02 set 2016

NINHO lança a primeira linha infantil de iogurtes 0% lactose


ninho2

Mamães olha que legal,  Nestlé, inaugura uma nova categoria no mercado brasileiro de iogurtes com o lançamento da primeira linha infantil de iogurtes Zero Lactose no Brasil,  agora os pequenos que tem problema de intolerância a lactose, podem consumir um iogurte mais nutritivo.

A NINHO, especialista em nutrição na infância, inova ao oferecer essa novidade às mães, que fazem questão de proporcionar uma alimentação equilibrada aos filhos com intolerância à lactose mas que não querem deixar de incluir o sabor e os benefícios nutricionais do iogurte.

A versão líquida de NINHO Zero Lactose chega nos sabores Morango e Vitamina de Frutas, enquanto a versão em polpa vem nas opções Morango e Maçã & Banana. Ambas são fontes de cálcio, nutriente essencial para a formação dos ossos e dentes, além de conter Zinco e vitaminas A e DOs produtos mantêm o delicioso sabor de NINHO e agregam ao repertório de opções gostosas no cardápio de crianças com intolerância à lactose.

Eu achei no pão de açúcar, e o valor não é muito mais caro.

bjo, bjo


25 nov 2014

Alimentação


Brócolis, abobrinha, rúcula, espinafre, cenoura, tomate, beterraba e muito mais. Em um país com tanta variedade de frutas, verduras e legumes, parece impossível imaginar que seu filho não goste de – quase – nenhum deles. Mas é só oferecer a colher com algo verde ou colorido para ele se negar a comer. E parece que não há nada que o faça mudar de ideia.

Saiba como substituir alimentos de que seu filho não gosta

Calma! Isso não acontece só aí na sua casa, mas é possível virar o jogo. Uma revisão de 11 estudos publicados na revista científica Pediatrics, da Academia Americana de Pediatria, comprovou – mais uma vez- que as preferências alimentares, sobretudo no que se refere a frutas e legumes ou bebidas doces, definidas durante os primeiros dois anos são duradouras. Ou seja, é uma janela de oportunidade incrível para você oferecer alimentos saudáveis ao seu filho e garantir que ele tenha uma alimentação equilibrada durante toda a vida.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram as dietas de 1.500 crianças de 6 anos comparando seus padrões alimentares com aqueles observados em outro estudo que acompanhou as mesmas crianças durante o primeiro ano. De acordo com a pediatra Kelley Scanlon, do Centro para Controle e Prevenção de Doenças da Academia Americana de Pediatria e uma das autoras da pesquisa, foi possível perceber que as crianças que consumiam poucas frutas e legumes quando bebês permaneceram com o mau hábito até os 6 anos.

Parece fácil mudar esse cenário, mas você sabe bem que na prática não é bem assim. O segredo é ter paciência e insistir. “Crianças podem demorar até 7 dias para se acostumar com o novo sabor de um alimento. Em geral, os pais oferecem o alimento, no máximo, três vezes e desistem”, explica o nutrólogo pediátrico Artur Delgado

Portanto, se você ofereceu abobrinha refogada ao seu filho e ele recusou, ofereça no dia seguinte o mesmo alimento assado. Se ele recusar novamente, faça o mesmo nos próximos dias variando o preparo. Pode ser cru, em formato de purê, como bolinho, na sopa… Provavelmente ele vai se acostumar com o gosto e aceitar o alimento. Mas, se ao longo dos sete dias, seu filho se recusar a comer, pode ser sinal de que ele realmente não gosta daquilo. “É claro que os pais podem voltar a oferecer o legume mais adiante, mas já sabendo que a recusa foi total anteriormente”, alerta Delgado. Ou seja, não precisa insistir tanto dessa vez, OK?

Outro ponto fundamental na conquista do paladar do seu filho é dar o exemplo. “A partir dos 10 meses, a criança já tem uma percepção do ambiente mais definitiva. Ela percebe a estrutura do alimento e as pessoas comendo ao seu redor”, explica Delgado. É por isso que fazer as refeições com a família toda sentada à mesa e comendo, claro, a mesma comida é um incentivo e tanto para seu filho comer bem. Torne esse momento agradável, quase divertido, de forma que a comida seja vista como prazer.

