19 ago 2014

Pós parto – Quando estamos liberadas?


 

AASe dependesse das nossas mães e avós, o pós-parto, as primeiras seis ou oitos semanas seguintes ao nascimento do bebê – seria uma verdadeira tortura para nós: nada de lavar a cabeça, sair de casa e repouso absoluto por um mês. Tudo bem que o nosso corpo precisa realmente de um refresco depois de tantas mudanças. Mas, com orientação médica e atenção redobrada, podemos voltar à vida (quase) normal de forma gradativa e sem tanto drama.

Veja abaixo este artigo que peguei no site da GNT, com dicas de como e quando voltar as atividades.

A médica obstetra Patrícia Maganha, é também mãe de três filhos e diz que não é preciso ser tão radical: É importante retomar aos poucos o que traz prazer ou uma sensação maior de normalidade. O bom senso é o que direciona a decisão de como deve agir nesse período, ensina.

Na dúvida de quando partir para a ação e relembrar os bons tempos de antes do barrigão? A gente ajuda:

 

Dirigir

Quem diria que um dia você ia sentir falta de pegar um engarrafamento atrás do volante, hein? A turma do parto normal está liberada para dirigir 30 dias após o parto. Por causa da necessidade de recuperação dos músculos cortados durante a cesárea, esse prazo é de 40 dias para que a cicatrização seja mais saudável.

Fazer mercado

Lembre-se: há uma grande diferença entre ir ao supermercado comprar frutas e verduras frescas e uma compra de mês. Com isso em mente, planeje para que o retorno a essa atividade seja gradual e de acordo com suas limitações. Em 60 dias você está liberada para encher o carrinho!

Pegar filho mais velho no colo

Difícil saber que vamos precisar esperar dois meses para pegar nosso bebê mais velho no colo, mas é por um bom motivo: você tem que se recuperar bem para continuar cuidando dos dois (ou três) por muito tempo! Isso não quer dizer que um colinho sentado no sofá ou deitado na cama está proibido, viu?

Voltar para a academia

Nada impede de você fazer caminhadas leves quando começar a se sentir mais bem disposta e sem dor. Mas, pegar mais pesado para mandar os quilinhos extras pro espaço vai precisar esperar um pouquinho. Renove sua matrícula na academia três meses após o parto. Porém, os exercícios que trabalham a musculatura abdominal em pós-cesariana devem esperar entre quatro a seis meses para entrar na sua série.

Sair com os amigos

Nada de ficar em casa descabelada, de camisola e uma fraldinha pendurada no ombro o tempo todo. Se você está se sentindo bem, com a cabeça no lugar, vai estar pronta para cuidar melhor dos filhotes. Combine uma saída com o maridão ou as amigas após o primeiro mês de resguardo. Se divertir é também um ótimo remédio!

Fazer sexo

A pergunta que dez entre dez maridos pedem para as mulheres fazerem ao seu médico tem resposta: 40 dias para quem fez uma cesárea, 30 para o parto normal. Não adianta colocar no calendário sem levar algo muito importante em consideração: por causa das alterações hormonais e emocionais, seu desejo sexual pode estar diminuído. Sem contar que há uma menor lubrificação durante essa fase, o que pode provocar ardência e incomodo vaginal. Que tal começar com uns carinhos e ver o que rola depois?


18 ago 2014

Amamentação


A edição de setembro da revista Glamour EUA, traz um lindo editorial com a atriz Olivia Wilde amamentando seu filho Otis de 3 meses. Sem sombra de dúvida amamentação é umas das tarefas mais importantes na vida das mamães e temos muitas celebs incentivando esta ação.

bjo,bjo

 

01 (1)

03

04

05

carol-trentini-instagram

AA

AAA


15 ago 2014

App Mãe Coruja


Mamães, vc´s já conhecem o aplicativo Mãe Coruja, a Fernanda Camargo, responsável pelo APP, resolveu desenvolver depois que foi mãe e se via sempre perdida com os horários das mamadas e outras atividades importantes dos seus pequenos.

Eu conheci o APP, há aproximadamente um mês e antes de falar dele aqui para vc´s, afinal isso não é jaba, eu usei bastante. Além de um formato fácil e amistoso o aplicativo pode ajudar em vários compromissos importante que não podemos esquecer com nossos pequenos, como a época de tomar as vacinas e etc…

Para mamães com bebês recém nascido é mais útil ainda. Super recomendo!!!

