13 maio 2013

Festa da Pequena Sereia


Uma das minhas princesas preferidas da Disney é a pequena sereia, nas minhas buscas na web, achei a decoração desta festa que sinceramente me encantou, primeiro pela originalidade das peças, as cores usadas e acima de tudo o bom gosto. Espero que gostem 🙂

Bjo, bjo

 

Mermaid_Party-550x366

Mermaid_Ruffled_Ombre_Cake

Oyster_Cookies

Mermaid-party-Guests

Mermaid_Party_Table_Decor

Mermaid_Part

Marmeid Starfish_Sugar_cookies

69

Jelly-Pots


10 maio 2013

Feliz dias das mães


Depois de 35 anos, este será o meu primeiro dia das mães, minha sensação é indescritível, não porque vou ser homenageada, mas agora eu tenho um ser que depende de mim. Há aproximadamente 3 meses e meio ganhei o maior presente da minha vida, o meu Bernardo. Na época do nascimento dele, meus dias e noites eram intermináveis, meu anjo, nasceu com baixo peso e os dias que passaram ele perdeu ainda mais. Meu coração doía a cada choro ou resmungo, não que ele estivesse mal, mas enquanto eu não escutasse o pediatra falar que ele estava com o peso adequado para a sua faixa etária eu não conseguiria sossegar. Será que, sou a única mãe que exagera os fatos que acontecem com seus filhos? Depois destas longas 3 semanas, que foi o tempo que o Be levou para entrar no peso ideal eu percebi que jamais terei uma noite de sono sem que eu pense no meu pequeno. Minha vida está mais alegre, mais colorida… Me sinto plena e feliz… Hoje entendo o maior amor do mundo, pois é o que eu sinto pelo meu filho. Para minha mãe, ainda mais valor e carinho, pois hoje entendo um pouco mais do sentimento dela em relação a mim e a minha irmã .

Desejo para todas as mães muitas felicidades e ótimos momentos com suas crias, sejam elas pequenas ou grandes e que não só neste domingo elas recebam um carinho a mais, mas todos os dias.

Bjo, bjo

1a


09 maio 2013

Look do dia


Como fazia tempo que eu não fazia este post!  – Mas com tanta criança estilosinha por aí, vale a pena dividir com outras mamães. E não é, que aquela bota da borracha (a minha era da turam da Monica) que a gente usava nos dia de chuva, agora virou IN.

Bjo, bjo

Look 2

Look 3

Look 3.1

Look 4

Look 5

Look 6

Look 8

Look 9

Look 10

Look1


08 maio 2013

Casinha de bonecas


Quando pequena uma das minhas brincadeiras preferida era brincar de casinha. E não era para menos, minha avó me presenteou no meu 8º aniversário com uma big casa de  3 andares da Barbie. Era sempre a maior farra as minhas amigas lá em casa, as mochilas cheias de roupas e assessórios para incrementarmos ao máximo a brincadeira.

Mas hoje muita coisa mudou e a casa que antigamente era de plástico, hoje pode ser de madeira, ou até mesmo de papelão para ser ecologicamente correta. Mas no final o que vale mesmo é a criatividade, vc´s não acham?

E para as leitoras que tiverem fotos de casa de bonecas bem estilosas nos envie para o e-mail contato@babyblogbr@gmail.com, pois no final do mês faremos um sorte e a casa escolhida será fabricada por um grande parceiro do Blog 😉

Bjo, bjo

48.3

1b

48.4

1d

48.5

48.6


07 maio 2013

Crianças que acordam de mal humor


Hoje vou falar sobre crianças que nem sempre acordam de bom humor, crianças emocionalmente saudáveis tendem a apresentar uma boa qualidade de sono e a acordar “de bem com a vida”. É muito importante que os pais constantemente observem o comportamento de seus filhos. Se alguma coisa mudar, é preciso agir. O primeiro passo é buscar entendimento do motivo pelo qual a criança começa o dia de mal humor. Conversar, dialogar, transmitir segurança e apoio é fundamental. Sentar com a criança, “olho no olho”, falando pausadamente, tom baixo, postura de quem quer entender e ajudar. NÃO CRITICAR. A criança busca nos pais o seu porto seguro.

