19 dez 2013

Presente de natal para crianças até 3 anos


 

brinquedos educativos 6

O fim de ano está se aproximando e as pessoas já começam a pensar nos presente de natal. São tantas pessoas para lembrar: pais, tios, irmãos, sobrinhos, amigos, filhos…

Bom, se você vai comprar presente de Natal para criança entre dois e três anos, é preciso ficar atento. Engana-se quem pensa que somente cores, desenhos e ruídos são suficientes para alegrar os pequenos, que ainda estão em fase de formação. Por mais inofensivo que possa parecer um brinquedo, ele pode ser perigoso se não for de boa qualidade. Para ajudar você a comprar o melhor para as crianças é preciso algumas dicas.

Dicas de Presentes para o Natal das Crianças

- Preste atenção aos detalhes do brinquedo, um ou outro detalhe pode fazer a diferença no momento de lazer. Os brinquedos com peças pequenas podem ser ingeridos e objetos cortantes podem causar ferimentos,

- Evite aqueles com ruídos excessivos, que podem causar danos à audição,

- Leia a instrução de uso, nela deve conter a faixa etária e outras informações relevantes,

- Não compre brinquedos com formas e cheiros semelhantes aos alimentos, pois as crianças tendem a engoli-los,

- Não dê brinquedos remetam as armas, para não estimular a violência,

- Ajude a criança a abrir o presente. Sacos de presente, laços e fechos de arame são perigosos, e mesmo diante dessas precauções, supervisione a brincadeira.

Agora confira dicas de presentes de natal para essa faixa etária:

  • Blocos de construção,
  • Blocos lógicos, para empilhá-los e colocá-los dentro de caixas,
  • Bolas,
  • Bonecas de tecido e bichos de pelúcia,
  • Brinquedos de empurrar ou puxar,
  • Brinquedos de encaixar e desmontar,
  • Brinquedos de equilibrar um em cima do outro.
  • Brinquedos de montar e desmontar,
  • Brinquedos musicais,
  • Brinquedos para praia ou piscina,
  • Brinquedos que imitam a vida da família.
  • Carrinhos e caminhões,
  • Cavalinho de balanço,
  • Livros e álbuns de fotografia com ilustrações de objetos conhecidos

18 dez 2013

Agressividade infantil, falta de educação ou manha para chamar a atenção?!


3

Mamães o comportamento agressivo faz parte do desenvolvimento normal de uma criança pequena. Demonstrar a raiva de forma brutal, dando até em algumas vezes tapas, socos acaba sendo uma alternativa quando a criança ainda não consegue se comunicar e tem uma grande vontade de se tornar independente.  como já falei em outro texto o Bernardo, deu para dar tapas no nosso rosto, e todas as vezes eu o repreendo, falando que aquilo não é legal, e ele na maior cara dura, faz um sorrisinho para que a gente preste mais atenção na carinha fofa, do que propriamente no acontecido.

Mas não é porque o comportamento agressivo e comum que devam ser ignorados ou aceitos. Mostre a seu filho que agredir os outros não é algo admissível e ensine outros jeitos de ele expressar sua irritação. Abaixo algumas dicas para deixar a criança menos agressiva, ou pelo menos tentar.

Use a lógica nas suas atitudes

Se seu filho estiver brincando na piscina de bolinhas e começar a atirar as bolinhas nas outras crianças, tire-o de lá. Sente-se com ele, mostre as outras crianças se divertindo e explique que ele poderá voltar lá quando se sentir pronto para brincar sem machucá-las.

Evite “raciocinar” com seu filho usando perguntas como: “Como você se sentiria se outra criança jogasse uma bola em você?”. Crianças pequenas não conseguem se imaginar no lugar de outra ou mudar de comportamento baseado nesse tipo de conversa. Mas elas entendem direitinho quando uma atitude gera consequências negativas.

