15 mar 2016

Como não descontar as emoções na comida


Mamães, quanto tempo eu não aprecia por aqui, me desculpem, mas não está fácil minha vida de mamãe, trabalho e blogueira… Infelizmente este meu hobby tem perdido cada vez mais espaço para o tempo livre que tenho ser dedicado apenas ao Bernardo e não dividir este tempinho com mais nada!!

Recebi um artigo do site Babycenter, super interessante, até porque se aplica não só a fase da gravidez, basta termos algum stress que garanto que mais de 80% das mulheres assim como eu desconta na comida, e aqui vocês poderão encontrar dicas que ajudam a minimizar estes prejuízos.

Vamos ver se eu fico mais presente, saudades de vc´s…

Bjo, bjo

AA

“…Quando está feliz, você comemora com um docinho, mesmo que ele não seja nem tão maravilhoso assim? Devora um pacote de batatinhas ou um pote de sorvete quando está estressada ou deprimida? Se você faz isso, há chances de que você tenha uma relação emocional com a comida.

Quase todo mundo usa a comida para domar os sentimentos. Aprendemos antes mesmo de aprender a falar, já que a reação mais comum ao choro do bebê é dar comida. Assim, desde muito cedo, a comida se transforma em um mecanismo de conforto psicológico.

Existem alimentos que realmente provocam a sensação de bem estar, ao ativar neurotransmissores que atuam no cérebro.

O problema é que o cérebro leva cerca de 20 minutos para perceber que seu estômago já está cheio. E, nesse intervalo, o que começou como sensação de bem estar pode muito bem terminar com uma sensação de estufamento, indigestão e fadiga mental.

É o que acontece quando, no entusiasmo da emoção, você devora três fatias daquele bolo de chocolate delicioso que lembra a sua infância, e depois só de pensar nele tem vontade de vomitar.

Faça um diário do que come e do que sente

Comer pode até distrair você das preocupações, mas só funciona naquela hora. Os problemas voltam, e vão continuar incomodando você enquanto não encontrar um modo mais permanente de lidar com eles.

Para quebrar esse círculo vicioso, você precisa identificar quais emoções mais ativam sua gula. Experimente, por alguns dias, anotar tudo que comeu e o que estava sentindo antes, durante e depois de comer. Você estava mesmo com fome ou apenas com tédio? Estava contente ou triste?

Depois de alguns dias fazendo isso, você terá uma boa ideia de quais sentimentos e emoções mandam você direto para a geladeira ou para a lanchonete. Escrever também ajuda você a ter um tempinho para pensar se está mesmo com fome ou se está só buscando conforto.

 

Como prevenir a compulsão alimentar

Uma estratégia para tentar impedir os ataques de gula é dividir as refeições de forma a comer seis vezes por dia. Assim fica mais fácil se segurar até a próxima refeição.

Outra dica é procurar se distrair se mexendo em vez de comendo. Um estudo com pessoas acostumadas a beliscar durante o dia demonstrou que aquelas se levantaram e caminharam por cinco minutos nos momentos de “fissura” por comer foram menos propensas a comer chocolate se comparados com aquelas que permaneceram sentadas em suas mesas.

Segundo especialistas, caminhar ajuda a elevar o nível de serotonina no corpo e deixa a pessoa menos ansiosa.

Preste atenção às atividades que dão um alívio rápido ao seu estresse e que não estejam relacionadas a comer. Pode ser brincar 5 minutos com o cachorro, assistir a um vídeo antigo e fofo do seu filho, ouvir uma das suas músicas favoritas, fazer um exercício de meditação ou alongamento e até ler um artigo interessante ou escrever para uma amiga.

A ideia é tentar retreinar o cérebro a satisfazer suas necessidades sem comida.

