25 ago 2014

Afinal quem é a mãe? Diário de bordo


Esta semana fiquei muito aborrecida, sabe aquela sensação de que estamos perdendo espaço e autoridade dentro da nossa própria casa!! Pois é na última sexta, quando levantei a babá do meu filho estava dando uma geral no armário dele, pois era o dia da faxineira aqui em casa. Nos últimos tempos sempre quem arrumava o armário do Bernardo era a babá, mas desta vez resolvi estar junto, e para variar (se não quer ver as coisas erradas, não procure) nada estava como eu queria.

Então, fui pedindo para ela colocar do  meu jeito as caixas, bolsas etc..  e tudo o que eu falava ela retrucava, dizia que não era o certo ou qualquer coisa do gênero, mas afinal quem é a mãe, e a dona da casa??? O Bernardo tem umas miniaturas de resina dos personagens da Disney ele simplesmente AMA, esses brinquedos e pela decisão da babá o Mickey, Pato Donald e cia estavam numa caixa em cima do armário. MAS COMO ASSIM??? O menino A-D-O-R-A estes brinquedos e ela decide que eles tem que ficar guardados numa caixa em cima do armário!!!

Infelizmente por estarmos muito ausentes, afinal passamos quase 10 horas fora de casa por dia, entre trabalho, transito e outras atividades nossas babás começam a se sentir muito donas do pedaço e querem decidir como criar nossos filhos. Não adianta, falarmos, brigarmos porque com o tempo, elas folgam e começam a fazer do jeito que elas querem.

O Be, tem uma certa dificuldade para comer, ele demora algumas vezes quase 50 minutos para comer um prato de feijão, arroz e bife… Ai como é mais fácil ela opta por dar sopa, afinal em 10 minutos ele já comeu. Eu tive que inventar que o pediatra disse que o menino estava ficando meio anêmico, para ela me obedecer e dar o que eu queria. Este tipo de teimosia, faz com que meu pequeno, seja um chato para comer, ele não gosta de comida sólida e liquida junto, por exemplo se o arroz estiver muito encharcado no caldo do feijão ele vomita e coloca para fora.

Outro cumulo do absurdo é que semana passada, comprei uma melancia fresquinha e pedi para ela fazer um suco a tarde para ele, ela disse mas ele toma leite, quando acorda a tarde! Eu disse mas hoje quero que dê o suco, ou então dê os dois… Pergunta se ela fez o que eu pedi?? E o resto da melancia foi para o lixo hoje, por ter passado dentro da geladeira.

Ai a pergunta que não quer calar, porque eu continuo com ela??? Tem horas que me sinto refém dentro da minha própria casa. Mas embora todas estas coisas que me incomodam, ela cuida do meu filho com muito carinho e atenção.

Vocês também já passaram ou passam por isso? O que vocês fizeram??? Já pensei em substituir, mas será que não estaria trocando 6 por 6.

Bjo, bjo

 

Baba

 


22 ago 2014

Meu filho pede colo


Suri no colo do pai em dois momentos

Nas últimas viagens que fiz para Brasília, sempre que chegava ao aeroporto e precisava andar com o Bernardo ele pedia colo, na maioria das vezes eu achava que era manha e o repreendia e fazia com que ele andasse mais um pouquinho, até que eu era vencida pelos choros e o pegava no colo. Bem diferente do que eu pensava este texto do site babycenter nos mostra que muitas vezes isso acontece por n outros fatores que não a birra. Leia o texto a baixo, pois vai ajudá-la a entender melhor o porque de muitas vezes seu pequeno pedir colo.

Bjo, bjo

Pedir colo mete muita criança em encrenca, especialmente quando ela se recusa terminantemente a andar junto com um adulto — só quer ser carregada por ele. Esse comportamento, um tanto irritante, pode parecer preguiça ou um desafio à ordem de ir para algum lugar (ou embora), mas na verdade não é isso, pelo menos não na maioria dos casos. 

Quando a criança começa a andar, o objetivo dela não é ir do ponto A ao ponto B. Ela segue um padrão de ir e vir para uma “base”, representada por um adulto. Se o “adulto-base” se move, o padrão é quebrado, e a criança pode acabar sentando no chão e chorando. 

Ela pede para ser carregada porque, até os cerca de 3 anos de idade, é a única maneira de ela ficar com você. O carrinho pode parecer a resposta óbvia para o problema, mas nem sempre é a opção número um da criança. 

Mesmo quando já consegue andar e acompanhar um adulto, quase toda criança pequena vai querer, em alguns momentos, ser carregada por mais tempo do que um adulto gostaria. 

Andar no colo é gostoso e confortável. E as vantagens, para a criança, não se resumem a dar um tempo para os pés cansados. Quando ela é erguida, seu campo de visão se expande; ela vê o mundo como você o vê. Está acima de coisas que podem parecer perigosas, como cachorros estranhos, e consegue ver os rostos dos adultos e escutar o que vocês estão conversando. 

Como você pode perceber, tem muita coisa legal para a criança quando ela está no colo. Por isso, é preciso pensar em maneiras de transformar o caminhar ou o passeio no carrinho em algo tão ou mais divertido para ela. 

