06 dez 2013

Sobre o sono do seu bebê


Bebê-Dormindo-4

A dúvida sobre a quantidade de sono adequada para um bebê é provavelmente uma das mais frequentes na cabeça de pais e mães do mundo inteiro. Para ter uma ideia geral, veja abaixo uma tabela com números de quantas horas de sono a média das crianças precisa em cada idade.

Só não se esqueça de que cada bebê é de um jeito, e alguns chegam a dormir até duas horas a mais ou a menos que os outros.

Idade Durante a noite Durante o dia Total
1 mês 8h 30min 7h (3 sonecas) 15h 30min
3 meses 10h 5h (3 sonecas) 15h
6 meses 11h 3h 45min (2 sonecas) 14h 45min
9 meses 11h 3h (2 sonecas) 14h
12 meses 11h 15min 2h 30min (2 sonecas) 13h 15min
18 meses 11h 15min 2h 15min (1 soneca) 13h 30min
2 anos 11h 2h (1 soneca) 13h
3 anos 10h 30min 1h 30min (1 soneca) 12h

Os bebês necessitam de mais horas de sono do que os adultos. Crianças com menos de 3 meses costumam dormir o dobro de horas que os pais, sendo metade delas durante o dia.

Quando pequenos, os bebês não dormem de uma vez só, já que precisam acordar para mamadas frequentes. Durante o dia, alternam mais as horas alertas e as de sono, e à noite dormem por mais horas seguidas.

Será que é normal um bebê acordar tanto à noite?

Sim, acordar durante a noite é uma parte natural do ciclo de sono de todos nós, incluindo os bebês. Normalmente, passamos por fases de transição entre a vigília e o sono, depois pelo sono leve, o sono com sonhos e finalmente o sono profundo. O processo inverso acontece até que voltemos a acordar (muitas vezes sem nem perceber).

Cada um desses ciclos dura aproximadamente uma hora e meia, e tanto adultos como crianças completam, em média, cerca de cinco deles por noite.

Geralmente, não chegamos a lembrar que acordamos porque costumamos simplesmente mudar de posição, nos reacomodar no travesseiro e voltar a dormir. No caso dos bebês (a partir de seis semanas), eles podem acabar acordando de vez por uma série de motivos. Se isso estiver acontencendo na sua casa, experimente :

Diferenciar a hora de comer matinal da noturna: Deixe a folia e o papinho para durante o dia, já que as mamadas da noite devem ser tranquilas, em preparação para o sono. Ajude o corpo do seu filho a entender a diferença entre dia e noite e a hora de brincar da de dormir.

Deixar o bebê pegar no sono sozinho: Lembre-se de que isso não funciona com recém-nascidos, mas com crianças a partir de um mês e meio a dois meses. Coloque o bebê no berço quando ele estiver sonolento, mas ainda acordado. Alguns especialistas desaconselham ninar ou amamentar crianças até que peguem sono, mesmo nesta idade tão pequena, porque elas acabam ficando dependentes deste contato para dormir. Mas a decisão aí é toda sua.

Estabelecer um ritual para o sono da noite: Não precisa ser nada de complicado. Basta dar um banhinho, trocar a fralda, colocar o pijama, ler uma história ou cantar uma música. Vale a pena encerrar seja qual for o ritual que você escolher no próprio quarto do bebê, assim ele aprende que aquele é um lugar gostoso de ficar. Para mais dicas sobre rituais de dormir.

Oferecer um objeto de estimação: São as famosas naninhas ou bichos de pelúcia. Um ótimo jeito de transformar um pano ou um bichinho em um companheiro favorito é deixando-o primeiro próximo a você para que absorva o seu cheiro. Bebês têm um excelente olfato, e quando se assustam sozinhos à noite muitas vezes conseguem se acalmar ao sentir o cheiro da mãe na naninha.

Deixar o bebê chorar por um tempinho: Isso só se aplica a crianças com mais de quatro ou cinco meses. Se seu filho começar a chorar depois que você o colocar no berço, vá até ele, faça um carinho nas costas, assegure que está tudo bem, mas que chegou a hora de dormir. Seja gentil, mas firme. Saia do quarto e espere de dois a cinco minutos para voltar. Cheque se está tudo bem e saia novamente. Repita o processo até que o bebê pegue no sono, aumentando a cada vez o intervalo para voltar. Este é um método polêmico e que certamente não agrada a todos os pais, mas é defendido com unhas e dentes por outros.