Estratégias para combater a compulsão alimentar

  • Antes de colocar qualquer coisa na boca, anote. Só isso já fará que você vá mais devagar e pense se realmente está com fome.
  • Use tigelas e pratos pequenos.
  • Compre alimentos em porções menores. Por exemplo, em vez de um pote de sorvete, compre a porção individual.
  • Nunca coma direto da embalagem original. Dê-se o trabalho de pegar uma pequena quantidade e servir num pratinho. Aproveite e guarde o pacote bem guardado, antes de começar a comer.
  • Sempre guarde os alimentos tentadores fora da vista ou em lugares mais chatos de pegar (como na prateleira mais alta).
  • Não coma doces de estômago vazio.
  • Não traga guloseimas para casa. Prefira sair para comprá-la e consuma-a no mesmo lugar onde comprar.
  • Congele sobras imediatamente. Se sobrou uma pizza quase inteira, embale bem e guarde no freezer. Assim vai dar mais trabalho para descongelar e você não sente que “precisa” comer a sobra para não desperdiçar.
  • Escolha uma guloseima que realmente satisfaça você em pequenas quantidades (dois quadradinhos daquele chocolate delicioso, por exemplo). Quando a vontade aparecer, coma a quantidade permitida logo, em vez de ficar se segurando. Dessa maneira você pode evitar a sensação de “chutar o balde” e devorar tudo.
  • Deixe a geladeira e o armário estocados com lanchinhos saudáveis e gostosos, como frutas frescas e castanhas.”

fonte: Babycenter Brasil


14 mar 2016

Dicas para ajudar seu pequeno com a lição de casa


Olá Mamães, olha que artigo bacana eu recebi do Playkids, tem tantas mães que ficam em dúvida como proceder na hora de ajudar seus pequenos a fazer a lição de casa, as dicas a seguir poderão ajudar muito nesta fase.

ea

“…As aulas voltaram pra valer e, com elas, novos desafios se apresentam na vida escolar dos pequenos. Se o seu filho já avançou alguns estágios da educação infantil, a lição de casa começa a fazer parte do dia-a-dia. Pode variar de escola para escola. Mas na maioria delas, a lição é introduzida como uma tarefa rotineira quando os alunos têm por volta de 4 ou 5 anos.

Em geral, funciona como uma atividade complementar. Espera-se que, assim, a criança sistematize o conteúdo aprendido em sala de aula. Também tem o objetivo de incentivar a criação do hábito de estudar além do período escolar. Mas agora que a escola começa a ganhar ares de “coisa séria”, qual o papel dos pais nesse processo? E, o mais importante, o que eles podem e devem fazer para ajudar? Veja algumas orientações a seguir.

Estabeleça um local adequado

Antes de mais nada, é importante que a lição seja feita num espaço favorável à concentração. Não dá para fazê-la na mesinha de atividades que a criança tem na sala de casa, em frente à TV. Você pode até aproveitar este momento para fazer um “rito de passagem”, pontuando para o seu filho que ele está crescendo e precisa de uma escrivaninha, por exemplo. Se possível, pode ser divertido executar uma mudança no quarto dele, garantindo um local atraente e adequado para esse momento.

Determine um horário fixo

A tarefa tem de ser feita sempre num mesmo horário, pois isso ajudará a criança a incorporar a lição de casa na rotina de maneira tranquila. Se o seu filho chega da escola muito cansado, é melhor deixar a lição para o dia seguinte. Mas siga sempre o mesmo ritual. Não deixe a criança livre para determinar quando irá fazer a lição. Uma dica que funciona é a construção do “quadro da rotina”. Vocês podem fazê-lo em conjunto, usando símbolos, figuras e desenhos. Este quadro deve ser colocado num lugar de fácil acesso, como a porta da geladeira. Ele costuma ajudar a família a administrar o tempo, além de ir ensinando a criança a dar conta das próprias responsabilidades.

Ajude a criança a organizar o espaço

A organização do espaço é fundamental para tornar o ambiente escolhido favorável à tarefa. Ninguém nasce organizado e nem aprende da noite para o dia! É preciso auxiliar as crianças a desenvolver tal habilidade, assim como a serem cuidadosos com as próprias coisas. Que tal manter um estojo exclusivo para a lição de casa? Incentive-a também a pegar o material da lição (seja livro, apostilha, folha) antes de começar e guardá-lo ao final. Além da autonomia, essas atitudes simples vão ajudá-la a diferenciar o momento da brincadeira e o da “obrigação”.

Confie na escola (e siga as orientações dela)

A parceria pais e escola é essencial! As condutas devem estar alinhadas para que a criança consiga caminhar. Sendo assim, mantenha-se informada e participe das reuniões escolares para compreender o contexto da lição de casa, bem como a maneira que a escola conduz o processo de aprendizagem. Você com certeza se sentirá mais segura para auxiliar o seu filho, se estiver ciente dos objetivos que a escola pretende alcançar com os exercícios complementares enviados para casa.