Baixe no link abaixo

https://itunes.apple.com/br/app/mae-coruja/id828519395?mt=8

Bjo, bjo

AAAAA

“…

O Mãe Coruja é um aplicativo gratuito que tem uma função muito importante para os dias de hoje: organizar informações sobre a vida dos seus filhos. Ele tem várias ferramentas de armazenamento de informações e lembretes, para que você não deixe passar nada e não deixe de fazer anotações importantes como vacinas e outros.

Sempre alerta, o aplicativo Mãe Coruja avisa quando seu filho tem que tomar uma nova dose de vacina, medicações e muitos outros, além de ter registro de informações sobre doenças que o seu bebê já teve e medicamentos que ele ingeriu, além de ter opções para você inserir dados como peso, altura e muito mais!

Ao abrir o aplicativo pela primeira vez, você deve criar uma conta de acesso. Preencha os dados como Nome completo, cidade, país, email de acesso e senha, depois clique em Criar conta e entrar. Caso já tenha cadastro, basta digitar o seu email e senha, e clicar em Entrar. Se tiver esquecido a senha, não se preocupe, um email será enviado a você com sua nova senha

Na tela inicial do aplicativo, você deve preencher o nome do seu filho e dizer se é menino ou menina, clicando no bonequinho que fica ao lado da caixa de texto. Acima dessa caixa de texto, existe um espaço destinado a foto de seu filho, clique nele e será solicitado o envio de uma foto. Você pode enviar o álbum do dispositivo ou tirar na hora!

Depois preencha as informações do seu bebê recém como data de nascimento, peso, altura, perímetro cefálico e tipo sanguíneo e depois clique em Salvar. Caso esteja grávida, clique em “Estou grávida” e preencha informações similares, a diferença será na data, onde você deve preencher com a data prevista para o nascimento. Depois clique em Salvar.

Na tela principal você terá vários menus com funções diferentes, como o Leite, Sono, Fraldas, Saúde, Diário, Pediatra, Vacinas e Festas. Em Leite você mantém um registro detalhado de como ele foi alimentado, se por amamentação (em qual peito) ou mamadeira, e por quanto tempo.”

AAAA


14 ago 2014

Quando as crianças devem começar a falar


Mamães muitas mães compartilham da ansiedade de não verem seus filhos falando, Bernardo já está com 1 ano e 6 meses e até agora nada. Leiam abaixo o texto de Liliana Carbello que fala um pouco sobre o tema. E fiquem tranquilas cada bebe tem seu tempo!!carinho 5

Ao nascer as crianças se comunicam através do choro. A partir dali a linguagem acompanha as etapas do crescimento.

À medida que se desenvolvem, os bebês emitem diferentes tipos de sons e ruídos que contêm uma riqueza sonora superior à dos adultos. Com o tempo começam a produzir sons de vocais e sílabas, que em seguida começam a se replicar, e por volta dos seis meses aparecem balbucios. Isto faz com que muitos pais tomem tais sons como a aparição da primeira palavra à esta idade, quando na verdade se trata de sons sem significado. Para que uma emissão adquira valor de palavra deve contar com significado, designar um objeto (pessoa ou coisa) da realidade. Na verdade, a primeira palavra com sentido surge entre os 11 e s 14 meses de vida.

Quando preocupar-se se a criança não fala?

Se tivermos em conta que na idade de 1 ano, 1 ano e meio, a criança possui uma linguagem que a permite comunicar-se, tem-se que estar atento se ocorre que uma criança de 2 anos, 2 anos e meio, não fala. A esta idade elas já dominam formas gramaticais essenciais, isto é, sabem que as palavras se organizam de uma determinada maneira.

Com relação às causas deste eventual atraso do desenvolvimento verbal, a avaliação da pediatra com respeito à criança com alguma perturbação da linguagem determinará se há ou não necessidade de que ela seja vista por um otorrino para descartar alguma enfermidade auditiva.

Também se tem que levar em conta os fatores psicológicos. A superexigência materna, a falta de estímulos verbais ou situações traumáticas (a morte de um familiar próximo, o nascimento de um irmão, a separação dos pais) podem ser fatores desencadeantes que determinam que a criança se isole se retraia e sua linguagem se altere.