Compartilhar a responsabilidade de confortar o bebê: Quando o bebê ainda é bem pequeno e mama durante a noite, não tem muito jeito, porém assim que fica maiorzinho já pode ser confortado pelo papai também. Às vezes isso ajuda a criança a se conformar que não terá mais leite de mamãe vindo!
http://brasil.babycenter.com/


02 set 2013

Musica uma excelente pedida


1 - Cópia

Mamães, vocês sabiam que mais do que embalar o sono dos bebes, as canções de ninar trazem benefícios extras para os prematuros. Uma pesquisa feita em New York (EUA) com aproximadamente 500 crianças que nasceram antes do tempo e foram expostas a diferentes tipos de melodia , descobriram que as músicas suaves melhoram os padrões de sono, alimentação frequência cardíaca e respiração dos pequenos. Mas as cantigas de ninar estão entre as mais efetivas, especialmente se cantaroladas pelos pais.  Muitos dos recém nascidos prematuros enfrentam procedimentos médicos estressantes e os sons leves promovem relaxamento, desacelerando os batimentos do coração…

Diante disso, o que fica cada vez mais obvio, é que o amor dos pais, pode fazer coisas pelos seus filhos que a própria natureza desconhece.. Cantar para seu pequeno, sejam as cantigas de ninar ou as músicas da sua geração, só um excelente antídoto para os bebês ficarem mais tranquilos e felizes.

Bjo, bjo

Fonte: Revista Crescer


28 nov 2012

Dicas para um sono tranquilo e saudável


Fazer com que o filho durma a noite inteira é uma das tarefas mais difíceis que pais e mães enfrentam. Porque não se trata de fazer a criança dormir, e sim ensiná-la que dormir é bom e gostoso, e que ela é capaz de adormecer sozinha, sem a ajuda de ninguém.

Até aquelas crianças que costumam dormir bem deixam os pais malucos às vezes, com períodos de crise e agitação durante à noite. Estima-se que um grande percentual de crianças enfrentam dificuldades para dormir.

De acordo com este artigo do site BabyCenter vocês poderão identificar alguns erros que os pais cometem na hora de pôr os filhos na cama. A boa notícia é que todos esses problemas são solucionáveis. Mudanças simples na rotina fazem uma diferença enorme para corrigir os vícios de sono mais comuns.

Quando você conseguir, vai ver que seu filho ficará muito mais tranquilo, e, mais importante, a vida da família inteira vai mudar para melhor. E um aviso: há recaídas pelo caminho. Uma doença, uma viagem, uma mudança de hábito já atrapalha tudo o que foi conquistado. Mas é só começar tudo de novo que volta ao normal.

Pôr a criança na cama muito tarde

Hoje em dia as crianças dormem menos do que antigamente. Um estudo mostrou que crianças de 2 anos dormem hoje 40 minutos a menos, em média, que crianças da mesma idade da geração anterior. O resultado da falta de sono, segundo estudiosos, é que as crianças acordam mais à noite, têm dificuldade para adormecer e para dormir durante o dia.

É muito comum que os pais cheguem do trabalho tarde, e deixem a criança ir para a cama mais tarde para poder passar mais tempo com ela. Ou que a criança não tenha horários certos para dormir.

A especialista Jill Spivack, autora de um livro sobre como fazer crianças de até 5 anos dormirem bem (“The sleepeasy solution”), afirma: “Quando elas ficam cansadas demais, têm mais dificuldade de pegar no sono e de dormir um sono tranquilo; também acordam mais cedo”.

Quando a criança é mais velha, a culpa é muitas vezes da agenda super ocupada. Você conhece a história: até todo mundo chegar em casa, jantar, fazer lição de casa etc., a hora de dormir acaba se atrasando mais e mais. E você acaba deixando, na esperança de que alguma hora as crianças acabem desmaiando de sono sem você ter de interferir.

Só que o plano não dá certo, pois, quando estão cansadas demais, as crianças ficam hiperativas.

Solução: Marque uma hora para a criança ir para a cama (e também para o sono de durante o dia) e siga esse horário. Não espere até ver seu filho bocejando, choramingando ou esfregando os olhos. Aí provavelmente ele já passou do ponto. Coloque-o na cama antes disso. Até 15 ou 20 minutos de sono a mais podem fazer uma bela diferença.

 

Apelar para o movimento

É difícil não sucumbir a esse truque quando o bebê é pequeno. Ele não dorme de jeito nenhum: você coloca no carrinho, balança no colo, deita com ele na rede, caminha com ele pela casa e pronto, a paz voltou a reinar.

Não há problema em recorrer ao balanço e ao movimento como um dos últimos recursos, em situação de emergência, mas alguns pais e mães acabam caindo na armadilha de usar sempre a mesma estratégia para fazer a criança dormir.