Deixe a criança trabalhar sozinha

Exato! Você pode reler com seu filho o enunciado da lição para reforçar o que foi proposto, ainda que a professora certamente já o tenha explicado em classe. No entanto, jamais dê as respostas prontas. Caso contrário, pode “atropelar” a construção do raciocínio do seu filho. Muitas vezes, o ideal é tirar as dúvidas com a própria professora. Claro que interessar-se pela vida escolar do seu filho é fundamental, o que não significa fazer as coisas por ele. O seu papel é ser um agente facilitador nesse caso, mas não o autor da história dele. Permita, então, que ele seja construa o próprio caminho de descobertas!”

 


10 mai 2015

Domingo é o nosso dia!!! Happy mothers day :-))


mom

Queridas leitoras, estou tão em falta com todas vocês, minha vida está um verdadeiro Tsunami e não me resta tempo para me dedicar ao Blog, que sempre foi o meu Xodó! Mas não podia deixar de homenagear todas as mães que assim como eu são apaixonadas por seus pequenos!!

FELIZ DIA DAS MÃES!!!

B-day Bezoquinha 2 anos - 2015 395

 


07 mai 2015

Quarto de Gêmeos


A pedidos de uma leitora, segue um lindo quarto de gêmeos para tirarmos várias dicas como referencia!!

Bjo, bjo

2

1

 

4


17 mar 2015

Tendências de moda infantil


Olá mamães, o post de hoje é uma colaboração da Laura Ribeiro que há 5 anos mudou-se para Londres, com o marido e seus dois filhos. Enquanto divide-se nas tarefas de mãe, Laura também escreve e fotografa para revistas, blogs e plataformas online no Brasil e Reino Unido., membro da Mavens of London, uma agencia internacional e muito conceituada de Londres. Nele vocês observarão um tema que muitas de nós mamães gostamos de abordar que é a moda, espero que aproveitem. 

Bjo, bjo

“As crianças de hoje adoram a liberdade de se expressar através da moda. Mesmo com pouca idade, cultivam estilo próprio e já querem montar, seus looks para sair, sem ajuda dos pais. Curiosas e imaginativas, elas são força motriz e inspiração por trás da indústria de moda infantil que, a cada estação, injeta novo fôlego às tendências, encantando não só os pequenos, como também os papais. Nesta temporada, as opções apareceram bem variadas, abrindo o leque de opções à criançada. Do estilo boho, inspirado nos anos 70, às estampas bem-humoradas, os pequenos com certeza vão ficar ainda mais fofos e estilosos. Separamos aqui uma série de tendências baseadas em pesquisas daqui e lá de fora. Fique por dentro do que escolher para o seu filho de acordo com as modelagens, nuances e estilos da estação.

Fofa

Fibras ecológicas

Nesta época em que só se fala em sustentabilidade, as fibras naturais e ecologicamente corretas começaram a pipocar pelo vestuário infantil. Há fios tirados do algodão orgânico, da seda, do bambu e até do milho. A vantagem? Nenhum deles têm processo de fabricação que degrada o meio ambiente. Mas, como qualquer outro tecido, podem manchar.

Cores açucaradas

Cores sobert– como o pêssego, o rosa antigo, o pistache e o amarelo clarinho são apostas  certeiras para os dias ensolarados. E, além de misturarem bem entre si, fazem parceria com tons mais sóbrios, como o marinho e o bege.

Jeans molinho

O jeans não sai do guarda-roupa dos adultos. E por que sairia do das crianças? Agora, elas também se beneficiam de todos os tipos de lavagens– das claras às escuras. A novidade fica por conta das leggings de denim–  como são elásticas, elas vestem de forma mais confortável.

mango dress

Macaquinho

O macaquinho é a peça-chave desta temporada. Lisos ou estampados, eles são fresquinhos e aparecem na versão com magas ou alcinha.

Estilo boho

Inspirado no movimento hippie da década de 70, mas com uma pegada mais rocker, o estilo boêmio aparece forte nas peças infantis. Seja na estampa étnica, seja na franja que tomam conta de acessórios e roupas, seja na coroa de flor que enfeita a cabeça, o boho chega para garantir a expressividade da garotada.

Bodies engraçados

O body é o que há de mais essencial e básico do guarda-roupa do bebê. Agora, ele aparece revisitado. Frases engraçadas como “Papai sabe tudo. Mas vovô sabe mais”, entre outras, aparecem estampadas nas peças, descontraindo os looks dos bebezinhos.

Tenho certeza que as dicas estão legais, agora só falta colocar em prática!

Fonte: http://www.cleanipedia.com.br/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 3 de 24612345...102030...Última »