20 out 2016

Carreira x Boa mãe


r

Mamães, eu recebi este texto do Babycenter e achei muito bom, então resolvi compartilhar, espero que gostem!!

É possível ter uma carreira e participar da vida dos seus filhos, desde que você tenha em mente que não conseguirá sempre fazer tudo dentro e fora de casa. Ou seja, em algum momento será necessário abrir mão de alguma coisa.

Por exemplo, é humanamente impossível trabalhar 60 horas por semana, frequentar todas as atividades extracurriculares das crianças e ainda ter tempo (e disposição!) de brincar no fim do dia.

Evite a culpa e tome decisões práticas. Comece fazendo uma lista de todas as coisas que deseja incluir na sua vida. O passo seguinte é priorizar cada item. Pode ser que no topo das prioridades apareça buscar seu filho na escolinha às cinco da tarde todos os dias ou então investir mais profissionalmente para conquistar aquela promoção no trabalho até o fim do ano.

Com a lista em mãos fica mais fácil distinguir o que é essencial e o que é possível deixar de lado por enquanto.

O próximo passo é definir quanto de tempo e energia você tem à disposição para cada item importante. Volte à lista, reveja as prioridades e corte tudo o que exige um esforço além do que você tem possibilidade para este momento da vida. Lembre-se de que se trata de uma fase e de que dá para mudar de ideia mais para frente.

Muitas mulheres decidem continuar trabalhando depois do nascimento dos filhos, porém em um ritmo menos acelerado. Com isso, usufruem dos benefícios pessoais e financeiros do trabalho, sem, no entanto, ficar demais longe de casa.

Há também quem pare de trabalhar por alguns anos para só se dedicar à maternidade, ou então resolva que a carreira precisa de grande dedicação e abrace a oportunidade de crescer profissionalmente para se realizar e ser melhor mãe nos outros momentos.

A verdade é que não há uma fórmula que funcione para todas as mulheres e nem uma lista mágica em que possamos ir riscando todos os itens executados em prazos curtos.

A vida em família é mesmo cheia de escolhas, e o melhor que você pode fazer é confiar nos seus instintos sobre como encaixar o quebra-cabeça pouco a pouco, rearranjando as peças quando a harmonia não estiver perfeita.


22 mai 2014

O que é ser mãe…


‘… No momento em que soube que ele estava vindo meu corpo se purificou e me enchi de alegria. Um sentimento forte e visceral, que exalava pelos meus poros. Quando ele chegou experimentei uma explosão de amor que inundou a minha vida. Tudo isto pode parecer piegas, mas esta é sensação de ser mãe.

Não importa a maneira como esta pequena criaturinha vai chegar, sempre será um encontro mágico, transcendental.

Ser mãe é ter a valentia dos guerreiros e um instinto protetor como o de uma verdadeira guardiã. É ter um amor incondicional por alguém que ainda não conhecemos bem, mas que já ocupa o lugar mais importante na nossa vida.  Ser mãe é ter altruísmo para dedicar todo seu tempo ao filho. Mesmo que em algumas vezes seja só em pensamento. É pensar em cada detalhe da felicidade dele. É se emocionar muitas e muitas vezes com o sorriso e qualquer gesto que ele possa oferecer. É deliciar-se com sua carinha suja de comida e suas pequenas travessuras. É tentar entender o mundo que passa por seus olhinhos, às vezes assustados, mas quase sempre curiosos.

Ser mãe é ignorar o cansaço e o sono.  Estar preparada para qualquer batalha por e ao lado do seu filho. É agradecer a cada instante a dádiva de ter seu filho por perto. Saber liberar seu lado criança e brincar de índio, jogar bola, esconde-esconde e toda aventura que surgir no momento.

Quando ser mãe? Não existe uma regra para isto. É possível ser mãe muito jovem ou bem mais velha. De várias formas: pelo método mais natural, a gravidez. Pela adoção legal, barriga de aluguel ou sem nenhum método, pelo simples encontro com aquele que será seu filho. Como mulheres temos o privilégio de ser mãe em alguma etapa da nossa vida. Temos que buscar este nosso direito por caminhos diversos, que às vezes são longos e árduos. Mas quem está nesta luta sabe que vale a pena lutar para tê-lo em seus braços.

Dizer ou pensar que não está preparada para tal desafio é normal, pois ser mãe implica em se responsabilizar completamente pela vida do outro. Não se preocupe: a maturidade acompanha o processo e tem como consequência uma constante aprendizagem. Tudo é surpreendente, mesmo depois de observar outras mães, mesmo depois de ler vários livros e manuais sobre o tema, mesmo depois de vários conselhos maternais. Nunca estaremos 100 por cento preparadas para esta tarefa, muitas vezes vamos improvisar e não se preocupe, costuma funcionar. Aqui prevalece o sentido comum e o famoso instinto maternal, em ocasiões melhor do que a opinião de quem tem experiência.

Uma dica muito importante para as mães: aproveite cada instante com seu filho. Realmente o tempo passa rápido demais e cada segundo tem seu encanto, que  quase sempre é sinônimo de alegria, talvez um pouco de melancolia e um quê de dor. No momento em que você estiver se lembrando destes acontecimentos tudo já será saudade. Encare esta grandiosa e maior missão da sua vida e comemore cada batalha vencida. Não tenha receio de errar uma e outra vez, de pedir perdão ao seu filho que ainda não conhece esta palavra.  Não o compare com os demais, pois ele é único e perfeito.  Aproveite a oportunidade e seja feliz com seu filho. Nós merecemos.”

Amei este texto ele simplesmente fala o que é ser mãe, eu sinto assim, e você como sente?

Bjo, bjo

201

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...