Nem precisamos dizer sobre ligar a TV e outras telas durante as refeições. Elas até podem fazer seu filho comer, mas dessa forma a criança não está prestando atenção ao sabor do alimento. Está apenas engolindo a comida enquanto está entretida com outras coisas, ou seja, não está aprendendo a comer, que é o objetivo principal.

pais

 

Fonte: Revista Crescer


03 set 2014

Alimentos que crianças até dois anos não devem ingerir


2

Cuidar da alimentação dos pequenos não é nada simples. Especialmente em tempos onde a indústria alimentícia maquia seus produtos como nutritivos e incentivam os pais à compra para “facilitar” o dia a dia.

Há, também, a dúvida dos pais na hora de alimentar as crianças logo depois que passam pela fase de amamentação.  Quando os bebês chegam aos 12 meses, além de criarem mais autonomia pela curiosidade de experimentarem novos sabores, existem os vovôs e vovós, tios, tias, padrinhos, madrinhas e mais um monte de gente que vai querer alimentá-los com “comidinhas gostosas”, acreditando ser um agrado saudável.

Por isso, é importante a orientação de profissionais ou, pelo modo mais rápido, buscar informações em sites com fontes confiáveis e estar sempre alerta e saber o que dar de comer para as crianças.

Dentro do universo da comida, há uma série de alimentos que não devem ser ingeridos até que a criança complete dois anos de idade. Portanto, é importante ler a embalagem dos rótulos para saber a composição e observar a idade indicada para consumo.

A seguir, uma lista com 16 alimentos que devem ser definitivamente eliminados da alimentação das crianças até completarem o segundo ano de vida:

1. Chocolate

Deixe de lado a tentação. Chocolate é rico em açúcar, gordura e cafeína. O consumo destes ingredientes deve ser evitado, ao máximo, até os dois anos de idade.

2. Balas, pirulitos

Não! São coloridos, cheirosinhos e docinhos, mas, definitivamente, não devem ser ingeridos pelas crianças. Além do risco de engasgar, é açúcar puro.

3. Achocolatado

É, você vai ter que escolher outro ingrediente para fazer o “tetê” do neném. Achocolatados são puro açúcar. Nas embalagens, alguns fabricantes alertam o consumidor para que até 3 anos de idade, este produto não deve ser consumido.

4. Café

Este item pode parecer óbvio, mas já vi papais e mamães darem café para os pequenos naturalmente. Mas não! A cafeína deve ser evitada até os 7 anos de idade.

5. Salgadinhos, biscoitos e bolachas doces e recheadas

Reunião de porcarias: são ricos em sódio, ingredientes transgênicos, glutamatos, corantes e gorduras.  Evite ao máximo! Açúcar é um veneno.

6. Embutidos (peito de peru, salsicha, mortadela, presunto, salame)

É tudo ruim: riquíssimos em sódio, gorduras, conservantes, corantes, nitrato (responsável por dar a cor avermelhada), que é altamente cancerígeno. Independente da idade, estes alimentos fazem  mal pra caramba. Não dê às crianças e aproveite para evitar o consumo e cuidar da sua saúde também. Prefira queijos e patês caseiros com ingredientes saudáveis.

7. Refrigerante

Puro veneno e deve ser completamente excluído na alimentação dos bebês. E na sua também!

8. Bebidas achocolatadas prontas

Ricos em gorduras e açúcares. Não dê aos pequenos. Deixe a preguiça de lado e prepare um leite batido com frutas bem gostoso!

9. Bebidas lácteas

A grande maioria destas bebidas é rica em açúcar, conservante e corante. Salvo algumas marcas que vendem realmente iogurte natural batido sem conservantes. Busque por estes produtos de verdade e abuse na imaginação para preparar coisinhas gostosas para as crianças.

10. Leite fermentado

Tem a vantagem dos probióticos mas são ricos em açúcar. Portanto, é melhor que as crianças tomem apenas depois dos dois anos de idade.

11. Bebida à base de soja

Excesso de açúcar.

12. Petit Suisse

Tem nada de bom nestas sobremesas rosinhas, cremosas e geladinhas. Grande atrativo da criançada, o petit suisse tem conservante, açúcar e corante. Evite!

13. Sucos industrializados com açúcar

Além de ter uma composição sem benefícios para os menores de 2 anos, estes sucos não são nem um pouco saudáveis e de frutas não há nada.

14. Comidas prontas industrializadas (nuggets, hambúrgueres, almôndegas, lasanhas, etc)

Dar comida pronta industrializada para as crianças já é um erro da preguiça dos pais.  Para completar, estes alimentos contém sódio, espessantes, nitrato, gordura. O caseiro nunca vai deixar de ser a melhor opção.