Mantenha a calma

Gritar, bater ou dizer ao seu filho que ele é “feio” não o fará mudar de atitude você só o deixará mais irritado. Além disso, para que ele possa aprender a controlar sua raiva, o primeiro passo é ver os adultos que usa como modelo fazendo isso, e nesse caso o exemplo é você.

Imponha limites claros

Não espere seu filho bater no irmãozinho pela terceira vez para só então dizer: “Agora chega!”. Ele deve saber que fez algo errado já na primeira vez. Tire-o da situação em que está por um ou dois minutos — é o melhor jeito de fazê-lo se acalmar.

Depois de um tempo, ele vai acabar relacionando o mau comportamento com a consequência ruim, e aí vai entender que, se morder ou bater, acaba perdendo a farra e o melhor da festa.

Discipline-o o tempo todo do mesmo jeito

Tanto quanto possível, aplique o mesmo tipo de bronca quando ele repetir o mesmo comportamento errado. Se ele mordeu o irmão e essa não tiver sido a primeira vez, diga: “Você mordeu o João de novo isso quer dizer que vai ficar de castigo outra vez”.

Seu filho vai perceber esse padrão e, em algum momento, se tudo der certo, vai compreender que sempre que se comporta mal recebe um castigo ou uma bronca.

Mesmo em público, não deixe a vergonha ou o constrangimento impedirem você de reprovar o mau comportamento. Outros pais já passaram por isso e, se as pessoas ficarem olhando, não dê muita atenção. Diga algo como: “Esta fase dos 2 anos é fogo!”, e então aplique a disciplina como sempre faz em casa.

Ajude seu filho a se expressar de outra maneira

Espere até seu filho se acalmar e converse — com tranquilidade — sobre o que aconteceu. Peça para ele explicar o que o fez ficar tão bravo. Diga que é natural sentir-se bravo, mas que não é legal demonstrar isso chutando, batendo ou mordendo. Encoraje-o a achar um jeito melhor de reagir — como pedir ajuda a um adulto ou falando o que está sentindo (“Pedro, você está me deixando bravo!”).

Às vezes, a impulsividade da infância fala mais alto, mas faça seu filho entender que ele precisa pedir desculpas depois de agredir alguém. Ele pode fazer isso sem muita sinceridade no começo, mas a lição vai ficar, e ele acabará criando o hábito de pedir desculpas quando machucar alguém.

Elogie o bom comportamento

Em vez de falar com seu filho só quando ele se comporta mal, dê atenção também quando ele agir corretamente. Por exemplo, se ele pedir para o amigo para brincar no balanço, em vez de empurrá-lo, diga: “Que legal que você pediu!”.

Os elogios ao bom comportamento ajudam a criança a distinguir o que é aceitável ou não, e a estimula a correr atrás de mais elogios e atenção por esse “bom caminho”.

Limite o tempo de TV

 Desenhos e outros programas para crianças podem vir recheados de gritos, ameaças, empurrões, chutes, cenas cínicas e até atos de sadismo. Tente ficar de olho no que seu filho está assistindo, particularmente se ele tem tendência a ser agressivo. Veja TV com ele e converse sobre o que está se passando, dizendo, por exemplo: “Não foi um jeito legal de ele conseguir o que ele queria, não é mesmo?”.

Obs: A Academia Americana de Pediatria recomenda que menores de 2 anos não vejam TV.

Providencie atividades físicas

Você pode descobrir que seu filho vira um terror se não tiver como queimar energia. Se ele é bastante ativo, dê-lhe bastante tempo livre, de preferência ao ar livre. Não precisa ser nada muito estruturado: dê espaço a ele que certamente ele vai correr!

Com a ajuda de uma bola, então, tudo se resolve. A atividade física deve deixar seu filho mais calmo, além de proporcionar um sono de melhor qualidade.

Não tenha medo de procurar ajuda

Às vezes a agressividade de uma criança pede mais intervenção do que um pai consegue dar. Se seu filho passa mais tempo sendo agressivo do que calmo, se ele parece assustar ou aborrecer outras crianças, ou se você não consegue melhorar o comportamento dele, por mais que faça, converse com o pediatra, que pode recomendar um psicólogo ou especialista. Juntos, vocês podem ajudar a criança.