“Quando a criança sempre dorme em movimento – em carrinhos ou no carro -, ela não chega a ter aquele sono mais profundo e restaurador”, diz o pediatra Marc Weissbluth, também autor de um livro sobre o assunto (“Healthy sleep habits, happy child”). Pense na qualidade do seu sono quando está no ônibus, ou no avião.

Solução: Use o movimento e o balanço para acalmar a criança, mas não para fazê-la dormir. E, se não tiver jeito, procure completar o sono sem o balanço: estacione o carrinho, desligue o balanço do bebê-conforto. Se a viagem de carro for comprida, porém, desencane. É uma vez na vida e não vai haver problema nenhum. Aproveite e aprecie o silêncio!

Excesso de estímulos

Veja o móbile do berço, por exemplo: às vezes, em vez de acalmar e distrair a criança, ele a acorda ainda mais. Cuidado com sons altos e cores muito intensas. Para crianças maiores, é bom tirar o excesso de brinquedos da cama ou do berço.

Solução: Mantenha o quarto bem escuro à noite, e elimine tudo o que chame a atenção da criança na hora de dormir. Para bebês, numa escala de 1 a 10, sendo 10 o mais escuro, o quarto deve estar no 8 ou no 9, diz Spivack.

Para crianças mais velhas, é possível manter uma luz no quarto, para afastar os medos, mas que não seja suficiente para outras brincadeiras. Por isso também é melhor não manter a TV ou o computador no quarto da criança.

Não seguir um ritual na hora de dormir

Com um bebê, é mais fácil seguir a mesma rotina todo dia: um banho, alimentação, uma história ou uma música. Mesmo que você ache que a criança ainda não entenda, a previsibilidade da rotina ajuda a acalmá-la.

Muitas vezes, os pais acabam abandonando esse tipo de rotina quando os filhos ficam maiorzinhos (ou porque acham que a criança não precisa mais ou porque simplesmente estão exaustos demais para pensar nisso). Mas até para os adultos a instalação da rotina é positiva.

Solução: Crie um ritual para a hora de dormir e siga-o sempre. Não importa a idade da criança. O ritual ajuda a dar “pistas” a ela de que é hora de começar a sossegar.

Fazer as coisas cada dia de um jeito

Alguns dias por semana, quando seu filho está bem manhoso, você se deita com ele até ele adormecer. Outros, deixa que ele pegue no sono no sofá da sala, assistindo à TV. E de vez em quando, obriga-o a dormir sozinho no quarto, reclame o quanto reclamar.

O problema não é o método, mas a inconstância. Pode ser até que você não se incomode de dormir no quarto dele, ou de tê-lo na sua cama a noite toda, mas na maioria das vezes os pais acabam presos numa situação que não teriam planejado se tivessem a opção.

Você conhece bem o caso. Uma hora da manhã. A criança chora, você vai até o quarto, espera ela se acalmar e volta para a cama. Uma hora depois, a mesma coisa. Da próxima vez, lá pelas 3h, você não aguenta e a leva para sua cama, para que ela finalmente durma. Nesse caso, a mensagem que você está passando para o seu filho é: insista bastante, que você vai acabar conseguindo o que quer.

Solução: Crie (e siga!) regras sobre o lugar de dormir.

Se você não quer que seu filho vá todo dia para sua cama, deixe isso bem claro. Explique que ele tem de dormir na cama dele. No começo, talvez você precise levá-lo de volta algumas vezes (ou muitas!). Mas não desista. Ele vai acabar absorvendo a regra.

Passar do berço para a cama antes da hora

Seu filho completa 2 anos, e a família toda fica feliz e empolgada para mudar o quarto dele e colocá-lo numa cama para crianças grandes. Ou tem um irmãozinho chegando, e o berço passa para ele.

Só que, logo depois da mudança para a caminha, à criança começa a acordar no meio da noite, ou se recusa a adormecer.

Há muitas crianças que, até os 3 anos, ainda não estão prontas para deixar a segurança do berço para trás.

Solução: Espere até a criança estar pronta para deixar o berço, ou volte atrás e traga o berço de volta.

Perto dos 3 anos, pode ser que seu filho esteja ficando pronto para ir para a cama. Cada criança tem seu ritmo. Você pode colocar a cama no quarto por um tempo, até a criança se acostumar, ou então deixar um colchão no chão para sonecas da tarde.

É mais ou menos como o desfraldamento. Às vezes voltar atrás é a melhor solução. Voltar para o berço não é uma tragédia. Por mais que adore o berço, não há nenhuma chance de ele ficar até os 10 anos nele…

Bjo, bjo

 

Fonte: http://brasil.babycenter.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...