A linguagem favorece a possibilidade de comunicar-se e sociabilizar-se. As crianças aprendem palavras a partir de seus pais e de outras pessoas que estão em volta. Como em todo processo, não há receitas mágicas. Não devemos esquecer que é importante falar-se com os bebês com uma pronúncia clara, dando-lhes tempo para que assimilem, ou repitam aquele som através do balbucio.

Conselhos para guardar

1. Falar com o bebê – durante o banho, a troca de roupas,a alimentação, dizendo-lhe, por exemplo, os nomes das partes de seu corpo que estão sendo tocadas. Procurar sempre denominar as coisas que estão à sua vista pelo nome correto.

2. Falar claro: não existe uma língua para bebês e outra para adultos. Por exemplo, dizer-lhe: “vamos tomar o mingau”, e não “dá, dá gagau”.

3. Demonstrar que cada objeto tem seu nome e significado.

4. Não falar na 3ª pessoa, por exemplo, dizer “me dá um beijo ?”, e não “dá um beijo na mamãe ?”.

5. Aceitar os gestos e mímicas como formas de expressão e de intenção, não exigindo só a palavra expressa.

6. Não ficar solicitando que a criança repita uma palavra que aprendeu porque você que demonstrar aos outros que ela acaba de aprender uma nova palavra. Aja com naturalidade a cada descoberta de uma nova aquisição verbal percebida.

7. Não canse a criança: há momentos em que, simplesmente, ela não está afim de falar.

8. Evite corrigí-la. Se ela pronunciou de modo errado uma palavra, repita-a com discrição, sem alarde, de modo correto. Por exemplo, se pede “aba”, diga-lhe “tomar água ?”, pronunciado de modo calmo e pausado.

9. Quando a criança estiver contando algo, trate de somente ouvir, não interrompendo para corrigí-la ou tentando colocar “palavras em sua boca”. Deixe-o construir livre e tranquilamente seu universo verbal.


12 ago 2014

Os primeiros dias em casa


AA1

Os primeiros dias em casa são uma mistura de aprendizado, dúvidas e transformações. As informações a seguir constituem um roteiro que deve ser flexível e adaptado a cada família e seu pediatra. Três dicas básicas, antes de detalharmos os cuidados que você deve ter com o seu bebê:

• Se possível, providencie com antecedência alguns materiais que serão muito úteis quando vocês voltarem para casa. São eles: algodão, cotonetes, sabonete neutro, tesoura de unhas, escova de cabelo, álcool (70%) e creme para assaduras.

• É comum que os bebês solucem e espirrem muito. Isso é normal e não requer maiores cuidados.

• Uma congestão ou ronco nasal discreto também são comuns após o nascimento e podem persistir por algumas semanas. Geralmente não requerem nenhum cuidado especial

A Higiene do Bebê

Fraldas

A área coberta pelas fraldas deve ser limpa com água morna. No caso das meninas, tenha um cuidado especial e limpe a área genital sempre da vulva em direção à região anal.

Há uma grande variedade de marcas de fraldas descartáveis no mercado. Algumas contêm um pó perfumado que pode irritar a pele do bebê.

O banho

O banho deve ser dado diariamente. Para o maior conforto do bebê e uma higiene completa, oferecemos algumas recomendações:

• Em dias frios, escolha a hora mais quente do dia

• Em dias quentes o horário é livre e você pode dar mais de um banho

• O banho deve ser um momento calmo e relaxante. Por isso, prepare com antecedência o material que vai ser usado

• Os primeiros banhos devem ser rápidos

• Não é necessário que a água seja fervida

• Procure deixar a temperatura da água semelhante à do corpo do bebê

• Encha apenas o fundo da banheira

• Antes de colocar o bebê na água, passe um pouco dela no rosto e na cabeça dele

• Ao lavar as costas, com o bebê de bruços, cuidado para que o rosto não toque a água

• Dê preferência ao sabonete neutro

• Comece pela cabeça e face e depois desça em direção aos pés

• Lave o pescoço, peito, braços, abdômen e pernas, certificando-se de lavar as dobras do pescoço e as axilas

• Você pode notar uma substância esbranquiçada nas dobras. É uma cobertura protetora que envolvia o bebê antes do nascimento

• Certifique-se de lavar a área genital por último

• Enxágue com água limpa e, a seguir, seque bem

Detalhes adicionais do banho:

Ouvidos – limpe apenas a parte externa com uma bola de algodão embebida em água, sem penetrar no canal auditivo. Seque bem atrás da orelha.

