender do tipo de comida que você vai servir. Se for uma festa com muitos salgados, o ideal é um guardanapo para cada salgado, ou 10 a 15 por convidado. No caso de um jantar formal, calcule 1 guardanapo de tecido por convidado mantendo uma margem de 10% de sobra. Sempre existe um guardanapo que cai no chão, ou que é alvo de algum líquido derramado, precisando ser reposto.

Mesas, cadeiras e gelo

Sobre as mesas e cadeiras, coloque o cálculo de 10% a mais do que o número de convidados, para não correr o risco de acompanhantes “surpresa” ficarem sem lugar.

Para o gelo, tenha em média 1 saco de 5kg para cada 10 pessoas. Se as bebidas forem permanecer conservadas em caixas com gelo, aumente a quantidade para 1 saco a cada 5 pessoas.

Lembre-se: organizar uma festa pode não ser uma tarefa das mais fáceis pela quantidade de detalhes envolvidos. Mas, com organização, planejamento e disposição, seu evento com certeza será um sucesso!”

Agora é só se organizar e aproveitar!!

Bjo, bjo

 

Fonte: City Festas


15 out 2014

Camisa & gravidez uma combinação confortável


Mamães, durante a gravidez a palavra que significa bem estar é conforto, e para mim uma das peças básicas e que eu mais usei foram as camisas. Veja abaixo algumas referencias.

Bjo, bjo

1

4

1

1


06 out 2014

Criança e Televisão


Mamães já falei algumas vezes sobre o papel da televisão na vida de nossos pequenos e não é bom!!! Por estarmos muitas das vezes cansadas por conta da correria do dia a dia, muitas vezes queremos poder tranquilizar nossos pequenos, que assim que nos vem entrar em casa querem atenção, e pensamos que a televisão pode ajudar, mas na verdade não pode e vc´s nã fazem ideia do mal que faz para nossos pequenos.

O texto abaixo eu peguei no site Guia do bebê, e assim como eu acho que vale a leitura.

Bjo, bjo

1

“É comum os pais ou cuidadores deixarem para a TV o papel de babá, mas isso com certeza não é o papel da televisão, mesmo em programas infantis.

Muitos profissionais que lidam com criança muito nova concordam que não se deve propiciar-lhe o acesso à televisão antes dos dois anos.

Um dos motivos principais é que nessa idade ela está em pleno desenvolvimento da fala e da coordenação motora e, ficar parada, assistindo televisão, não favorece estes processos. Outro motivo também relevante é que por falta de amadurecimento, vivência e vocabulário, não consegue assimilar o conteúdo do programa, o que só se dará mais tarde, por volta dos três anos em diante. Nesta idade, praticamente adquire a compreensão das palavras cinco vezes mais do que consegue pronunciá-las.

E mesmo a partir desta idade, a televisão deveria ser controlada, inclusive com limite de tempo por dia: uma a duas horas, no máximo. Há muito a se fazer para ampliar suas habilidades motoras.

Leituras de livros infantis incentiva a criatividade e curiosidade, aumenta consideravelmente o vocabulário infantil e as brincadeiras com ou sem brinquedos com adultos e outras crianças, são alternativas mais saudáveis. Este típo de interação com os pais se leva com muito carinho para a vida toda. São momentos muito íntimos e que fortalecem o amor e o respeito entre eles.

Muitas famílias ainda usam a televisão como se fosse uma babá eletrônica, como um meio de descanso delas ou para poderem se ocupar de seus afazeres, sem interrupção e a criança fica horas assistindo, sem ninguém para orientá-la. Outras, ainda, valem-se do aparelho para alimentar seu filho, para que ele não perceba que está comendo algo que rejeitou anteriormente ou sequer saber o que está ingerindo.

Há crianças que foram acostumadas com a televisão e não conseguem ficar sem uma disponível e ligada. Tornam-se inquietas e visivelmente irritadas. Ao se ligar o aparelho, ficam tão obcecadas pela imagem, pelo colorido, que mesmo não entendendo direito o que se passa, nem se mexem ou piscam. Se alguém falar com elas, simplesmente não desviam a atenção do que estão vendo. São crianças cuja fala é mais atrasada para sua idade, embora recuperem-na mais tarde, alcançando as demais.

É preciso que os pais e ou responsáveis tenham equilíbrio e responsabilidade ao limitar o tempo de exposição à televisão. Devem entender que ela não é a grande vilã na formação dos pequenos. É uma coadjuvante que influencia o desenvolvimento intelectual, social e da personalidade da criança e é por este motivo que o programa escolhido por ela deve ser do conhecimento e consentimento dos pais, por ser adequado e próprio para a idade dela e não apenas porque é seu desejo ou porque os amiguinhos assistem.

Para isto, é profundamente aconselhável que a criança nunca assista televisão sem o acompanhamento dos pais ou de um adulto responsável, para que possam interagir com ela, fazendo-lhe perguntas sobre o entendimento do programa e poderem esclarecer o que não foi compreendido. Através desta abordagem, podem ser reforçados os valores familiares, morais e sociais, o respeito à diversidade, aos animais, à natureza, enfim.

É incrível perceber com que rapidez se desenvolveram os recursos internos da criança ao atingir os três anos de idade. O aumento do vocabulário e a evolução do processo de compreensão das palavras, fazem com que se sinta mais segura e desenvolta por se fazer entender por todos.”


03 out 2014

Organizando o armário do seu pequeno (a)


O armário infantil deve ter espaço para pendurar roupas, gavetas e prateleiras como o dos adultos, só que em proporções menores, adaptado ao tamanho das roupas dos bebês.

Mas um bom projeto para o móvel não basta. É preciso organização para que ele fique funcional.

Antes do bebê nascer, arrume o armário separando as roupas por tamanho e tipo. Por exemplo, deixe as peças RN à vista e guarde as roupinhas maiores, que ele vai usar dentro de alguns meses, nas prateleiras mais altas ou no fundo das gavetas.

Deixe as roupinhas do dia a dia, macacões, camisinhas pagão e casaquinhos nas gavetas e prateleiras de mais fácil acesso. Dessa forma, você não vai precisar se agachar ou se esticar toda para alcançar a roupa no alto no armário enquanto estiver trocando o bebê.

Use caixas sem tampas dentro do armário para guardar fraldas, babadores e paninhos que precisam estar sempre à mão.

As roupas mais delicadas, com rendas, babados, fitinhas e as engomadas, podem ser guardadas no armário dentro de sacos de tule ou outro material furado. Assim, elas ficam protegidas da poeira e ao mesmo tempo arejadas e livres de bolor e manchas.

Conforme o bebê for crescendo, dispense as roupas que não cabem mais. Elas precisam dar lugar para as novas que vão chegar. Nos primeiros meses de vida, a rotatividade de roupas é grande e você precisará fazer arrumações com freqüência para manter o espaço organizado.

Lembre-se que todas as roupas do bebê devem ser guardadas em um local limpo e arejado.

1

2 3

4

5

6

7

 


01 out 2014

Dia das Crianças vem ai


Mamães o dia das crianças está chegando e precisamos pensar numa lembrancinha para nossos pequenos. Na Espanha tem uma loja que eu AMO que é a Imaginarium, veja mais sobre ela aqui, e tem cada brinquedo incrível e dos mais variado possível. Quando eu estive lá eu trouxe alguns para o Bernardo que ele adora, veja algumas das minhas escolhas.

Bjo, bjo

a a1

a1

aa

aaa aaaa

 

aaaaaa a1

a

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 11 de 248« Primeira...910111213...203040...Última »