15. Gelatina

Corante e açúcar. Dois ingredientes que tem que ser eliminados na alimentação das crianças. Gelatina, só depois dos 2 anos de idade.

16. Macarrão instantâneo

Excesso de sódio. Não! Nem só o macarrão você pode dar às crianças porque macarrão instantâneo é pura porcaria.

 

Fonte: http://comendocomosolhos.com/


16 set 2013

Congelando os alimentos do bebê


papinha2-471x570Muitas mamães por falta de tempo de poder fazer a comidinha fresquinha do seu bebê diariamente, cozinham no final de semana e congelam a papinha para os próximos dias. Em todo caso existem alguns cuidados que são muito importantes serem levados em conta visto que a proliferação de bactérias é algo que acontece com frequência.  Veja abaixo alguns cuidados necessários para o congelamento dos alimentos.

As papinhas também podem ser congeladas, desde que não contenham maionese, ovos ou claras cozinhas, gemas, vegetais crus, iogurte, folhas de verduras e de frutas, além de banana. E nada de colocar no freezer o que sobrou do pratinho da criança. Alimentos que já entraram em contato com a saliva ficam suscetíveis à contaminação. - O alimento pode ser congelado em potes plásticos ou de vidro, desde que eles sejam lavados com sabão neutro e água quente, antes da utilização.

Pode descongelar e congelar de novo?

Não. A multiplicação de bactérias começa no ato do descongelamento e pode se agravar, caso a comida seja congelada novamente. Por isso, armazene porções pequenas, para não haver sobras.

** A maioria das papinhas dura cerca de 30 dias no freezer, mas tudo irá depender do tipo de alimento que a compõe.

Confira alguns exemplos:

- Papinha de fruta ou de legumes: poderá ser armazenada durante dois dias na geladeira e congelada por seis meses.

- Papinha de carne ou de ovo: poderá ser armazenada por um dia na geladeira ou congelada por um a dois meses.

- Combinações de carne e legumes: podem ser armazenadas por um ou dois dias na geladeira e de um a dois meses congeladas.

- Dica: cole uma etiqueta no recipiente, com a data de produção e de validade. Aproveite e anote o sabor, para facilitar a identificação.


Para Servir

Um dia antes, retire a papinha do freezer e coloque-a na geladeira. O processo de descongelamento será natural e com menor risco de contaminação bacteriana. No dia seguinte, esquente e sirva.


E a perda de nutrientes?

Não existe alimento que não perca nutrientes quando congelado, mas há dicas para melhorar a conservação,

- Chuchu, abobrinha e berinjela congelam melhor como prato pronto.

- Mandioca bem fresca pode ser congelada crua e sem casca.

- Couve-flor, brócolis, alcachofra e repolho: precisam ser bem lavados. Em seguida, deixados de molho em água com limão e sal por 30 minutos. Assim, eliminam pequenos insetos e duram mais.

- Ervas para tempero: lave, seque, pique a gosto e congele.

- Tomate: retire a casca e as sementes antes de preparar molho, suco ou purê.

Agora não temos mais desculpas, imprima este texto e cole na geladeira…. Assim não tem como sua babá ou doméstica cometerem erros, mesmo quando vc não está em casa.

Bjo, bjo

 

 


15 jul 2013

A primeira papinha


Esta semana, o Bernardo começou a comer a papinha salgada, ele que é tão bom de colher para tomar os remedinhos pensei que fosse ADORAR a sopinha, mas vc acredita que ele não gostou. Preparamos aqui em casa tudo com o maior cuidado, pensando 100% na saúde dele e nos nutrientes importantes para o seu desenvolvimento. A sopinha é feita com:

-100 gr de músculo ou peito de frango

- De 2 a 3 vegetais (cenoura, batata, chuchu, mandioquinha, abobora,beterraba…)

- 1 verde (brócolis, couve-flor, espinafre, agrião…)

e 1 colher de sobremesa de Quinoa

Então partimos para a primeira tentativa e foi bem mais ou menos, ele fazia ânsia de vômito e literalmente odiava a consistência, líquido vai bem, mas os sólidos precisam ser o mais batidinho possível.   Então comecei a bater no liquidificador ao invés de só passar pela peneira… A tentativa continua frustada preciso fazer mil piruetas, cantar todo o meu repertório de música infantil e mesmo assim ainda está difícil…  E vc´s mamães também passaram por isso, ou foi mais fácil introduzir a papinha para seus pequenos???Quem tiver boas dicas e puder compartilhar seri ótimo, pois estou bastante preocupada.

Bjo, bjo

eating baby girl

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...