Olhos – limpe cada pálpebra com uma bola de algodão embebida em água. Limpe do canto externo para o interno.

Face – use apenas água.

Cabelos – você pode utilizar uma escova macia para estimular o couro cabeludo.

Mãos e pés – lave e seque bem entre os dedos.

Região genital – algumas meninas podem ter uma pequena quantidade de sangramento ou secreção vaginal. Eles são causados por hormônios transmitidos pela mãe e não são motivo de preocupação.

Atenção: não use colônias, talcos ou cremes sem a indicação do pediatra.

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo deve ser feito 3 vezes ao dia, utilizando álcool 70%. Certifique-se de elevar o coto suavemente, de modo que o álcool atinja a área em que o cordão se insere na base. Se houver secreção ou sangramento, faça o curativo sempre que trocar a fralda. Aos poucos, o coto ficará mais endurecido, seco e escuro. A maior parte cai até a segunda semana de vida e um pequeno sangramento é normal. É importante que esta área esteja sempre seca e deve-se evitar o atrito com as roupas. Durante o curativo, o bebê pode reclamar da temperatura fria do álcool.

As roupas do bebê

Não coloque roupas em excesso, nem apertadas demais. As mãos e os pés do bebê são sempre mais frios que o resto do corpo, por isso, não servem como guias para a escolha da quantidade de roupas. Dê preferência a roupas de fibras naturais, como algodão, cambraia, linho, e que tenham aberturas laterais, nas costas ou na frente, evitando as que têm de ser colocadas pela cabeça do bebê. Lave separadamente as roupinhas, fraldas, babadores, roupas de berço e toalhas com sabão neutro (de coco). Não é aconselhável o uso de qualquer tipo de amaciante. As roupas devem ser passadas com ferro quente e guardadas em lugar limpo e fechado.

O quarto do bebê

A limpeza do quarto onde o bebê dorme e seus objetos é muito importante e requer cuidados especiais. Cortinas, carpetes e grande quantidade de bichinhos de pelúcia devem ser evitados. Acumulam pó e podem causar alergia. Abra diariamente as janelas para que o ambiente possa ser ventilado e receba iluminação natural. Quanto ao berço do bebê, é recomendável que o colchão seja revestido com material plástico e limpo frequentemente. Nos primeiros meses é melhor não usar travesseiros. Eles podem ser substituídos por uma fralda presa nas laterais do berço, na altura da cabeça do bebê. Evite colocar o berço embaixo de janelas. Se possível, deixe todo o material necessário para a higiene do bebê em um só lugar (a cômoda, por exemplo). É bem mais prático.

O Choro do Bebê

O choro é uma forma de comunicação e nem sempre significa um sofrimento. Se o bebê chorar ao acordar, tendo já passado algum tempo da última mamada, a primeira possibilidade é que seja por fome. Em dias mais frios, se o bebê recusar o peito, tente agasalhá-lo um pouco mais ou, ao contrário, em dias mais quentes, vista nele uma roupa mais leve. Ele pode também estar incomodado pela necessidade de arrotar ou por uma fralda suja.

Cólicas

Excluindo fome, frio ou calor, as cólicas podem ser a causa do incômodo do bebê. Elas aparecem em determinadas horas do dia, especialmente a partir do final da tarde. A sua ocorrência pode estar relacionada à ansiedade e insegurança dos pais, a uma rotina confusa ou a um ambiente agitado. Medidas simples, como colocar a criança de bruços e aquecer sua barriga através de uma massagem suave, podem ser suficientes para resolver o problema. As cólicas podem piorar se você oferecer o peito, embora o bebê também possa procurá-lo em momentos de dor.

Use medicamentos somente por recomendação do pediatra.

As fezes do bebê

As primeiras fezes do recém-nascido são chamadas de mecônio. São pastosas, consistentes, de coloração verde-musgo e inodoras. Com o tempo, as evacuações serão mais frequentes, mais líquidas, mais claras e eliminadas juntamente com gases. E sempre sem cheiro, o que as diferencia de uma diarreia infecciosa.

 

Fonte: Hospital São Luiz

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 18 de 249« Primeira...10...1617181920...304050...Última »