Andar pode ser gostoso e seguro para seu filho se você colocá-lo na sua frente e deixá-lo ajudar a empurrar o carrinho. Ou, em locais seguros, vocês podem brincar de correr um atrás do outro. Ficar no carrinho pode ser prazeroso se ele for do tipo em que a criança pode olhar para você, e você pode cantar, contar histórias ou fazer caretas. 

Se nada disso der certo, e seu filho quiser que você o carregue de qualquer jeito, tente fazer um rodízio: “Eu te levo até aquela árvore, depois você anda (ou vai no carrinho) até aquela esquina…”. Não tem árvore ou esquina? Experimente contar, então; ele pode até se distrair antes de você chegar ao número cem. 

 


21 ago 2014

Espaço de estudo – Decor infantil


Mamães, não menos importante do que a decoração do quarto, é o local que seu pequeno irá fazer suas tarefas e estudar. Eu quando pequena tinha um espaço específico no meu quarto com uma escrivaninha própria para isso.

Tenho recebido alguns e-mails de mães solicitando referencias de espaço para preparar o tão famoso cantinho do estudo. Veja abaixo algumas idéias super bacanas.

Bjo, bjo

space to study

study 4

study 5

study colour

study

study 2

estudo

nichos1

study 3


19 ago 2014

Pós parto – Quando estamos liberadas?


 

AASe dependesse das nossas mães e avós, o pós-parto, as primeiras seis ou oitos semanas seguintes ao nascimento do bebê – seria uma verdadeira tortura para nós: nada de lavar a cabeça, sair de casa e repouso absoluto por um mês. Tudo bem que o nosso corpo precisa realmente de um refresco depois de tantas mudanças. Mas, com orientação médica e atenção redobrada, podemos voltar à vida (quase) normal de forma gradativa e sem tanto drama.

Veja abaixo este artigo que peguei no site da GNT, com dicas de como e quando voltar as atividades.

A médica obstetra Patrícia Maganha, é também mãe de três filhos e diz que não é preciso ser tão radical: É importante retomar aos poucos o que traz prazer ou uma sensação maior de normalidade. O bom senso é o que direciona a decisão de como deve agir nesse período, ensina.

Na dúvida de quando partir para a ação e relembrar os bons tempos de antes do barrigão? A gente ajuda:

 

Dirigir

Quem diria que um dia você ia sentir falta de pegar um engarrafamento atrás do volante, hein? A turma do parto normal está liberada para dirigir 30 dias após o parto. Por causa da necessidade de recuperação dos músculos cortados durante a cesárea, esse prazo é de 40 dias para que a cicatrização seja mais saudável.

Fazer mercado

Lembre-se: há uma grande diferença entre ir ao supermercado comprar frutas e verduras frescas e uma compra de mês. Com isso em mente, planeje para que o retorno a essa atividade seja gradual e de acordo com suas limitações. Em 60 dias você está liberada para encher o carrinho!

Pegar filho mais velho no colo

Difícil saber que vamos precisar esperar dois meses para pegar nosso bebê mais velho no colo, mas é por um bom motivo: você tem que se recuperar bem para continuar cuidando dos dois (ou três) por muito tempo! Isso não quer dizer que um colinho sentado no sofá ou deitado na cama está proibido, viu?

Voltar para a academia

Nada impede de você fazer caminhadas leves quando começar a se sentir mais bem disposta e sem dor. Mas, pegar mais pesado para mandar os quilinhos extras pro espaço vai precisar esperar um pouquinho. Renove sua matrícula na academia três meses após o parto. Porém, os exercícios que trabalham a musculatura abdominal em pós-cesariana devem esperar entre quatro a seis meses para entrar na sua série.

Sair com os amigos

Nada de ficar em casa descabelada, de camisola e uma fraldinha pendurada no ombro o tempo todo. Se você está se sentindo bem, com a cabeça no lugar, vai estar pronta para cuidar melhor dos filhotes. Combine uma saída com o maridão ou as amigas após o primeiro mês de resguardo. Se divertir é também um ótimo remédio!

Fazer sexo

A pergunta que dez entre dez maridos pedem para as mulheres fazerem ao seu médico tem resposta: 40 dias para quem fez uma cesárea, 30 para o parto normal. Não adianta colocar no calendário sem levar algo muito importante em consideração: por causa das alterações hormonais e emocionais, seu desejo sexual pode estar diminuído. Sem contar que há uma menor lubrificação durante essa fase, o que pode provocar ardência e incomodo vaginal. Que tal começar com uns carinhos e ver o que rola depois?


18 ago 2014

Amamentação


A edição de setembro da revista Glamour EUA, traz um lindo editorial com a atriz Olivia Wilde amamentando seu filho Otis de 3 meses. Sem sombra de dúvida amamentação é umas das tarefas mais importantes na vida das mamães e temos muitas celebs incentivando esta ação.

bjo,bjo

 

01 (1)

03

04

05

carol-trentini-instagram

AA

AAA

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 5 de 237« Primeira...34567...102030...Última »