Bjo, bjo

 

 

http://brasil.babycenter.com


16 dez 2013

Babyzen Yoyo o carrinho ideal


Mamães, todas nós comentemos alguns erros quando fazemos o enxoval do nosso primeiro (a)  filho (a). Um dos mais comuns é que sempre pensamos no carrinho de passeio mais lindo, robusto ao invés do mais prático e leve e normalmente compramos aqueles grandes trambolhos difícil de manusear, colocar no porta malas do carro então quase uma obra da natureza.

Pensando nisso o carrinho que eu comprei para o Bernardo foi o Babyzen, sinceramente estou muito satisfeita, embora ele seja grande, na hora de fechar ele cabe no porta malas facilmente, embora ele não seja muito leve.

Do mesmo fabricante existe a versão para bebês acima de 6 meses, que é a Versão YOYO estou louca para comprar este para o Bernardo, além de leve,  ele pesa menos de 6,5 kg ele é o único carrinho no mundo que cabe dentro do avião.

Infelizmente ele não é vendido nos EUA, eu mesma tive que comprar o do Bernardo em Barcelona, então a dica é se tiver algum conhecido indo para a Europa, compre pelo Amazon inglês e peça para entregar no hotel.

Eu quero um destes, e vc gostou?

Bjo, bjo

 

yoyo-white-frame-black

3 2 YOYO dimensions 1

 


11 dez 2013

Vem chegando o verão…


bebe3

Mamães o verão está chegando e com isso os cuidados com nossos pequenos precisam redobrar… Com esta prévia de calor que estamos tendo aqui em São Paulo, já podemos imaginar que o calor não será brincadeira não. Grande parte das mamães, normalmente se preparam para esta estação comprando roupas mais leves, redobrando a quantidade de liquido que se dá para o pequeno por dia, bem como diminuindo a exposição ao sol em horários entre 10: 00 e 16:00 da tarde.

Abaixo vc´s poderão visualizar muitas dicas para fazerem com que seus pequenos se sintam muito bem durante a estação mais quente do ano.

Aproveite, Bjo, bjo

 

Vista o bebê com tecidos leves e fibras naturais, de preferência algodão
Tecidos fresquinhos são além de tudo confortáveis. Evite roupas feitas de fibras sintéticas, porque elas retêm o calor e incomodam o bebê. Podem causar até brotoejas e assaduras. Não deixe o sol bater direto na pele delicada da criança por longos períodos, especialmente se ela ainda for muito novinha.Os pediatras costumam recomendar o uso de filtros solares a partir dos 6 meses. Use o tipo recomendado pelo médico, pois há grandes variações na composição química desses produtos. Chapéus não podem ser apertados, e precisam ter as abas largas. Chapéus ou bonés com elástico podem atrapalhar a circulação do sangue.

Fique à sombra ou dentro de casa nos horários mais quentes
Quando o bebê é pequeno, o melhor é ficar em ambientes cobertos nas horas de mais calor. Se você precisa sair no sol, proteja bem a criança. Para passeios ao ar livre, prefira o começo da manhã ou o final da tarde. Tire colchõezinhos ou colchas do carrinho para a temperatura dentro dele não suba demais.

Deixe a criança algum tempo sem fralda
Se estiver muito quente, deixe o bebê pelado. Pode ser na hora de uma soneca da tarde, por exemplo, num lugar de fácil lavagem para o caso de ele fazer xixi ou cocô. O suor se acumula nas áreas plásticas da fralda descartável e causa irritações como a brotoeja e a assadura. Você pode até tentar usar fraldas de pano, se a pele do seu filho estiver irritada demais.