A comunicação familiar é uma das coisas que sempre precisa funcionar bem. Os pais devem buscar informações sobre a criança com todas as pessoas da casa. Todas precisam interagir e “falar a mesma língua”, no sentido de estarem passando todas as informações aos pais sobre o dia-a-dia da criança. Importante também é avisar a Coordenação da escola e aos professores, mantendo contato estreito com eles. Saber como está o comportamento da criança em sala, seu rendimento na aula, sua performance escolar global e o relacionamento com os colegas e com os professores. Cuidado para não expor a criança com comentários desnecessários na frente de outras crianças.

1.1

Continuar o processo de investigação, levando a criança ao pediatra, pois ela pode estar apresentando algum problema clínico. Alguns pais se desesperam, sentem-se impotentes ou frustrados e não raro passam a hostilizar a criança, como se ela não estivesse bem porque não quisesse ou não tivesse suficiente força de vontade para melhorar. Algumas famílias ficam assustadas e confusas e deixam de ser pró-ativas, ficando re-ativas e com isso podem hostilizar a criança, agravando o seu estado emocional. Críticas, comparações e culpa, podem tornar a dinâmica familiar insustentável e inviabilizar qualquer tipo de melhora ao bem-estar da criança. Quando os pais não estiverem conseguindo lidar com a situação de modo satisfatório, a orientação é que procurem um psiquiatra infantil ou um psicoterapeuta familiar. Geralmente as famílias ficam confusas, sem saberem como agir ou falar com a criança e também precisam de apoio e orientação de profissionais especializados na área.

Quando a dificuldade de acordar da criança é muito grande, qual deve ser o principal motivo? Como os pais devem proceder para minimizar o problema?

Qualquer sintoma pode indicar que alguma coisa não vai bem. É um sinal de alerta, como a luz amarela que acende no painel do nosso carro para avisar que o nível da gasolina está baixo. A dificuldade persistente de acordar pode sugerir muitas coisas. Mas não devemos focar em uma ou outra hipótese. Os motivos podem ser inúmeros, por isso, abrir o leque de possibilidades e ampliar o foco é a conduta ideal nesses casos. Não perder o controle emocional também é fundamental. Muita calma nessa hora. Descartar transtornos físicos é o primeiro passo. Descartar também problema oftalmológico, audição, enfim, checar a parte sensorial da criança.

Mas alterações relacionadas ao sono podem estar ligadas a muitas outras questões. O diálogo assertivo com o seu filho pode ser a sua ferramenta-mestra. O fato de proporcionar um clima de confiança e harmonia (muito importante) à criança melhora a auto-estima e alivia a culpa.

Problemas como depressão, ansiedade, TDAH, medo e timidez são muito comuns em crianças pequenas e podem gerar dificuldades para acordar. Checar a parte relacionada a algum transtorno emocional é obrigatório. Pensar em maus tratos ou algum tipo de ameaça dentro de casa (acontece mais do que podemos imaginar). Observar a reação da criança diante dos cuidadores. Observar a criança como um todo, como ela reage frente as situações e com diferentes pessoas. Muitas crianças são ameaçadas e sofrem caladas por anos a fio.

Mas o problema pode estar na escola. Alguma dificuldade de aprendizagem? Alguma briga com colega? Algum conflito com o professor? Bullying? Investigar, perguntar. Oferecer proteção à criança, lembrando sempre a ela que você está ali e que ela pode confiar e contar com você. Ficar (um tempo) mais presente, mais em casa, pode ser benéfico para você ficar mais sabedora do dia-a-dia da criança. Tudo vale para entender o motivo pelo qual a criança já acorda “de mal com a vida”. Faça uma aliança com a criança para juntos eliminarem os problemas. É importante que a situação seja sanada e que a criança retorne ao seu padrão de funcionamento anterior. Algumas vezes, é preciso procurar ajuda de especialistas como um bom psicólogo.

Bjo, bjo

 

Fonte:  Bolsa de mulher, Guia das dicas, Minha vida

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Página 50 de 249« Primeira...102030...4849505152...607080...Última »