Dê muito líquido.
Nos dias de calor intenso, amamente o bebê com mais frequência. No caso de crianças maiores, dê bastante água, suco de fruta e água de coco.Bebês de menos de 6 meses que mamam no peito não precisam tomar água, mesmo no calor. Estudos já mostraram que, desde que os bebês sejam amamentados quando pedem, eles não ficam desidratados.No calor, os bebês tendem a solicitar mais o seio, e o leite materno, composto basicamente de água, é suficiente para hidratá-los. Com idas ao seio frequentes, os bebês recebem mais o leite anterior, que é mais leve e refrescante que o leite posterior, mais rico em calorias e gordura.

Para bebês que tomam fórmulas lácteas, pode-se dar água na mamadeira – sempre previamente fervida e resfriada.

Não dê água, sucos, sorvetes e picolés de procedência duvidosa. 
Não dê ao bebê alimentos não industrializados, especialmente os comprados de vendedores ambulantes. Carregue sempre consigo a água para o bebê. Cuidado também se for transportar alimentos como a sopinha. No calor, a comida pode se deteriorar rápido.Caso seu filho tome fórmula de leite em pó, só prepare a mamadeira na hora do uso e utilize-a dentro de, no máximo, uma hora. Se você for sair, leve a água para a mamadeira ou use água mineral de procedência conhecida, e carregue o pó separado

Reduza o uso de óleos ou cremes no bebê.
Se estiver muito quente, óleos infantis usados para massagem podem colaborar para o surgimento de dermatite ou brotoejas se não forem bem retirados no banho. Não use cremes hidratantes em excesso e, se o bebê for sair no sol, evite cremes antiassaduras dentro da fralda, para permitir que a pele respire melhor. (Boa Dica :) )

Evite o talco.
Muitas mães passam bastante talco nos bebês depois do banho para mantê-los frescos. Na verdade, o contato do talco na pele molhada pode causar irritação e desconforto. Além disso, as partículas do pó do talco são tão finas que podem entrar no pulmão da criança, causando problemas graves.Se mesmo assim você quiser passar talco, use pequenas quantidades, sem provocar “fumaça”, e mantenha o recipiente sempre longe das mãozinhas do bebê. Uma alternativa mais segura é a maisena, que tem partículas maiores, não tão prejudiciais. A tradição de colocar maisena na água do banho também é uma boa opção.

Deixe o bebê se refrescar brincando com água
O calor é a estação ideal para deixar o bebê brincar com água. Desde o momento em que o bebê já sentar com firmeza, você pode colocá-lo na banheirinha ou em uma piscininha inflável com um fundo de água e brinquedos. Isso pode ser feito tanto ao ar livre quanto dentro de casa. Mas não deixe a criança nem um segundo sozinha.Para frequentar a piscina, converse com o pediatra. Há aulas de natação junto com os pais para crianças a partir de 3 meses, mas alguns pediatras preferem esperar até pelo menos 6 meses para reduzir o risco de otites (infecções no ouvido). Fique atenta às condições de higiene da piscina.

Cuidado com o ar condicionado. 
Se você tem ar condicionado em casa, desligue-o na hora do banho e só volte a ligá-lo quando a criança estiver totalmente vestida e com o cabelo seco. Se o bebê for ficar em ambiente com ar condicionado o dia inteiro, é melhor vesti-la com roupas mais fechadas. Também não deixe o aparelho ligado muito em cima do bebê.

Não deixe seu filho usar óculos de plástico sob o sol.
A passagem da luz solar por óculos de plástico transparente colorido pode prejudicar os olhos do bebê. Óculos escuros infantis têm de ter proteção contra os raios ultravioletas do sol. Na dúvida, é melhor não usar.

 

Fonte: babycenter


10 dez 2013

O primeiro aniversário


q

Mamães, o aniversário do Bernardo está chegando, faltam praticamente 2 meses e já estou entrando em surto. Por ser o seu primeiro aniversário, e ele ainda entender pouco, minha intenção não é a de gastar muito, afinal este tipo de festa agrada bem mais os adultos do que as crianças…

Ando buscando ajuda para chegar a um bom custo benefício, vejam abaixo algumas ideias para organizar uma comemoração barata, mas  sem economizar em diversão.

Faça a festa em casa

Comemorar o aniversário de seu filho em um buffet infantil tem inúmeras vantagens: você não precisa pensar na preparação da comida nem na limpeza do salão. Mas em troca terá que pagar caro por esses serviços, sem contar gastos adicionais que podem aparecer depois que a festa acabar.

Fazer a festa em casa ou no salão de festas do prédio, por mais trabalhoso que seja, também tem seu lado bom: não há um limite de horário nem uma ordem rígida para as atividades.

Se você mora em apartamento, mas seu prédio não tem um salão de festas bom, combine com alguma amiga ou um parente que tenha e que possa alugar para você. E, claro, não se esqueça de garantir que todos os preparativos e a limpeza sejam por sua conta.

Vá com calma também na decoração. Mesas grandiosas e arcos de bexigas são bonitos, mas já são tão comuns nas festinhas de aniversário que quase não são notados. Um bolo bonito, uma toalha colorida e enfeitinhos nas mesas já fazem bastante vista, e você não precisa alugar uma megadecoração profissional. Use sua criatividade e divirta-se!

Uma dica é usar os próprios brinquedos da criança para compor a mesa. Já notou como os enfeites alugados muitas vezes usam brinquedos de verdade?

Se for época de tempo bom, você pode até organizar a festa em um parque ou em uma pracinha. Basta fazer uma “cerca” com faixas e bexigas. Só verifique se o parque onde você pretende fazer a festinha exige autorização prévia.

Pense bem na lista de convidados

Pense muito bem sobre quem você deseja convidar e resista à tentação de chamar mais gente na última hora. Quando você organiza uma festa, é normal sentir que você tem que convidar todos os seus amigos e todos que também convidaram você recentemente, mas, quanto mais pessoas vierem, maiores serão os gastos.

Talvez alguns de seus amigos, mesmo os mais próximos, não fiquem muito animados com a ideia de passar a tarde ouvindo música infantil e gritos de crianças. Por isso, mantenha na lista apenas aquelas pessoas que você sabe que vão curtir a festa.

Uma boa dica é pensar o quanto você pode e quer gastar com cada convidado e não sair dessa margem de orçamento.

Outra opção é restringir os convidados da festa a famílias que tenham crianças. Se você quer compartilhar sua alegria com o resto dos parentes (como tias e tios mais velhos), convide-os, aos poucos, para tomar um cafezinho na sua casa em um dia mais tranquilo, ou faça uma visita. Eles vão ter mais tempo para curtir a criança do que na balbúrdia da festa.

Não se complique com a comida

A comida é essencial em qualquer comemoração, mas isso não significa que você tenha que servir um banquete. Uma festa pode ser ótima apenas com sanduíches, docinhos gostosos e bebidas refrescantes.

Se você gosta de cozinhar, vá preparando os salgadinhos com bastante antecedência e congele-os bem embalados, com data, no freezer. O ideal é preparar salgadinhos que possam ser esquentados no forno. Recheios para sanduíches também podem ser preparados com antecedência e congelados.

Cachorro-quente e pizzinha sempre fazem muito sucesso e não são caros. Você pode comprar versões congeladas com antecedência para ir suavizando os pagamentos e não concentrar todas as despesas no mês da festa.

O mesmo vale para as bebidas: vá comprando aos poucos, antes da festa, para diluir os gastos.

Uma boa ideia é comprar salgadinhos, doces e bebidas em uma loja por atacado, que costuma ter melhor preço.

Planeje atividades à moda antiga

As crianças pequenas adoram brincadeiras de correr, como aquela da “dança das cadeiras”, e podem se divertir muito mais assim do que assistindo a um show de mágica ou a um teatrinho.

Outras brincadeiras clássicas, como o “rabo-do-burro”, nunca saem de moda. Pergunte aos mais velhos como eles se divertiam brincando de corrida de saco nas festas de antigamente!

Uma “caça ao tesouro” também poderá manter as crianças mais velhas entretidas por um bom tempo. Não complique: embale uma caixa de sapatos com papel preto para fazer um baú. Encha-o com dinheiro de brinquedo e moedas de chocolate, esconda-o e dê um mapa às crianças.

Para encompridar a brincadeira, espalhe mais algumas pistas pelo local da festa, sendo que cada pista indica a próxima. As crianças adoram!

Crianças sempre arrumam um jeito de se divertir, mesmo que não haja atividades organizadas. Arranje alguns brinquedos do seu filho em um cantinho e deixe à disposição para os convidados brincarem.

Se você achar que precisa alugar um brinquedo maior, escolha o mais adequado para a faixa etária da maioria dos convidados (que nem sempre é a mesma do aniversariante). Uma cama elástica normalmente basta para muitas horas de diversão.

“Contrate” um talento desconhecido

Se quiser que a festa tenha alguém para entreter as crianças, pense em maneiras para que isso não custe uma fortuna. Será que algum de seus amigos sabe fazer pinturas nas crianças ou esculturas com balões?

Quase todo mundo consegue fazer tatuagens temporárias em crianças, e elas costumam ser baratinhas e fazer enorme sucesso nas festinhas infantis.

Caso você conheça alguma escola de teatro, informe-se para ver se não há alunos dispostos a ganhar um dinheiro fazendo uma peça simples ou contando histórias.

Você também pode contratar “monitores” na escola do seu filho. Pergunte se não há alguém interessado em fazer um bico no fim-de-semana.

Com um microfone e um convidado desinibido dá para improvisar um “show de calouros” entre as crianças.

Mande convites eletrônicos

Os convites de papel são caros, dão trabalho e, por mais bonitos que sejam, costumam terminar no lixo. Melhor colocar a tecnologia a seu serviço, mandando os convites por e-mail. Ou procure na internet sites que enviem os convites com design especial, gratuitamente.

Além de economizar, você estará colaborando para fazer uma festa mais ecológica.

Pense bem no que vai comprar

Você certamente vai organizar festas por muitos anos. Então por que não acertar um orçamento desde agora? Em vez de comprar pratos, talheres e copos descartáveis, além de guardanapos de papel, compre peças de plástico mais resistentes e que sirvam para várias festas.

Você vai ver que é incrível o que dá para fazer com folhas de papel crepom ou de EVA e uma pistola de cola quente.

Se seu filho “precisa” de tudo com o tema do Homem-Aranha, faça uma pesquisa de preços e não compre na primeira loja onde entrar. Compare bem e não compre em exagero: talvez uma toalha de mesa seja suficiente, sem precisar que você gaste com copos e guardanapos especiais.

As lembrancinhas de sempre? Ou algo mais duradouro?

Os saquinhos com lembrancinhas com o tema da festa também costumam ser caros e quase vão diretamente para o lixo. Em vez de balas e dos presentinhos comuns, você pode comprar em lojas por atacado caixas de lápis de cor e livros de colorir.

Bancas de jornal são uma ótima fonte de lembrancinhas. Veja por exemplo qual é o álbum de figurinhas da moda, e dê alguns pacotinhos.

Bolhas de sabão são sucesso garantido e são baratíssimas.

Pesquise em lojas que vendem por atacado, porque os preços compensam muito.

Pesquise muito e compre em lojas por atacado

Você pode fazer uma ótima festa, mesmo com pouco espaço, pouco tempo e um orçamento limitado. Se seu sonho é mesmo fazer festa em buffet, pesquise preços em dias e horários de menos movimento (como no meio de feriados importantes).

Planeje-se para fazer suas compras, tanto de descartáveis como de decoração, de lembrancinhas e de comida, em lojas que vendem por atacado. As diferenças de preço são enormes!

http://brasil.babycenter.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 31 de 248« Primeira...1020...2930313233...405060...Última »